O afogamento seco é bastante perigoso e pouco conhecido

afogua1Por Gustavo Teixera - Há poucos sentimentos mais desagradáveis do que se afogar. Aqueles com insuficiência respiratória vão entender. Eles sabem como é parar de viver por alguns segundos, minutos ou mesmo horas. O que é afogamento seco? Há duas maneiras de ter um afogamento seco: o primeiro é quando algum líquido é sugado para dentro dos pulmões, o que provoca asfixia.

Ele também pode ser por edema pulmonar. A segunda acontece quando as causas são paralisia muscular, apneia, a exposição prolongada a um gás tóxico e outras razões. A verdade é que não é um afogamento seco literalmente, mas há uma boa razão para isso.

Por que ele é chamado de afogamento seco?

O caso mais famoso de afogamento seco em foi responsável por este nome está espalhada entre a população. Foi o que aconteceu em 2008 na Carolina do Sul. Um menino de 10 anos morreu várias horas depois de sair na água. A verdade é que este não é um afogamento em seco, mas talvez um caso claro de laringoespasmo causado pela apneia. O menino morreu várias horas depois de nadar na água devido a um edema pulmonar, que foi causada por uma lesão nos pulmões. Ele engoliu água,que infelizmente foi para os pulmões e a quantidade de líquido causou posteriormente um edema pulmonar. Portanto, neste caso, a criança sofreria um caso de afogamento secundário ou afogamento molhado em vez de seco.

Leia também - As Vantagens e Desvantagens de corrigir ou "turbinar" os seios com silicone

Quais são os sinais de afogamento seco em crianças?

Uma vez que é muito mais comum em crianças do que em adultos, há uma série de sinais a ser reconhecida depois de um banho ou excessiva ingestão de água por uma criança. Se tiver dificuldade em respirar, cansaço, sonolência, tosse e falta de atenção ou dificuldade em pronunciar palavras, recomendamos que você procure um médico para identificar a possibilidade de afogamento seco.

 

Sabia que é possível se afogar mesmo sem estar dentro da água

 

Drª. Beatriz Beltrame, pediatra - É possível se afogar mesmo sem estar dentro da água, uma condição chamada de afogamento secundário ou afogamento à seco. Este tipo de afogamento pode ocorrer até 3 dias após a pessoa ter estado dentro da água e ter inspirado mesmo que pequenas quantidade de água, e apesar deste tipo de afogamento ser raro, ele é mais comum em crianças.

O afogamento a seco pode acontecer após um episódio de 'quase afogamento', onde a pessoa bebe e inspira água, mas sem realmente se afogar. Neste caso a água doce ou salgada chegar aos pulmões, causando inchaço das vias respiratórias, levando ao ao edema pulmonar e a pessoa fica asfixiada. Além disso, os produtos químicos presente nas piscinas pode causar uma reação alérgica deixando os pulmões sensibilizados e irritados, agravando o quadro.

Sinais que podem indicar afogamento secundário

A pessoa que apresenta um afogamento a seco pode inicialmente conseguir falar e comer normalmente, mas após algum tempo pode apresentar os seguintes sinais e sintomas:

Dor de cabeça
Sonolência
Cansaço excessivo
Dificuldade para respirar
Dor no peito
Tosse
Sinais de alteração cerebral como dificuldade para falar e se comunicar
Pode haver febre

Estes sinais e sintomas podem surgir até 3 dias depois de um episódio de 'quase afogamento' que pode acontecer em praias, lagos, rios ou piscina, em caso de acidente com água ou até mesmo após a inspiração do próprio vômito, uma situação que pode acontecer em pessoas desacordadas ou extremamente sonolentas devido ao efeito do excesso de álcool no organismo.

Leia também - O que nós amamos na cama

O que fazer se suspeitar de afogamento secundário

Deve-se chamar o SAMU ligando para o número 192 explicando o que está acontecendo ou levar a pessoa imediatamente para o hospital para que sejam realizados exames como o raio-x e oximetria para verificar a função respiratória. Após o diagnóstico o médico pode receitar uso de máscara de oxigênio e medicamentos como Furosemida para facilitar a retirada de líquido dos pulmões, em alguns casos pode ser preciso respirar com ajuda de aparelhos.

Sintomas

Os sintomas começam a surgir quando a pessoa sai da água, entre uma a 24 horas após ter estado na água. Esses sintomas incluem tosse constante, dor no peito, dificuldade em respirar, sensação de fadiga extrema e sonolência (devido ao cérebro não estar a receber oxigénio suficiente) e alterações comportamentais, como maior irritabilidade, por exemplo.

O QUE FAZER ?

Caso a criança exiba sinais de estar a sofrer de afogamento seco, o recomendável é levá-la de imediato ao médico. Na maioria dos casos, os sintomas são ligeiros e acabam por desaparecer por si. Caso isto não aconteça, os problemas mais graves que podem surgir são tratáveis caso se procure ajuda médica de imediato (nas urgências e não no pediatra). É importante prestar muita atenção à criança nas 24 horas após esta ter tido problemas relacionados com a água. Será feito um exame de raio-X ao peito da criança e está ficará em observação, para que se verifique que as vias respiratórias estão limpas e se vigie os níveis de oxigénio.

Medidas Preventivas

A prevenção é a melhor medida a tomar em relação ao afogamento seco. As seguintes medidas são importantes:

Prestar muita atenção à criança quando está perto da água;
Em praias ou piscinas, só permitir que a criança vá nadar se houver nadadores-salvadores na área;
Nunca deixar a criança nadar sozinha;
Inscrever a criança em aulas de natação;
Nunca baixar a guarda, mesmo que a piscina não seja funda. Os afogamentos secos podem ocorrer em qualquer tipo de águas (em banheiras, pequenas piscinas de plástico, etc.).

 

Mar e Piscinas: Fique atento aos sinais de 'afogamento seco' nas crianças

 

07/06/2018 - É um fenómeno tão raro como perigoso. Pode ocorrer até 24 horas depois de se sair de dentro de água. Mais comum nas crianças, o chamado ‘afogamento seco’ dá sinais antes que seja demasiado tarde. Fique atento. Muitos pais não descansam enquanto os filhos não terminam a aula de surf ou saem da piscina depois da natação. Só então respiram fundo e deixam de estar de prevenção como nadadores salva-vidas temporários. No entanto, sabia que o afogamento pode acontecer várias horas depois de uma pessoa sair de dentro de água? É verdade.

O chamado afogamento seco nada tem a ver com areia ou com calor, mas sim com água. Trata-se de um afogamento com fluídos nos pulmões que acontece não durante a submersão na água, mas até 24 horas depois. O afogamento designa-se por seco porque acontece já fora da água.

Leia Também - Fruta do Milagre

Há duas maneiras de sofrer um afogamento seco: o primeiro é quando algum líquido é sugado para dentro dos pulmões, o que provoca asfixia. A segunda acontece quando as causas são paralisia muscular, apneia, a exposição prolongada a um gás tóxico e outras razões. A verdade é que não é um afogamento seco literalmente.

Uma vez que é mais comum em crianças do que em adultos, há uma série de sinais que podem ser reconhecidos depois de um banho ou de excessiva ingestão de água por uma criança. Se tiver dificuldade em respirar, cansaço, sonolência, tosse, falta de atenção ou dificuldade em pronunciar palavras, recomenda-se que procure um médico para identificar se está perante a possibilidade de um afogamento seco. O mais assustador neste tipo de afogamento é ele poder ocorrer 24 horas depois de se estar dentro de água. Pode acontecer, até, enquanto a criança dorme. A água nos pulmões pode induzir o vómito, seguido de asfixia. A prevenção é a chave e a regra de ouro nunca deixar uma criança sem vigilância.

 

Fonte: http://www.jornalciencia.com
           https://www.tuasaude.com

           ttp://www.jornalciencia.com
           https://www.e-konomista.pt
           https://lifestyle.sapo.pt

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Mundo

Publicidade