SORRISO: Um Remédio para o Corpo e a Alma !!!

rirAo escutar uma piada, daquelas que nos fazem disparar a rir, são produzidos na boca uma série de sons vocálicos que duram de 1/16 segundos e repetem a cada 1/15 segundo. Enquanto os sons são emitidos, o ar sai dos pulmões a mais de 100 Km/h. Uma gargalhada provoca aceleração dos batimentos cardíacos, elevação da pressão arterial e dilatação das pupilas. Os adultos riem em média 20 vezes por dia, e as crianças até dez vezes mais. Rir é um aspecto tão inerente à existência humana que esquecemos como são interessantes esses ataques repentinos de alegria. Por que as pessoas riem quando escutam uma piada? Segundo o escritor húngaro Arthur Kostler (1905-1983), o riso é um reflexo de luxo, que não possui utilidade biológica.Entretanto a Natureza não investe em algo inútil, acredita-se que o impulso de rir possa ter contribuído para a sobrevivência no decurso da evolução. A gelotologia que pesquisa sobre o riso, aponta que esta é a mais antiga forma de comunicação. Os centros da linguagem estão situados no córtex mais recente, e o riso origina-se de uma ...

parte mais antiga do cérebro, responsável pelas emoções como o medo e a alegria. Razão pela qual o riso escapa ao controle consciente. Não se pode dar uma boa gargalhada atendendo a um comando, muito menos é possível reprimi-la.

O riso pode apresentar um aspecto físico, cognitivo e emocional. Acontecimento este, que não reduz o senso de humor a uma única região do cérebro.

Rir, achar algo engraçado, é um processo complexo, que requer várias etapas do pensamento.

O hábito de rir ultrapassa os limites da alegria, auxilia pessoas que apresentam quadros depressivos e síndrome do pânico. Segundo pesquisadores, a risada expande as artérias e o estresse mental as contrai.

Liberação do ar, contração do diafragma e estímulo das cordas vocais são resultados sentidos em todo o corpo, depois de uma boa risada. Vários estímulos são percebidos ao rir, e estes percorrem por todo o cérebro, essencialmente a parte do comportamento que está ligada a região frontal do mesmo, estimulando assim as áreas motoras da face e de outras partes do corpo. A melhoria do equilíbrio da neurotransmissão é favorecida através da liberação de endorfinas. A risada pode elevar o astral, a auto-estima e o amor próprio das pessoas.

A pessoa bem humorada encontra respostas criativas, quando o lado direito do cérebro é estimulado, ele consequentemente desperta a intuição, o sentimento, a percepção e a sensação.

Riso terapêutico

A prática do riso terapêutico foi trazida do Japão. O mestre Meishu Sana criou, em 1945, a Sociedade do Riso Feliz, que reunia pessoas para contar histórias engraçadas. Silva é seu seguidor há 40 anos e reúne o próprio grupo no Brasil desde 1994.

"No começo eram poucas as pessoas preocupadas com qualidade de vida, desenvolvimento da espiritualidade e saúde física e mental", conta. "Mas percebi que elas estavam mudando e se tornando mais bem-humoradas. De repente o grupo começou a crescer."

Depressão

Priscila Carvalho, atriz, de 31 anos, teve depressão por 10 anos, hoje ensina a técnica para colegas e afirma que é importante gargalhar todo dia. "É muito fácil você viver zen, conectado com a natureza e consigo mesmo no Tibete, mas eu quero isso na cidade. Aprender a rir muda a química do cérebro. Hoje consigo me controlar, por exemplo, no trânsito. Está engarrafado? E daí? Vou chegar atrasada de qualquer jeito, o que adianta ficar estressada?"

A gerente de vendas Maria Mitsuco Yamue de Angeli, de 55, também ensinou a prática a outras pessoas e, com três meses de risadas, suspendeu os remédios para ansiedade. Ela havia ido ao cardiologista, achando que tinha sintomas de enfarte, mas ele diagnosticou estresse e depressão e a medicou.

Maria procurou um psiquiatra e começou a fazer terapia de grupo. E levou os exercícios do Clube do Riso para o pessoal da terapia. Para não incomodar os vizinhos, ela dá risada no banheiro. "Como lavo os cabelos todo dia, dou risada quando ligo o secador", revela.

Todo o corpo

Dar uma boa gargalhada envolve todo o corpo. Há liberação do ar, contração do diafragma e estímulo das cordas vocais. Segundo o neurologista Ivan Hideyo Okamoto, do Hospital Albert Einstein, ao rir, a pessoa capta uma série de estímulos, que caminham por quase todo o cérebro, principalmente na região frontal, a parte do comportamento, e entre esses caminhos estimula as áreas motoras da face e de outras partes do corpo. Ao mesmo tempo, há liberação de endorfinas, o que melhora o equilíbrio da neurotransmissão.

 


Fonte: http://www.brasilescola.com/curiosidades/a-eficacia-riso.htm
       http://www.brasilescola.com/doencas/rir-faz-bem-para-saude.htm
       http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2004/12/297519.shtml

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Mundo

Publicidade