"Acidente" com o desenho pokemom em 1997

acipoke1No dia 16 de Dezembro de 1997, enquanto a emissora TV Tókio passava o desenho do Pokemon, foram recebidas centenas de chamadas de mães desesperadas pois seus filhos começaram a passar mal. Foram mais de 700 pessoas que sentiram algum ruim, durante o desenho. A vida dos japoneses está interligada com os animes, e diferentemente do Ocidente onde há as novelas, séries, ...

no Japão isso tudo é substituido pelos desenhos, popularmente conhecidos como Anime. E um dos mais conhecidos e tradicionais é, justamente, Pokemon. A audiência desse desenho é gigantesca, é um hábito parar tudo na terça feira as 18h, para ver mais um episódio e foi exatamente o que aconteceu no dia do acidente. O episódio era o de numero 38 se chamava "Denno Senshi Porygon" (Porygon, o soldado elétrico).

Quase no final do episódio, aos 18:26 mais ou menos, aparece a cena que deixou centenas de crianças passando mal. Alguns mísseis são lançados para cima do Pikachu, que, para tentar impedir que os mísseis atingissem seu grupo lança o "choque do trovão". Como resultado mais de 600 crianças tiveram de ser levadas ao hospital, todas elas apresentavam as mesmas caractarísticas: convulsões, espasmos, enxaquecas, enjoos.Algumas desmaiaram, ou ficaram com a visão turva. Outras sentiram tonturas ou náuseas. Em casos extremos, foram relatados ataques epilépticos e até mesmo cegueira temporária. Os médicos relataram que este tipo de ataque epiléptico, ocorre quando o portador do distúrbio é exposto a uma mudança muito rápida e forte de lua.

É impossível saber o número exato de crianças afetadas pelo episódio, já que a maioria dos casos foi de pouca intensidade, mesmo assim, o total de 685 crianças (375 garotas e 310 garotos) foram postos em ambulâncias e levados ao hospital. A maioria se recuperou rapidamente, algumas em minutos, um pequeno número delas foi diagnosticada com epilepsia, que foi causada pela imagem brilhante piscando muito rapidamente.

O caso foi tão estranho que repercutiu no mundo inteiro, vários jornais fizeram matérias e alguns mostraram a cena de 5 segundos, o resultado foi na época, quase 1200 crianaças foram internadas no mundo inteiro pela mesma razão. O fato ocorreu com crianças, geralmente com idades variando entre 3 e 15 anos e sempre quando se pedia um relato elas diziam não se lembrar de nada, apenas que estavam vendo os mísseis, depois.... mais nada!

O incidente ficou conhecido pelos japoneses como "Pokémon Shock", e foi um desastre para as animações infantis no Japão, as ações da marca Pokémon e da Nintendo caíram, e desenho ficou fora do ar por quatro meses enquanto os produtores e profissionais de saúde tentavam descobrir o que causou o problema em um número tão grande de crianças. Isso também resultou em uma onda de comentários negativos da, mal informada e sensacionalista, imprensa mundial.

Quando eventualmente retornou, o desenho tinha passado por várias mudanças. A abertura tinha sido alterada para eliminar a possibilidade do incidente se repetir, e o primeiro episódio exibido foi precedido de um "infomercial", que procurou explicar o que tinha acontecido e ensinar aos telespectadores que atitudes deveriam ser tomadas se o caso se repetisse. Como resultado do "Pokémon Shock", "Electric Soldier Porygon" nunca mais foi exibido em lugar nenhum do mundo, nem de forma editada. E mesmo sem ter ligação direta com o incidente, o Pokémon que dá nome ao episódio, Porygon nunca mais voltou a aparecer no desenho animado.

O episódio foi estudado por médicos e técnicos de animação, que concluíram que as luzes intensas poderiam causar reações em crianças com olhos sensíveis ou em pessoas com predisposição à epilepsia. No Japão, para se ter uma idéia, dá cerca de 5% da população. Neste episódio, Picachu passa por várias situações perigosas, e no final aparece tendo uma visão onde um televisor estava deitado sobre uma cama de hospital e um demônio o estava atacando. Veja a semelhança do desenho com o fato ocorrido: No desenho, um demônio agia sobre um televisor até que ele acabasse internado em um hospital, e na vida real, várias crianças que estavam à frente de suas televiões acabaram internadas em hospitais.


Trigéssimo oitavo episódio - Denno Senshi Porygon

acipoke2


Enredo - Ash, Misty, Brock, Pikachu descobrem que o sistema utilizado para transferir Pokémons de um Centro Pokémon até outro passa por problemas de funcionamento. À pedido da Enfermeira Joy, eles vão até o Professor Akihabara, criador do sistema de transferência da Pokébolas. Ele conta que a Equipe Rocket roubou seu protótipo Porygon, um Pokémon digital que pode existir no ciberespaço, e estão usando-o para roubar Pokémons de dentro do sistema do computador.

Akihabara envia Ash, Misty, Brock, Pikachu, e um segundo Porygon ao seu sistema para que possam parar a Equipe Rocket, pois eles aprenderam a criar um bloqueio que impede as Pokébolas de viajar pela rede. O Porygon de Ash é capaz de derrotar o Porygon da Equipe Rocket, mas a Enfermeira Joy, monitorando a situação, enviou um programa anti-vírus ao sistema para combater o que ela pensa ser um vírus de computador. Pikachu usa um ataque de raio sobre o programa, que se manifesta como mísseis "vacina", o que provoca uma explosão. O grupo de Ash e a Equipe Rocket conseguem escapar com sucesso do computador, removendo assim o bloqueio do sistema.

Recepção e controvérsia

"Denno Senshi Porygon" foi ao ar no Japão em 16 de dezembro de 1997 às 6:30 no Horário do Japão. O episódio, que foi transmitido por trinta e sete emissoras de TV que na terça à noite, que tivera, a maior audiência de seu horário, sendo assistido em aproximadamente 4,6 milhões de domicílios.

Aproximadamente depois de 20 minutos de exibição do episódio (18 minutos e 53 segundos no site Animeq), há uma cena em que Pikachu destrói alguns "mísseis vacina" com o seu ataque Thunderbolt, resultando em uma enorme explosão que pisca rapidamente em luzes vermelhas e azuis durante quatro segundos, uma técnica conhecida como "Paka-paka". Neste ponto, os telespectadores começaram a se queixar de visão embaçada, dores de cabeça, tonturas e náuseas. Algumas pessoas ainda tiveram convulsões, cegueira e perda da consciência. A Agência de Defesa do Japão informou que um total de 685 espectadores, 310 meninos e 375 meninas, foram levados aos hospitais por ambulâncias. Embora muitas vítimas se recuperaram durante a viagem de ambulância, mais de 150 deles foram internados em hospitais. Duas pessoas ficaram hospitalizadas por mais de 2 semanas. Algumas outras pessoas tiveram convulsões quando partes da cena foram retransmitidas durante as notícias sobre as apreensões. Apenas uma pequena fração das 685 crianças atendidas foram diagnosticadas com epilepsia fotossensível.

acipoke3

Estudos posteriores mostraram que 5-10% dos telespectadores tinham sintomas leves que não necessitam de tratamento hospitalar. 12.000 crianças que não foram enviadas para o hospital de ambulância relataram sintomas leves da doença. Um estudo com 103 pacientes após mais de três anos após o evento constatou que a maioria deles não teve mais crises. Os cientistas acreditam que as luzes piscando desencadeou convulsões fotossensíveis em que os estímulos visuais, como luzes piscando podem causar alterações da consciência. Apesar de aproximadamente 1 em 4.000 pessoas são suscetíveis a esses tipos de crises, o número de pessoas afetadas por este episódio de Pokémon foi sem precedentes.

Um artigo atacando toda a indústria da animação japonesa logo apareceu em E.U.A. Hoje. Escrito por Jefferson Graham e amigo de Tim, ele confiantemente sustentou que "as crianças norte-americanas não são susceptíveis de sofrer convulsões provocadas por desenhos animados", principalmente porque as redes americanas não transmitem "animações japonesas, conhecidas como 'anime'." Ron Morris na Cityrain.com afirmou, no entanto, que "não havia nada de gráficos sobre a cena ou o show - o efeito foi causado por uma combinação infeliz de fatores." O incidente, que foi referido como o Shock Pokémon "(????????, Pokemon Shokku?) pela imprensa japonesa [13], foi incluído na edição de 2004 e 2008 Edition Gamers do livro Guinness World Records, com a duvidosa honra de realizar o registro para "A maior cadeia de ataques epiléticos causados por uma série de televisão.".

Consequências

A notícia do acidente espalhou rapidamente pelo Japão. No dia seguinte, a estação de televisão que tinha exibido o episódio, TV Tokyo, emitiu um pedido de desculpas para o povo japonês, suspendeu o programa e disse que iria investigar a causa das convulsões. Os funcionários de Atago Esquadra, sob as ordens da Agência Nacional de Polícia, questionou os produtores do programa sobre o conteúdo do desenho e processo de produção. O Ministério da Saúde, Trabalho e Previdência realizou uma reunião de emergência, discutindo o caso com os peritos e coleta de informações de hospitais. Locadoras e varejistas em todo o país retiraram a série de suas prateleiras.

A reação foi rápida na Bolsa de Tóquio, e as ações da Nintendo cairam ¥ 400% (quase 5%), na manhã seguinte para ¥ 12.200. A notícia do incidente se propagou pelo mundo inteiro. A Nintendo produz uma série de jogos em que o desenho animado Pokémon se baseia. O então presidente da Nintendo, Hiroshi Yamauchi, disse numa conferência de imprensa no dia seguinte,que a empresa não era responsável pelo episódio exibido,já que o jogo Pokémon original para Game Boy foi apresentado em preto e branco.

Após a exibição de "Denno Senshi Porygon", o anime Pokémon entrou em um hiato de quatro meses até que voltou em Abril de 1998. Este hiato levou ao cancelamento do episódio de ano novo planeado para estrear na semana seguinte pois já não era ano novo, não existindo nem o trailer nem qualquer outra informação sobre ele. Enquanto Pokémon esteve fora do ar, outras cenas em outros episódios com luzes fortes piscando foram diminuídas na versão japonesa, e mais tarde pelos Estados Unidos quando o anime foi distribuído. Após a pausa, o intervalo de tempo mudou de terça a quinta-feira.

acipoke4

A abertura tema também foi refeita e telas negras mostrando Pokémon vários focos foram divididos em quatro imagens por tela. Antes do incidente de apreensão, a abertura foi originalmente uma imagem Pokémon por tela sendo um deles até agora o próprio Porygon. Nos intervalos dos episódios conhecidos no Japão como "Dare da?" e nos Estados Unidos como "Who's That Pokémon?" (em português, "Qual é esse Pokémon?") também foram retirados focos de luz que piscavam fazendo aparecer o logo japonês. Desde daí, a imagem passou a ter apenas o logo japonês sem qualquer efeito de luz. Antes do início da reairing "Anime: Pocket Monster Problem Inspection Report".

Anime Poketto Monsuta Mondai Kensho Hokoku?) Foi mostrada. Broadcast no Japão em 16 de abril de 1998, uma mulher chamada Miyuki Yadama foi sobre as circunstâncias do formato do programa e alertas na tela, no início dos programas de animação. Muitas emissoras de televisão japonês médicos e funcionários se reuniram para encontrar formas para garantir que isto nunca, nunca acontecer de novo. Eles estabeleceram uma série de orientações para futuros programas de animação, incluindo:

- Imagens piscando, especialmente aqueles com vermelho, não deve piscar mais rápido do que três vezes por segundo. Se a imagem não tem vermelho, ele ainda não deve - piscar mais rápido do que cinco vezes por segundo.
- Imagens Flashing não deve ser exibido com uma duração total de mais de dois segundos.
- Stripes, giros e círculos concêntricos, não devem tomar-se uma grande parte da tela da televisão.

O episódio em si nunca foi transmitido novamente em qualquer país. O episódio foi alterado nos Estados Unidos pela 4Kids Entertainment para abrandar as luzes piscando, mas nunca foi transmitido. Isto também fora feito nos 36 episódios anteriores antes de serem exibidos nos Estados Unidos. Maddie Blaustein, a dubladora americana de Meowth, afirmou que o episódio chegou sim a ter uma versão em inglês, mas a proibição pelo governo japonês de ser exibido noutro país qualquer resultou na perda dessa versão para sempre. Em um esforço para colocar o evento fora da mente do público e evitar o trauma, o anime não tem caracterizado Porygon em todos os episódios subsequentes. Sua evolução de segunda geração, Porygon2, Pokémon é a única segunda geração a nunca fazer uma aparição no anime. A evolução da quarta geração, Porygon-Z, não comparece/eu no anime. Mesmo assim, Porygon ainda faz aparições breves no PokéRap da 1ª geração e no filme Pokémon Origins.


Fonte: http://www.eutanasiamental.com.br/
https://pt.wikipedia.org
Kotaku USA
http://www.ferramentasgospel.com/

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Mundo

Publicidade