Auto-hemoterapia - Parte 2

hemot topo 2Então realmente, é uma coisa que poderia mudar aí, a vida de muita gente, como mudou a vida dela, imagine se ela se aposentasse naquela altura que aposentadoria ela teria hoje? Que situação ela teria? Bom, provavelmente nem viva ela estaria, se não tivesse feito esse tratamento. Então é um recurso que tem um número enorme de aplicações, e que tem uma explicação científica de como funciona. Não é algo a dizer que é misterioso, que é uma magia, ...

ou uma panacéia qualquer, não! Se sabe como, foi comprovado. O Prof. Jésse Teixeira..., realmente, os trabalhos anteriores europeus, todos eram na base do empirismo, ninguém tinha comprovado como funcionava, um brasileiro, Jésse Teixeira que comprovou como funcionava 1940, aí, dai por diante com a comprovação científica de como age o tratamento, era para esse tratamento ter sido divulgado e estar sendo usado, porque o custo, a medicina se torna cada vez mais cara, os recursos cada vez mais caro, as doenças que a auto-hemoterapia evita, muitas são já de idade avançada, o idoso está se tornando um paciente que representa um peso muito grande nas despesas, por isso que os planos de saúde cobram absurdo dos idosos, porque realmente eles custam muito mais caros para serem mantidos com vida, né? E com relativa saúde.

E a auto-hemoterapia, o exemplo é nosso, nós, o que nós gastamos? Temos um plano de saúde, que não estamos dando prejuízos para plano de saúde, minha mulher com 77 eu vou fazer 79, nós sempre temos dois anos de diferença, só que de vez em quando ela fica um pouco mais velha e só fica com um ano de diferença, aí é só isso que... essa é a única diferença que há.

Então, é realmente, é uma coisa muito valiosa esse tratamento, eu espero e que a gente consiga ir divulgando e com o tempo a gente conseguirá realmente, e fazendo com que alguns colegas vão usando, porque vão sendo pressionado pelos pacientes, então a verdade é essa quando eles vêem os resultados, pacientes contam os resultados que tiveram e vêem que não há o como explicar, muitos saem pela tangente, e dizem, ahhh isso é remissão espontânea. É uma saída, não admitir que foi a auto-hemoterapia.

Cistos de ovário e mioma

Minha filha que mora na Espanha ela era estéril, ela tinha ovários policísticos, foi o primeiro caso, foi ela, e não podia engravidar. Ela na Espanha, o médico lá Dr. Pedro que veio a ser o obstetra dela, fez os partos dos dois filhos que ela teve. Ele que aplicou, fez a aplicação da auto-hemoterapia nela e há uns seis meses depois ela não tinha mais cistos algum, o sistema imunológico tinha devorado os cistos, tinha eliminado os cistos, e ela engravidou a primeira vez, o Dr. Pedro que aplicou, fez a auto-hemoterapia nela, continuou, ela depois engravidou a segunda vez e depois, durante vinte e tantos anos, aplicou o DIU nela pra ela não engravidar mais. Aí inverteu o problema, antes era estéril e depois tinha que usar DIU, para não engravidar mais, porque ela já estava satisfeita com o casal de filhos, são dois netos que eu tenho lá, um de 23 outra com 21, uma é agrônoma e meu neto, em imagem e som, então aquilo foi uma... e depois eu usei em pacientes aqui, muitos casos de cistos de ovários e de mioma também, o mioma é devorado pelo sistema imunológico, então é realmente uma coisa de enorme valor, eu espero que agora haja uma divulgação maior que a gente consiga essa divulgação.

Púrpura trombocitopênica

Essa púrpura, foi uma coisa incrível o resultado, bom, foi esse o caso da púrpura, e, da dona Maura, bom, falando só o nome dela, que ia amputar a perna e que salvou a perna dela, a Auto-hemoterapia salvou a perna dela, ela hoje aluga cavalos simplesmente porque ela fez a auto-hemoterapia, se não ela não alugaria cavalo de maneira nenhuma, porque ela não poderia trabalhar com uma perna só, ela iria amputar na altura da coxa.

A auto-hemoterapia no caso da púrpura trombocitopênica, foi o seguinte, essa moça tinha um filho pequeno 1 ano e pouco, e começou a sangrar, gengivas, sangrar até pelo ouvido, otorragia, e então, o médico lá de Visconde de Mauá, quando viu que ela poderia morrer ali levou para Resende, em Resende mandaram ela para um hematologista em Volta Redonda, lá ele constatou que ela estava só com 10.000(dez mil) plaquetas, quando o normal varia de 200.000 à 400.000 (duzentas a quatrocentas mil) plaquetas, e então começou o tratamento, com cortisona em altas doses, 100ml de Meticorten por dia, uma dosagem brutal, realmente as hemorragias desapareceram, as plaquetas subiram pra 150.000 (cento e cinqüenta mil) e assim ela teve 6 meses tomando cortisona (meticorten), no fim de 6 meses não funcionou mais a cortisona, mas a cortisona tinha feito ela inchar, não vou dizer engordar, mas, inchar 40 kg, e ...mais... mesmo assim já não funcionava bem, o motivo de ter parado, por que já não funcionava, então ele substituiu a cortisona, que já não funcionava mais e as plaquetas desabaram de novo, vieram para o número mínimo, então substituiu por dois remédios, medicamentos que se usam como quimioterápico em câncer, enduxam e metroxati, aí as plaquetas subiram de novo e voltaram ao normal, por dois meses, no fim de dois meses também não funcionou . Então o médico encaminhou-a para um cirurgião que iria tirar o baço dela, porque as plaquetas são mortas no baço, por algum motivo que a medicina ainda não sabe, elas não são reconhecidas como próprias e o baço mata essas plaquetas com um dia de idade, quando elas devem viver 5 dias, e aí a medula óssea não tem a capacidade de repor essas plaquetas, que são mortas no baço muito jovens. Então a solução que se encontrou foi, única solução, fazer esplenectemia, tirar o baço, mas ela quis saber, uma moça de 20 e poucos anos com um filho de 1 ano e meio, qual a esperança dela, se havia certeza de cura, aí o cirurgião foi muito honesto pra ela, disse: olha, só há cura se o fígado substituir a função do baço, senão a senhora não vai ter uma vida que presta e vai durar pouco, ela então decidiu não fazer e voltou para Visconde de Mauá e eu mandei ela fazer a Auto-hemoterapia e no fim de seis meses ela estava boa e até hoje, depois disso teve mais dois filhos, e com seu baço, não teve que fazer a esplenectomia, tirar o baço, quer dizer, isso foi uma coisa extraordinária.

Gangrena por picada de aranha

Essa senhora, que aluga cavalos, dona Maura, e foi picada por uma aranha armadeira que é a pior das aranhas, pior do que aranha caranguejeira, viúva negra, pior do que essas, embora seja pequena, ela se chama armadeira porque ela da um bote, ela é marrom e dá um bote, ela gosta de viver no meio de madeira velha e lá como é frio no inverno tem sempre madeira pra usar nas lareiras, e ela foi picada por essa aranha, na perna, e ai gangrenou a perna dela e aí, ... realmente... só se via ossos, tíbia e ... só se via os ossos, então como não tinha antídoto o instituto Butantã manda que ampute, por não ter antídoto, então ela foi para Santa Casa amputar, mas na hora, agora é o caso curioso que eu vou contar , porque é interessante as brincadeiras, ... a dona Maura é uma pessoa...estranha mesmo, muito engraçada, mas merece contar... e ela foi certa, ela fez o que é certo, só que ela não entendeu bem o que era o motivo, então ela foi lá para amputar a perna, e na hora, ela pensou que era um curativo que iam fazer, quando disseram, ela já amarrada na mesa de operações, que era para cortar a perna, ela começou a gritar e pediu pra que a soltassem, disseram que não, que ela ia morrer se não amputasse a perna, então ela pediu que viesse lá na Santa Casa, que chamassem o delegado e ele veio e disse pra ela, bom, se a senhora assinar um termo de responsabilidade os médicos lhe liberam, mas a senhora vai ter que assinar um termo de responsabilidade, porque eles dizem que a senhora vai morrer gangrenada, e ela resolveu assinar, e voltou para Mauá pensando em morrer.

E aí, me mandaram, e eu fiz a Auto-hemoterapia nela, só que eu me lembrei aí juntei mais outro recurso, me lembrei que tinha um médico francês cirurgião de guerra de 14(1914) á 18(1918) que chamava-se ‘Pier Dulbet’ (?), que salvou inúmeros membros amputados com uma solução com cloreto de magnésio que ele fazia com 20 gramas com 2 litros de água para ficar isotônico. Ele lavava as feridas com esse cloreto e ele salvou inúmeras pessoas que tinham gangrena, então eu acho que juntou as duas coisas, a ação dessa solução que funcionava como um poderosissímo desinfetante e a auto-hemoterapia que funciona como um poderoso estímulo imunológico, então juntou as duas coisas e em mais ou menos em duas ou três semanas a dona Maura tava com a perna curada. Mas e aí, vem o lado da brincadeira, ela marcou consulta no médico, que estava fazendo o que o instituto Butantã mandava fazer. Então marcou consulta lá no consultório particular do médico, esperou ter bastante gente na sala e disse para o médico: olha a perna que o senhor me ia cortar era essa aqui! Mas, ela é fazendeira então ela disse assim: se o senhor há muito tempo não cortava a perna de ninguém, e precisava praticar na minha perna, era só me dizer que eu trazia um porco e o senhor teria quatro pernas pra amputar. Essa é Dona Maura, ela fala o que ela pensa mesmo, achou que... mas não foi nada disso... O médico achou que tinha que amputar mesmo, mas ela... interpretou que ele queria praticar na pena dela. Que há muito tempo ele não amputava a perna nenhuma...

Tem aplicação na esclerose múltipla?

Tem mas não é a mesma coisa não, é porque é uma doença degenerativa, não é portanto uma doença auto-imune, auto-agressão por anticorpos não, é uma doença que a bainha de mielina, a parte branca dos nervos é destruída, se supõe, é genético, que a pessoa já nasce com uma tendência que,... há uma freqüência grande nas famílias que sofrem de esclerose múltipla de ocorrer em mais pessoas, é uma doença até que dá muito mais em mulher, muito mais freqüência na mulher do que no homem, da mesma maneira que a hemofilia, a mulher não sofre, no caso, e o homem sofre, mais não transmite, e a mulher não sofre mais transmite...na esclerose múltipla é...

Agora..., eu usei em esclerose múltipla e a paciente teve um..., não houve reversão, como no Lúpus, Artrite reumatóide, não houve, mas há muitos anos ela está durando em situação boa, ela não poderia estar viva muito tempo, quer dizer pelo menos estaciona ou pelo menos retarda a evolução, há um beneficio, agora, não a ponto, igual como nas doenças auto-imune, aí o resultado é mesmo muito bom, muito muito bom...

Menina com asma muito grave

Essa menina teve o que se chama, mal asmático, é uma asma extremamente grave, vivia se internando para ir para o oxigênio, uma coisa grave mesmo, de madrugada ela tinha que levar a menina..., então alguém me indicou porque eu faço tratamento de asmas e sempre uso a auto-hemoterapia nesses casos, então a mãe levou essa criança e eu prescrevi a auto-hemoterapia. Uma criança de 10 anos, ela aceitou muito bem, e começou o tratamento, e eu mandei, como era um caso muito grave, normalmente eu mando voltar 2 meses depois, nesse caso eu mandei um mês e ela não aparece. Quando chega no fim do mês ela não aparece, passando quase 2 meses, chega a mãe com a criança, mas ... constrangida mesmo, só faltando querer se enfiar debaixo da mesa, de tão constrangida. E a mãe disse: "olha, o senhor me desculpe, eu não trouxe minha filha, porque ouve um caso, e o caso foi o seguinte, eu quando fui tirar a receita da pediatra que trata ela desde os nove meses de idade, e virou amiga da família, freqüenta festas de aniversários, é uma amiga da gente..., saiu a sua receita, a médica viu a receita de auto-hemoterapia, e disse: isso não existe, pelo amor de Deus, não faça isso em sua filha a senhora vai matá e ela para mim já é como uma filha, eu gosto dela", o que é verdade, ela gostava mesmo já tinha nove anos e meio paciente dela, e ela já freqüentando a casa e tudo mais, mas isso aconteceu 3 semanas depois dela sair do meu consultório e a menina já tinha melhorado, tinha passado sem se internar esse período e ela praticamente toda semana tava internada. Bom, então a mãe decidiu não fazer, porque tinha confiança na Dra. e eu tinha sido a primeira consulta que ela tinha levado a filha e a outra era há 9 anos e meio de convivência, e não fez... Só que quando completou um mês e pouco começou ela a piorar de novo, e ai quem exigiu que levasse no consultório foi a filha, então chega a filha e: "eu quero continuar esse tratamento, eu me senti bem, eu quero continuar", então ela disse, "ahh, mas eu tenho que falar com o médico". Então eu contei a ela, nesse dia meus clientes ficaram mofando lá na sala de espera porque eu levei 2 horas com essa mãe, pra explicar o que era a auto-hemoterapia, pra ela sair acreditando que não havia risco nenhum. Tive que dar ‘n’ exemplos pra ter certeza que iria continuar, só que, a horas tantas..., ela disse para a filha, "tudo bem eu vou fazer, mas, você vai ajoelhar aqui e jurar que não vai contar a médica, e fez a filha ajoelhar e prometer que não ia contar!"

E esse segredo foi mantido um ano, eu dei alta para ela, um ano depois, curada, não tinha mais nada, nunca mais teve falta de ar. Mas aí, só que a mãe chegou com problema de consciência, no final de um ano quando eu dei alta: "se agora a médica acha que o que curou foi o tratamento dela que levou 9 anos pra fazer efeito, mas finalmente acabou fazendo efeito, porque ela tem certeza que eu não continuei com aquele tratamento, isso para mim é um problema de consciência, porque ela tem tantas, ela é uma alergista, tem tantos pacientes com o mesmo problema que poderia se beneficiar, e eu estou com um problema de consciência."

Aí eu disse pra ela: Bom o problema é seu, não é meu, a senhora que tem que contar! "Mas eu fiz minha filha jurar que não ia contar, como é que eu vou fazer com isso? Ela também vai ter que confessar?"

Não. A senhora que fez ela jurar, o problema não foi dela, o problema é seu e eu não sei como terminou a história. Se ela acabou contando não sei. Porque eu dei alta e nunca mais a menina teve nada. Acabou a asma dela.

Dosagem da Auto-hemoterapia

As técnicas iniciais ainda empíricas em 1912, foi o Prof. Ravaut, francês, e começou lá. Ele usava em doses crescente de 1cc,2,3,4,5, até 10, ia crescendo a cada dose. Depois o Jésse Teixeira, já não fazia assim, ele dava logo uma dose única, e como a ele interessava uma dose para evitar infecções dos pós-operatórios. Então ele dava logo 10 ml de uma vez e 5 dias depois fazia mais 10ml que era como eu comecei aplicando por ordem de meu pai quando operava os pacientes, exatamente assim.

O que eu cheguei a conclusão que é que a dose varia com a gravidade do problema, vamos dizer, 5ml para uma doença que não seja muito séria, não um lupus, lupus eu só uso 10ml, miastenias graves, artrite reumatóide eu uso10ml, quando é uma alergia por exemplo, uma reação alérgica, asma, normalmente eu uso 5ml, basta, rinite 5ml, não há necessidade de doses maiores.

Num caso desesperador, como foi o caso da esclerodermia, o primeiro caso que tratei, em 1976, eu usei 20ml iniciais. Porque eu precisava dar uma resposta violenta para a paciente sair de uma situação que tava praticamente, esclerodermia fase final, não tinha nada pra se fazer, então, tudo valia.

hemot1

Pode-se fazer a auto-hemoterapia durante 10, 15, 20 anos. Eu por exemplo, tomo a muitos há muitos anos, mais de 15, 20 anos que eu tomo, faço a auto-hemoterapia. Agora...Não há nenhuma contra indicação. A gente faz, eu faço, vivo fazendo porque eu viso evitar doenças que deveriam incorporar no meu dia a dia, porque com a idade que foi avançando, passei pela idade dos acidentes vasculares. Muito bem, então eu tomava para evitar o acidente vascular, tanto cerebral quanto cardíaco. Agora eu to tomando porque também me protege contra o câncer, mantenho o sistema imunológico ativado, eu tenho sempre macrófagos prontos para devorar células que com a idade ou até jovens, até porque aparecem células cancerosas, de vez em quando, é como uma fábrica, seu controle de qualidade, existem sempre produtos que não saem corretos e tem que haver um controle de qualidade e o nosso controle de qualidade é o sistema imunológico que faz o controle de qualidade das nossas células. Então isso realmente é necessário.

Não há limite de uso, de tempo, pode se usar uma vida inteira, eu mando para os meus pacientes fazerem assim, fazer uma série de 10 aplicações depois, descansa um mês, alguns casos que nem precisa é só como prevenção descansa 2 ou 3 meses, depois fazer outra série. Seria, vamos dizer, pra usar de forma permanente, agora, com intervalos, dependendo os intervalos da finalidade com que está sendo aplicada a auto-hemoterapia. Se for apenas preventivo pode fazer intervalos grandes. Se for visando um problema ou uma doença que já houve e que tenha que ser mantida sobre controle aí faz-se intervalos menores, faz-se 10 aplicações, 30 dias de intervalo. Muitos pacientes eu começo com 10 ml na fase aguda da doença depois eu reduzo para 5 ml por semana, porque não precisa mais. E tem pacientes, agora vou dar o exemplo do caso que é da minha vizinha lá de Visconde de Mauá, ela teve uma doença que iria cegá-la, ela teve toxoplasmose e já estava com 20% da visão. Então ela e, um dia, uma amiga dela, nos encontramos na estrada e me contou a história e eu então eu prescrevi a AH para ela. Ela por conta dela, quando viu que melhorava, ela aumentou de 10ml para 20 ml, tomava 10 em cada nádega, 20 ml e ela recuperou 80% da visão e ela até hoje faz. Isso, já tem mais de 10 anos, bem mais de 10 anos, e ela até hoje ela faz isso.

O intervalo entre uma aplicação e outra é de 7 dias, casos raros é que eu faço de 5 em 5 dias, quando eu quero manter nível de macrófagos no nível máximo, acima de 20%. Quando não há necessidade disso, quando a infecção, o problema está sobre controle, eu então faço de 7 em 7 dias, porque dá para reativar no 7º dia e volta de novo aos 20%. Faltou eu explicar que no momento que se aplica a AH leva 8 horas para a taxa de 5% (dos macrófagos) chegar a 22%, cada hora vai subindo. A técnica que o Jésse Teixeira usou para comprovar a ação da AH foi uma coisa muito simples. Simples porque?, depois que a gente lê né?, porque a descoberta é que difícil. Ele descobriu que usando uma substância cáustica que se chama “cantárida” que passando na coxa forma-se uma bolha; aí o q ele fez? Ele resolveu tirar líquido da bolha e contar o número de macrófagos constatou que tinha 5%, fez vários dias, uma bolha e constatava que era 5%. Aí fez a AH e começou de hora em hora tirar umas gotas dessa bolha, a cada hora o nível de macrófagos ia subindo no fim de 8 horas chegou aos 22% e ele constatou que durante a semana toda, os 5 dias, manteve os 22%. Todo dia ele tirava, mas mantinha 20 a 22%, do 5º ao 7º é que começou o declínio, então ele fez isso em coelhos. Ele fez a auto-hemoterapia em coelhos e verificou que terminava a ação da AH quando o sangue terminava, porque ele sacrificava o coelho e verificava, bom, voltou de novo ao 5% , foi ver o local que tinha sido aplicado o sangue e já não existia mais sangue.

Mas a AH também é usada em veterinária, se usa em vaca que tem uma doença vírus, que se chama-se figueira, é como verrugas que nascem no focinho da vaca, e que realmente prejudicam muito a vaca, aplicando a auto-hemoterapia que eles fazem com 20ml na vaca, em 2 a 3 dias caem toda a figueira, cai todas aquelas verrugas que a vaca tem, desaparece tudo, isso é um uso veterinário.

Em músculos do braço, eu as vezes tenho paciente que quer que eu aplique os 10ml, logo num músculo, num braço só pra não levar duas picadas. E eu sou contra! Acho que 5, o músculo do braço, o deltóide, comporta 5ml, bem, não há problema nenhum. Agora na nádega sim, a gente pode aplicar os 10ml, o músculo glúteo, têm a capacidade de receber 10ml. A Dona Ml, essa que eu contei da toxoplasmose, ela aplicava 10cc em cada nádega, porque ela queria ter o efeito o máximo que podia para salvar a vista dela, queira salvar a visão, mas foi ela mesma, isso não fui eu quem receitei 20ml assim não, isso foi a própria paciente que decidiu tomar de 20ml, pra ter um resultado mais eficiente.

Então, a dosagem, há casos que eu acredito, e dependendo também, teria que ser feito um estudo, qual a necessidade real, por exemplo, se tem relação essa quantidade? E uma coisa que eu já venho pensando nisso, qual seria a relação entre o peso corporal? Porque as dosagens dos medicamentos variam em função do peso corporal, a dosagem que uma criança toma, de 30k, é muito menos que uma pessoa de 70k. A Auto-hemo, talvez seja desnecessário, em crianças pequenas ser uma dosagem como se dá em adultos de 5ml, poderia aplicar 2, 3 ml, isso tudo é, a minha esperança, é que essa nossa fita aí e essa divulgação que vai resultar disso, que interesse pessoas que queiram fazer uma pesquisa de laboratório sobre isso e que tenham condições de fazer. Porque eu não, eu faço tudo na base do estudo clínico, na base de raciocínio, sem pesquisa de laboratório, sem nada, porque eu não tenho laboratório para isso, eu não tenho laboratório de pesquisa, é tudo pesquisa clinica, da aplicação prática. Todos os meus estudos vêm de aplicação prática.

Como eu tenho certeza de que é uma técnica absolutamente inocente, que nenhum mal faz para a pessoa, nunca vi nenhum problema, eu então.... a gente que diz, bom, mas, se uma injeção de penicilina pode dar um choque anafilático, pode, mas o próprio sangue não dá choque anafilático em ninguém, não há o menor risco nesse tratamento. Nunca vi nenhum abscesso, nenhuma contaminação, porque que não há abscesso? Porque como estimula o sistema imunológico, mesmo que ela seja aplicada mal, e não deve ser.... deve ser aplicada nas melhores condições de higiene... mas se for mal aplicada, dificilmente vai haver uma infecção, porque o sistema imunológico está aguerrido, está quadruplicado. Então, é por isso que dificilmente....é.. eu nunca vi até hoje nenhum problema,... já vi sim, pacientes que não podem ver sangue, e quando vão tomar injeção, desmaiam, mas aí é problema emocional, não tem nada haver com a auto-hemoterapia com efeito sobre o equilíbrio da pessoa. Não tem nada haver, mas então, realmente, eu acho que é de grande valor essa técnica, eu espero que agora a gente tenha uma divulgação grande.

Alexandre Fleming e a descoberta do antibiótico

Ele foi um filho de jardineiro que chegou a Lorde, porque jamais um filho de jardineiro tinha chegado a Lorde, graças ao bendito afogamento de Winston Churchill, que tinha 8 anos de idade quando caiu no poço, e ele tinha 10 anos, o Alexandre Fleming tinha 10anos, ele era filho de jardineiro do pai de Winston Churchill, que chamava-se Lorde Churchill, ele salvou Winston Churchill tirando do poço, o Lorde Churchill chamou o pai dele e disse: olha, a vida do meu filho não tem preço, felizmente "né", porque Hitler se deu mal graças a Winston Churchill, a vida do meu filho não tem preço, peça alguma coisa que eu lhe darei, se quiser uma casa eu lhe darei uma casa, ele disse não, eu não preciso de casa, eu já nasci aqui, meu pai nasceu aqui, meu avó é que foi o primeiro que trabalhou aqui. Eu preciso é conseguir atender um desejo de um filho meu, eu tenho quatro filhos, três vão ser operários como eu, não tem interesses, mas o Alexandre, desde pequenininho ele diz que quer ser médico e quer ser pesquisador, desde pequeno, e eu não teria a menor condição de atender ao desejo dele. Aí disse o Lorde Churchill: Então ele será, se tiver capacidade, ele será, por falta de dinheiro é que não haverá problema.. então, ele se formou em medicina, o Alexandre, e com a humildade dele, graças a humildade dele, que ele descobriu a penicilina.

Porque o Lorde Churchill ofereceu para ele qualquer quarto da mansão, nos 100 quartos na mansão dele e o Alexandre disse, não eu...isso foi contado pelo próprio Alexandre no Hospital do Servidor do Estado em 1951, na rua Sacadura Cabral. Então Lorde Churchill disse você escolhe uns dos 100 quartos, não, o Senhor às vezes enche isso aí de convidados, fica tudo lotado, basta um lugar debaixo da escada, eram duas escadas em curva que subiam para o segundo andar, e ele disse, ali debaixo tem espaço suficiente para montar o laboratório, e por sorte aquilo era um lugar muito úmido, e ele fazendo experiências com placas de cultura, devido a umidade, um fungo que adora umidade que é o penicilium notacum, destruiu uma daquelas placas de cultura de determinado micróbio foi destruído pelo fungo ...ele como era um pesquisador em vez de jogar fora com raiva, a parte estragada ele quis saber porque que tinha havido aquele halo de destruição, e encontrou esse fungo e descobriu que esse fungo secretava uma substância, o penicilium notacum, que chamava-se penicilina, então ele começou a usar os antibióticos em vacas e cavalos do jóquei clube de Londres, e vacas das fazendas das imediações com alguma doença infecciosa, pneumonia e tudo ele usava...


Pneumonia


Até um dia que aparece para buscá-lo o comandante da Royall Air Force, pra buscá-lo, pra ele aplicar a penicilina em Winston Churchill que estava morrendo no Norte da..., Winston Churchill tinha ido dar apoio moral ao Marechal Montgomery, o inglês, que estava levando a pior com o marechal Homell, a raposa do deserto de Hitler, e ele foi lá para da apoio e contraiu uma pneumonia dupla e lá não tinha mais recurso, tava praticamente desenganado, aí, ele e o comandante da Royall Air Force sozinhos atravessaram por cima da Europa, passando por zonas ocupadas pelos alemães, mas em grande altitudes pra não..., eles poderiam contorna pela Espanha dando a volta por regiões não perigosas, mas eles passaram por cima e ele chegou a tempo de aplicar em Wilson Churchill, só que ele com a simplicidade ele disse ao comandante da Royall Air Force, mais logo Wilson Churchill vai ser o primeiro ser humano a receber uma injeção de penicilina?, logo Wilson Churchill nosso primeiro ministro? Ele me disse, mas é tudo ou nada, o caso dele ele está perdido, e assim ele salvou pela segunda vez Winston Churchill, a primeira no poço que resultou nele estudar medicina, e depois salvou... e assim, ele .. agora... aí é que vem o lado importante, aí ele diz o seguinte, que as pesquisas dele tinha constatado que os micróbios ao longo de 10 dez anos iam criando resistência aos antibióticos, mais também tinha constatado que depois eles perdiam a memória, se ficasse um tempo sem usar, o antibiótico, então que todo antibiótico deveria ser usado num prazo máximo de 10 dez anos e depois descontinuado se possível, alguns anos, ou se possível, até 10 dez anos já que muitos outros antibióticos iam surgir, porque aí, desde que descobriu o mapa da mina, que é fungo produzindo um antibiótico os outros fungos também produziam efeito mortal sobre os micróbios, foi o que ele descobriu, por isso que surgiu essa quantidade enorme de antibióticos, tudo na base de fungos, então era só fazer isso, mais a ganância, resultou em usar o antibiótico permanentemente, não descontinuar e com isso os micróbios criaram resistência e hoje já há até, dizem de brincadeira os médicos que trabalham em hospital, até micróbios residentes, que já até adoram os antibióticos, já não são nem resistentes, são residentes ... então isso é que foi a história contada por Alexandre Fleming, o descobridor da penicilina, e foi a penicilina, os antibióticos é que levaram a descontinuar o uso da auto hemoterapia, quanto o normal, o que certo seria, era acrescentar, somar e não substituir, porque? Por que cada um age de uma forma diferente, os antibióticos agem impedindo reprodução dos micróbios e o sistema imunológico é que aproveitando o enfraquecimento, a pouca quantidade de micróbios e sendo ativados o seu sistema imunológico pelo próprio micróbio e dando tempo pra isso, pelo fato do antibiótico controlar a reprodução do micróbios, ele então cria, ele devora depois, o ‘macro’ e ‘fagos’, ‘macrófagos’, o termo é: ‘macro’ é grande e ‘fagos’ é comer, come partículas grandes, quer dizer, o macrófago aí devora o micróbio, aproveitando o fato do antibiótico, quer dizer, se tivesse continuado usando a Auto-hemoterapia junto com os antibióticos até haveria muito menos casos de resistência ao antibiótico, porque não sobrariam cepas resistentes que depois se reproduzem em outras cepas resistentes de micróbios.


Prevenção do câncer pela AH


O câncer que é uma reprodução anárquica celular, se o organismo da pessoa não reconhece essas células como próprias e começam a destruí-las no nascedouro a pessoa pode produzir células chamadas pré-cancerosas e terminar aí, não chegar a células cancerosas, se o sistema imunológico tiver devidamente atuante. O câncer é muito mais freqüente, quando com a idade, uma glândula que comanda o sistema imunológico, que é uma glândula no peito que chama Timus, exatamente aqui o Timus, (ele aponta no peito o local do Timus) começa a atrofiar, aí que começa a freqüência dos casos de câncer aumentar.

Mas, então o câncer é isso, o sistema imunológico estando ativado, vamos dizer, é uma prevenção quanto a um possível câncer, porque o câncer não começa logo com uma quantidade enorme de células anárquicas, começa com pequeno número, se o sistema imunológico estiver vigilante e acabar com ele logo, mas isso também depende da idade da pessoa, se o Timus ainda não atrofiou, se o sistema imunológico ainda esta em plena atividade porque depois dos 55 anos começa o declínio do Timus, ele vai atrofiando. Aí a razão no homem, por exemplo, o câncer de próstata, e na mulher ter muito câncer de mama e tudo o mais, e que até dá antes na mulher por causa... a mulher foi vitima da pílula anticoncepcional, que também exige muito do sistema imunológico, se a mulher tomasse a pílula e fizesse a AH, não teria problema, porque manteria o sistema imunológico ativado, mas a pílula exige muito do sistema imunológico que é um hormônio químico, exige trabalho, trabalho de lutar contra o excesso de hormônios. Então o sistema poderia fazer o controle disso evitando que a pílula tivesse os efeitos nocivos que tem como todo hormônio, todo hormônio artificial tem efeitos nocivos, por isso que hoje se está usando na menopausa mais o hormônio natural de fitoterápicos isoflavonas e tudo, e fugindo do hormônio de reposição química, então realmente no câncer mantendo o sistema imunológico ativado, principalmente depois dos 50 anos, eu acho, pra mim a auto-hemoterapia, pelo menos depois dos 50 anos quando começa o declínio do Timus, era hora de começar o tratamento, da Auto-hemoterapia.


Um caso de acne


Eu fui anos atrás... eu, sempre fazia uma parada para fazer um lanche quando ia para Visconde de Mauá num posto de gasolina que tinha também lanchonete lá, que chama –se “Olá”. Muito bem, paramos ali, e eu vejo uma menina...um horror....mas olha, ela era violeta, violácea a pele, mais uma coisa,... eu nunca tinha visto acne igual, nunca, pior, nunca vi, até hoje. Eu vi aquela menina, eu digo, coitada uma menina tão novinha com certeza uma menina pobre, não tem recurso e está assim, está desse jeito, eu vou fazer um ato de caridade. Eu vou dar uma receita para ela, embora ninguém esteja me chamando pra dar receita, eu vou dar uma receita porque eu curo isso com Auto-hemoterapia tranquilamente, então falei com uma mocinha gordinha que estava nos servindo e disse: olhe fala com ela lá que eu posso curar esse problema dela o rosto, e eu dou isso de graça, mal eu sabia que essa menina era filha, veio a mãe dela, ela era filha do dono dos postos de Olá, o posto Embaixador e o posto Presidente, onde existia lá... Olá, onde existia até o Mac Donald. E veio lá, e não era falta de dinheiro não, e aí a mãe disse: de dois e dois meses nós levamos ela ao Rio, vamos a um dermatologista, mas tem dois anos que levamos e não tem havido melhora nenhuma, está desse jeito ali. Então eu vou lhe dar uma receita, a senhora não pediu nada, eu vou dar uma receita pra sua filha, e dei a receita da auto-hemoterapia para ela, que chamava-se Claudia. Bom, resultado, dessa menina foi a receita mais cara que até hoje eu já prescrevi, porque durante um ano eu não consegui pagar nada no posto Olá, chegava lá na caixa, o dono do posto já tinha deixado a ordem, não receber dinheiro meu de jeito nenhum. Até que um ano depois eu decidi nem ir mais lá ao posto, porque já estava constrangido de não poder pagar. Quando ela se curou dessa acne terrível, ficou limpa completamente, foi uma coisa milagrosa, completamente milagrosa, o pior caso de acne que já vi na vida.


Cloreto de magnésio


O magnésio é de enorme importância no uso do dia a dia, todo mundo deveria tomar, porque os alimentos hoje estão pobres de magnésio, o motivo é simples demais, é que as plantas precisam muito do magnésio, para respirar o mecanismo clorofílico dela, a fixação do gás carbônicos e eliminação do oxigênio fazendo ao contrário do que nós fazemos, nós fazemos usando ferro, o mineral é o ferro para fazer esse mecanismo de respiração, glóbulos vermelhos, que faz o mecanismo respiratório, na planta quem faz é a clorofila que é a base do magnésio, basicamente do magnésio que é a estrutura mesmo dela, acontece que o que se usa hoje em dia, o adubo químico que se usa hoje em dia é o NPK, Nitrogênio, Fósforo e Potássio não se repõe o Magnésio na terra e acontece que antigamente quando as cidades eram todas de casas, as casas tinham fossa e esses magnésios que a gente elimina pelas fezes voltavam para o lençol freático, mas hoje vai tudo para os rios e para o mar, então está havendo uma pauperização (empobrecimento) crescente de magnésio nas terras, por não se repor o magnésio. As duas razões mais importantes dele é: ele regula o metabolismo do cálcio no organismo, ele que fixa cálcio onde deve haver e elimina cálcio onde não deve haver. Então, as calcificações de coluna, as calcificações das articulações, as calcificações das artérias, ocorre por essa carência de magnésio, as calcificações dos rins, oxalato de cálcio, cálculos, pedras de oxalato de cálcio nos rins é falta de magnésio, basta dar magnésio para o paciente, que ele derrete esses cálculos renais, que não seja os de urato e fosfato, que seja de oxalato de cálcio, aí é falta de magnésio.

PARTE 3

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Publicidade