CURIOSIDADES

O curioso caso de Ronald Opust

opustcaso12017 - Em 1987, o então presidente da Academia Americana de Ciências Forenses, Dr. Don Harper Mills, subiu ao palco em um banquete para membros daquela organização e contou a história de um caso recente em que um médico legista investigou uma morte suspeita e concluiu que um homem era culpado de seu próprio assassinato.

App denuncia atividade física de madrugada e namorada descobre traição

traiwatch118/03/2021 - A tecnologia trouxe às pessoas um incremento significativo na qualidade de vida. Contudo, pela quantidade de informação recolhida, há práticas que nem sempre são tratadas com a devida privacidade. Provavelmente, o seu smartphone sabe mais sobre o usuário do que você pode imaginar. Uma garota descobriu que o namorado estava traindo ela quando o relégio compartilhou a informação que ele havia queimado 500 calorias às 2 da manhã.

O Extraordinário Caso da Sra. Thomas: Uma Jornada de Morte e Renascimento

velmor topoEm 2008, um acontecimento médico extraordinário chamou a atenção de profissionais de saúde e do público em geral. A história da Sra. Velma Thomas, uma residente do estado da Virgínia Ocidental, nos Estados Unidos, desafia as fronteiras do conhecimento médico e lança novas luzes sobre os mistérios do corpo humano e suas capacidades de recuperação. Velma Thomas, uma senhora de 59 anos, foi admitida em um hospital após sofrer duas paradas cardíacas consecutivas. O estado de saúde da Sra. Thomas se deteriorou rapidamente, e ela foi colocada em uma máquina de respiração artificial para manter a ventilação. No entanto, durante o tratamento, os médicos constataram que não havia atividade elétrica em seu cérebro, um indicativo de que ela havia sofrido morte cerebral. Morte Clínica e Rigor Mortis - Rigor mortis (Do latim rigor, rigidez e mortis, morte) ou rigidez cadavérica é um sinal reconhecível de morte que é causado por uma mudança bioquímica nos músculos, causando um endurecimento dos músculos do cadáver e impossibilidade de mexê-los ou manipulá-los. Após aproximadamente 17 horas sem ...

Funcionária tem teclado monitorado e é demitida por 'não digitar o suficiente'

tecladozero110/08/2023 - Tecnologia usada pela empresas em que australiana trabalhava registrou “atividade de pressionamento de teclas muito baixa". Durante 18 anos, Suzie Cheikho trabalhou na empresa de seguros Insurance Australia Group. Entretanto, ela foi demitida em fevereiro deste ano após organização monitorar seu teclado e identificar baixa atividade durante o expediente. A profissional foi alvo de monitoramento entre outubro e dezembro do ano anterior, diz o NY Post.