HISTÓRIA E CULTURA

A Unidade 29155: Operações Clandestinas da Inteligência Militar Russa

unidatati1Nos últimos anos, a Unidade 29155, uma divisão secreta da inteligência militar russa, ganhou notoriedade internacional. Esta unidade, vinculada ao Serviço de Inteligência Militar Russo (GRU), é acusada de executar operações clandestinas que vão desde assassinatos até tentativas de desestabilizar governos europeus. Seu objetivo principal é eliminar opositores de Moscou no exterior e criar desordem em países ocidentais, reforçando a influência russa em âmbito global.

Estrutura e Origem

A Unidade 29155 é parte do GRU, a agência de inteligência militar da Rússia. O GRU, oficialmente conhecido como Direção Principal de Inteligência do Estado-Maior das Forças Armadas da Federação Russa, foi fundado em 1918 e tem uma longa história de operações de inteligência e espionagem. A Unidade 29155, especificamente, é uma ramificação relativamente nova dentro dessa estrutura, especializada em operações de sabotagem e assassinato.

Composição e Comando

A unidade é composta por veteranos das forças especiais russas, incluindo Spetsnaz e outros membros das forças de elite. Estes operativos são altamente treinados em táticas de guerrilha, combate corpo a corpo, uso de explosivos e espionagem. O comando da Unidade 29155 é atribuído ao Major General Andrey Averyanov, que possui vasta experiência em operações especiais.

Operações e Atividades

A Unidade 29155 do GRU é conhecida por suas operações sofisticadas e clandestinas que têm como objetivo desestabilizar governos e eliminar opositores. Aqui estão alguns detalhes mais específicos sobre suas atividades e operações notórias:

Envenenamento de Sergei e Yulia Skripal

Data: 4 de março de 2018
Local: Salisbury, Reino Unido
Alvos: Sergei Skripal, um ex-oficial de inteligência militar russo que virou agente duplo para o Reino Unido, e sua filha Yulia Skripal.
Método: Agente nervoso Novichok, uma substância química altamente tóxica desenvolvida pela União Soviética durante a Guerra Fria.
Agentes Envolvidos: Alexander Petrov e Ruslan Boshirov (nomes reais: Anatoliy Chepiga e Alexander Mishkin), ambos identificados como operativos do GRU.
Impacto: O envenenamento levou a uma grave crise diplomática entre o Reino Unido e a Rússia, resultando em sanções e expulsões de diplomatas russos por vários países ocidentais.

Explosão de Depósito de Munições na República Tcheca

Data: Outubro de 2014
Local: Depósito de munições em Vrbětice, República Tcheca
Agentes Envolvidos: Identificados mais tarde como Alexander Petrov e Ruslan Boshirov.
Método: Explosivos plantados no depósito, resultando em uma explosão massiva.
Motivação: Acredita-se que a sabotagem visava interromper fornecimentos de munição à Ucrânia em meio ao conflito com separatistas apoiados pela Rússia.
Impacto: A explosão matou duas pessoas e causou grandes danos. Em 2021, a República Tcheca expulsou diplomatas russos e acusou formalmente a Unidade 29155 de responsabilidade pela explosão.

Tentativa de Golpe em Montenegro

Data: Outubro de 2016
Local: Montenegro
Objetivo: Impedir a adesão de Montenegro à OTAN.
Método: Orquestração de um golpe de Estado que incluía o assassinato do primeiro-ministro montenegrino Milo Đukanović e ataques ao parlamento.
Agentes Envolvidos: Membros do GRU e mercenários locais.
Impacto: A tentativa falhou, resultando em prisões e julgamento de vários conspiradores. Montenegro aderiu à OTAN em 2017.

Envenenamento de Emilian Gebrev

Data: Abril de 2015
Local: Sófia, Bulgária
Alvo: Emilian Gebrev, empresário búlgaro do setor de armas.
Método: Veneno não identificado.
Agentes Envolvidos: Vários agentes do GRU, incluindo Denis Sergeev (também conhecido como Sergey Fedotov).
Impacto: Gebrev e outras duas pessoas foram hospitalizados, mas sobreviveram ao ataque. Investigações posteriores conectaram o incidente à Unidade 29155.

Campanha de Desinformação e Cyber Ataques

Método: A Unidade 29155 também está envolvida em operações de guerra híbrida que combinam cyber ataques, campanhas de desinformação e apoio a movimentos separatistas.
Exemplos:
Ataques cibernéticos a redes de energia e infraestrutura crítica em países da Europa Oriental.
Disseminação de notícias falsas e propaganda para influenciar eleições e semear discórdia política em países ocidentais.
Apoio logístico e financeiro a grupos separatistas na Ucrânia e outros países da ex-União Soviética.

Métodos Operacionais

Infiltração e Espionagem: Operativos da Unidade 29155 frequentemente se infiltram em países-alvo usando identidades falsas e missões de fachada.
Uso de Venenos: A unidade é conhecida por usar substâncias químicas exóticas e mortais, como o Novichok, para realizar assassinatos sem deixar rastros facilmente detectáveis.
Explosivos e Sabotagem: A sabotagem de infraestruturas críticas é uma tática comum, incluindo o uso de explosivos para causar danos materiais significativos.
Desinformação e Guerra Psicológica: A unidade contribui para campanhas de desinformação que visam desestabilizar governos e influenciar a opinião pública.

As operações da Unidade 29155 ilustram a abordagem multifacetada da Rússia para projetar poder e influenciar eventos internacionais. As ações dessa unidade vão além da simples espionagem, abrangendo um espectro de atividades que incluem assassinatos direcionados, sabotagem de infraestrutura e campanhas de desinformação. A resposta internacional tem sido firme, com sanções e expulsões diplomáticas, mas a natureza furtiva e adaptativa da Unidade 29155 continua a representar um desafio significativo para a segurança global.

Táticas usadas pela unidade

A Unidade 29155 do GRU emprega uma variedade de táticas sofisticadas e clandestinas para atingir seus objetivos. Estas táticas são projetadas para serem furtivas e eficazes, muitas vezes operando na sombra para evitar detecção e atribuição direta à Rússia. Aqui estão alguns dos métodos mais notáveis e detalhados usados por essa unidade:

unidatati2

1. Assassinatos Clandestinos

Veneno

Métodos: Utilização de substâncias químicas tóxicas e difíceis de detectar, como o agente nervoso Novichok.
Exemplos: O envenenamento de Sergei e Yulia Skripal em Salisbury, Reino Unido, e o ataque a Emilian Gebrev na Bulgária.
Características: Venenos como o Novichok são escolhidos por sua letalidade e dificuldade de detecção, permitindo que os perpetradores operem com um nível significativo de denegabilidade plausível.

Armas de Fogo e Explosivos

Métodos: Uso de armas de fogo em ataques direcionados e explosivos para causar mortes ou danos materiais.
Exemplos: Tentativa de assassinato do primeiro-ministro montenegrino Milo Đukanović durante a tentativa de golpe em Montenegro.
Características: Estas operações são frequentemente realizadas por operativos altamente treinados que podem realizar a ação rapidamente e se evadir antes que as autoridades possam reagir.

2. Sabotagem

Infraestruturas Críticas

Métodos: Plantação de explosivos em locais estratégicos como depósitos de munições, fábricas e instalações energéticas.
Exemplos: Explosão no depósito de munições em Vrbětice, República Tcheca, em 2014.
Características: A sabotagem é projetada para causar danos materiais significativos, interromper operações e enviar uma mensagem clara aos oponentes da Rússia.

3. Cyber Ataques e Guerra Cibernética

Infiltração de Redes

Métodos: Ataques cibernéticos para acessar e comprometer redes de comunicação, infraestrutura crítica e sistemas governamentais.
Exemplos: Ataques a redes elétricas na Ucrânia e campanhas de hacking durante eleições em países ocidentais.
Características: Utilização de malware sofisticado e técnicas de phishing para obter acesso a sistemas sensíveis e causar disrupções.

Desinformação e Propaganda

Métodos: Disseminação de notícias falsas, teorias da conspiração e propaganda através de redes sociais, sites de notícias falsas e outros canais de mídia.
Exemplos: Campanhas de desinformação durante as eleições nos Estados Unidos e na Europa.
Características: Estas operações visam semear a discórdia, polarizar a opinião pública e minar a confiança nas instituições democráticas.

4. Infiltração e Operações de Campo

Identidades Falsas e Clandestinidade

Métodos: Utilização de passaportes falsos e identidades encobertas para operativos entrarem em países-alvo sem levantar suspeitas.
Exemplos: Os agentes do GRU envolvidos no envenenamento dos Skripal usaram identidades falsas (Alexander Petrov e Ruslan Boshirov).
Características: Os operativos são treinados para operar clandestinamente, evitando detecção e coleta de inteligência sobre alvos específicos.

5. Apoio a Movimentos Separatistas e Guerrilhas

Logística e Treinamento

Métodos: Fornecimento de treinamento, armamento e suporte logístico a grupos separatistas e insurgentes.
Exemplos: Apoio a separatistas pró-russos na Ucrânia.
Características: Este apoio é frequentemente disfarçado como ajuda humanitária ou de defesa, mas visa fortalecer grupos que alinham com os interesses estratégicos

6. Operações Psicológicas e Intimidação

Ameaças e Coerção

Métodos: Uso de ameaças diretas e indiretas para intimidar opositores políticos e ativistas.
Exemplos: Intimidação de dissidentes russos no exterior e pressão sobre políticos ocidentais.
Características: Estas táticas são projetadas para criar um ambiente de medo e incerteza, desencorajando ações que possam ser contrárias aos interesses russos.

As táticas empregadas pela Unidade 29155 são diversas e sofisticadas, refletindo uma abordagem abrangente para a projeção de poder e influência. Desde assassinatos seletivos até operações de desinformação em larga escala, as atividades dessa unidade demonstram uma capacidade significativa de operar nas sombras, atingindo objetivos estratégicos sem deixar rastros diretos. A resposta a essas ameaças requer uma combinação de medidas de segurança aprimoradas, cooperação internacional e resiliência cibernética e informacional para mitigar os efeitos desestabilizadores dessas operações.

Repercussões e Respostas Internacionais

As atividades da Unidade 29155 têm levado a uma crescente tensão entre a Rússia e o Ocidente. Países da OTAN, especialmente aqueles na Europa, têm aumentado suas medidas de segurança e intensificado a cooperação em inteligência para conter as ameaças representadas por essa unidade.

Sanções e Expulsões

Em resposta a incidentes como o envenenamento dos Skripal e outras atividades suspeitas, vários países ocidentais impuseram sanções à Rússia e expulsaram diplomatas e agentes de inteligência russos. Essas ações visam pressionar Moscou a cessar suas operações clandestinas e a respeitar a soberania dos outros estados.

A Unidade 29155 do GRU exemplifica a abordagem agressiva e multifacetada da Rússia para expandir sua influência global e proteger seus interesses. As operações dessa unidade não apenas ameaçam a segurança de indivíduos específicos, mas também visam desestabilizar regiões inteiras, comprometendo a estabilidade política e social dos países-alvo. A conscientização e a cooperação internacional são essenciais para mitigar essas ameaças e garantir a segurança e a soberania das nações em um cenário geopolítico cada vez mais complexo.

REFERECIAS:                           YOUTUBE

                                            WIKIPÉDIA

                                            DEFESANET

                                            VELHO GENERAL

                                            BBC

                                            OBSERVADOR