Carro movido a água salgada fez 150 mil quilómetros sem poluição

carsal12018 - A ideia de usar água como combustível é antiga, mas não é fácil de transportar para a prática. Neste momento, apenas um construtor está a testar um carro do género, a nanoFlowcell, uma marca experimental que acabou de completar 150 ...

mil quilómetros em testes de estrada com o seu modelo mais recente, o citadino Quantino. O sistema da nanoFlowcell funciona como uma célula de combustível, mas usa água salgada ionizada em vez de hidrogénio. Neste caso, o líquido com iões positivos fica separado do líquido com iões negativos. Quando ambos passam por uma membrana, os iões interagem, gerando energia elétrica que é usada para mover o automóvel. O resultado final é água, tal como numa célula de combustível de hidrogénio, permitindo ao automóvel funcionar com emissões zero e reabastecimento rápido. Desde 2014 que a empresa alemã tem vindo a desenvolver protótipos, como o desportivo e-Sportlimousine, o crossover Quant F e o compacto Quantino. Estes têm sido testados em estrada, com o Quantino a mostrar a validade do conceito. Depois de ter completado 100 mil quilómetros em agosto do ano passado, o carro alemão atingiu agora os 150 mil quilómetros em meio ao tráfego. Durante os testes, conseguiu percorrer 1000 quilómetros durante 8 horas e 21 minutos, sem necessitar de reabastecimento. O Quantino tem espaço para quatro pessoas no interior, com um motor de 80 kW (109 cv) para um peso de 1421 kg, o que não o impede de ultrapassar os 100 km/h em apenas cinco segundos. A nanoFlowcell quer começar a produzir este automóvel em série a médio prazo.

 Leia também - Bateria transforma entropia em eletricidade

Como funcionam os carros alimentados a água salgada?

carsal6

06/07/2018 - A aprovação europeia chegou em 2014 e, dois anos depois, um protótipo comprovou que a água salgada pode mesmo ser uma alternativa aos combustíveis tradicionais. Parece um elétrico, mas não dispõe nem de bateria nem é alimentado a eletricidade da rede. O combustível é água salgada, ainda que não se pense que para o abastecer bastará ligar uma mangueira ao mar… Trata-se de uma solução salina, efetivamente, mas desenvolvida em laboratório e designada por bi-ION. Já a bateria é substituída por seis células alinhadas num dispositivo do tamanho de uma caixa de sapatos, batizado de NanoFlowcell, cuja origem remonta a um concept patenteado pela NASA, durante a década de 1970, quando a agência espacial procurava formas eficientes de armazenar energia. No fundo é um elétrico, mas um que produz internamente a energia com que se alimenta.

bi-ION é água do mar?

carsal2

Mas comece-se pelo líquido que abastece os dois tanques presentes no automóvel. Trata-se de bi-ION, uma solução eletrolítica salina que, ao contrário do que se possa acreditar, não tem nada a ver com a água do mar. Resultado de duas décadas de investigação e de desenvolvimento no campo da nanotecnologia molecular, o bi-ION não é tóxico nem inflamável, apresentando-se como "amigo do ambiente". E, cereja no bolo, extremamente económico de produzir: a marca estima um custo de produção, matéria-prima incluída, de menos de dez cêntimos cada litro (um dado que pode deixar adivinhar um igualmente baixo custo de comercialização uma vez que o seu transporte e armazenamento não requerem especiais cuidados, ao contrário do que sucede, por exemplo, com o hidrogénio).

E para que serve o bi-ION?

O bi-ION é um líquido de condução de energia à base de sais orgânicos e inorgânicos dissolvidos em água que inclui ainda eletrólitos e que foi modificado em nanopartículas. Ou seja, através da nanotecnologia, o bi-ION adquire uma densidade mais elevada do que os líquidos eletrólitos convencionais, sendo capaz de transferir dessa forma mais energia. Atualmente, a empresa afirma conseguir uma densidade de energia de 600 watt-hora por litro de bi-ION, o que permite que uma NanoFlowcell tenha capacidade para assegurar cinco vezes mais autonomia do que uma comum bateria de iões de lítio a um mesmo automóvel elétrico.

Como funciona?

O NanoFlowcell é um sistema de armazenamento de energia para aplicações móveis ou imoveis que, ao contrário do que acontece com as baterias convencionais, é alimentado com energia na forma de eletrólitos líquidos que podem ser armazenados longe da própria célula. Os líquidos eletrolíticos são divididos por dois tanques, dependendo da sua carga - positiva ou negativa -, sendo bombeados por circuitos separados através de um conversor. Quando chegam a este, uma membrana permeável divide-os e, quando passam por esta, dá-se a troca de iões, convertendo a energia química em eletricidade, ficando esta automaticamente disponível.

Fórmula mantém-se secreta

A fórmula química exata, porém, mantém-se no segredo dos deuses, com a empresa a sustentar que, sendo financiada exclusivamente por capital privado, não quer requerer patente antes do início da comercialização, considerando a reserva de informação para já a melhor proteção. No entanto, não se julgue que a vontade da empresa passa por manter o segredo para sempre. Pelo contrário, a NanoFlowcell Holdings admite que todas as matérias-primas que compõem a solução estão disponíveis praticamente em todo o mundo, considerando que idealmente cada país deveria poder produzir bi-ION localmente, reduzindo dessa forma o custo para o consumidor e, consequentemente, a dependência externa.

 

Quantino o carro movido a água salgada que fez 150 mil quilómetros sem poluição

carsal7

Outubro 2018 - A nanoFlowcell é uma marca protótipo do carro Quantino movido a água, neste caso a água salgada. E recentemente numa experiência o Quantino completou mais de 150 mil quilómetros em estrada tendo como combustível o recurso a água salgada.

Como Funciona a NanoFlowcell?

Leia também - Pense com a "cabeça" de cima....antes de acessar sites pornográficos

O funcionamento da tecnologia da nanoFlowcell é em tudo idêntico à de uma célula de combustível, só que recorre à água salgada invés do hidrogénio! Assim, os iões positivos ficam separados dos iões negativos, sendo que ambos ao passarem por uma membrana se misturam e interagem, e é essa interação que gera energia elétrica que permite mover o automóvel! O resultado final dessa mistura do líquido de iões gera água, tal como na célula de combustível de hidrogénio, mas tem como vantagem o facto de permitir que o veículo se movimente com zero emissões de carbono e um reabastecimento rápido!

Quando Surgiu a NanoFlowcell?

Esta é uma empresa já com algum tempo no mercado. Desde 2014 que esta empresa suiça tem vindo a desenvolver protótipos com o intuito de usarem água salgada como combustível primário.

Foram vários os protótipos desenvolvidos:

Desportivo e-Sportlimousine
Crossover Quant F
Compacto Quantino

Os três modelos têm sido testados em estrada, mas foi o Quantino o primeiro a mostrar a verdadeira capacidade do combustível a água salgada.

EM AGOSTO DE 2017 O MODELO QUANTINO FEZ 100 MIL QUILÓMETROS, SENDO QUE AGORA QUASE AO FIM DE UM ANO FEZ MAIS 50 MIL QUILÓMETROS, TENDO ASSIM UM TOTAL DE 150 MIL QUILÓMETROS

carsal8

Outra grande meta deste veículo com combustível alternativo e zero emissões de carbono, ou seja, nada de poluição, é o facto de ter feito 1000 quilómetros durante oito horas e 21 minutos ininterruptos! Ou seja, durante esses 1000 quilómetros não precisou de parar para atestar, o que comprava que também tem uma excelente autonomia!

Caraterísticas Quantino

Quanto às características desde compacto que está a revolucionar o mercado, é de ressalvar que permite até quatro pessoas no seu chassis, tem um motor de 80kW (cerca de 109 CV), e pesa pouco mais de 1400kg. Ainda assim, com essas características consegue atingir a velocidade de 100km/h em pouco mais de cinco segundos! A nanoFlowcell tem como objetivo iniciar a produção final deste modelo protótipo a curto prazo… se conseguir será uma grande revolução no mercado automóvel! É que ainda agora começaram a surgir os veículos elétricos, e se vier um veículo com estas caraterísticas, basta irmos à beira mar para atestar o carro!

 

Carro movido a água salgada é aprovado para circular nas ruas da Europa

carsal4

2014 - E se em vez de álcool ou gasolina o seu carro utilizasse água salgada como combustível? Esta é a proposta do QUANT e-Sportlimousine, um protótipo desenvolvido pela empresa nanoFLOWCELL, que recebeu na última semana uma autorização do Instituto Alemão de Certificação TÜV (Technischer Überwachungsverein), em Munique, para circular por ruas e estradas da Alemanha e da Europa. Anunciado originalmente em março deste ano no Salão Internacional do Automóvel de Genebra, na Suíça, o automóvel é um modelo elétrico com 5,25 metros de comprimento, 2,2 metros de largura e 1,35 metro de altura, calçado com rodas de 22 polegadas e portas no estilo "asa-de-gaivota" (que se abrem para cima). O veículo pesa 2.300 kg, possui aceleração de 0 até 100 km/h em apenas 2,8 segundos, pode atingir uma velocidade máxima de 378 km/h e, de acordo com a fabricante, tem autonomia de cerca de 600 km.

carsal5

No design, o QUANT e-Sportlimousine não deixa nada a desejar. Além de um mono cockpit composto por estruturas de fibras de carbono, o carro tem acabamento interno em madeira, cobre e couro. Contudo, o QUANT e-Sportlimousine se destaca mesmo por duas tecnologias inovadoras. A primeira é um conceito de "carro-trem" no qual cada uma das quatro rodas é equipada com um motor de indução trifásico capaz de gerar, em conjunto, cerca de 912 cavalos de potência. Já a segunda tecnologia é um sistema batizado de nanoFLOWCELL AG, que usa alguns princípios estudados pela NASA em 1976 para o programa espacial americano e é o mesmo que alimenta os quatro motores elétricos do carro presentes nas quatro rodas. Trata-se de um mecanismo baseado em nanocélulas de fluxo e uma bateria química em duas soluções eletrolíticas que usam água salgada para produzir energia elétrica e dar movimento com tração integral ao carro.

Todo esse funcionamento pode gerar mais autonomia que os atuais carros elétricos movidos a baterias de íons de lítio, além da emissão zero, o que deve abrir mais oportunidades para essa categoria da indústria automotiva. "Agora que o automóvel foi aprovado para uso nas estradas públicas da Alemanha e no resto da Europa, podemos entrar no planejamento detalhado com nossos parceiros, abrindo um animador novo capítulo para o futuro da eletro-mobilidade", disse o diretor técnico Nunzio La Vecchia em um comunicado oficial.

Leia também - Reator nuclear

"Este é um momento histórico e um marco não apenas para nossa empresa, mas talvez até para a eletro-mobilidade do futuro. (...) Estamos muito orgulhosos de que, mesmo sendo uma pequena empresa, tenhamos desenvolvido uma tecnologia tão visionária quanto a nanoFLOWCELL, e somos capazes, agora, de colocá-la em prática. Mas este é apenas o começo de nossa viagem de descoberta", completou La Vecchia. Os primeiros veículos começarão a ser testados em breve e, após os experimentos nas ruas, estradas e vias públicas da Europa, o próximo passo deve ser a produção em série do carro. Não foram divulgadas data de lançamento ou preço do automóvel.

 

 

Fonte: https://www.motor24.pt
           https://canaltech.com.br
           https://www.kbb.pt
           https://www.portal-energia.com

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Precisando de um notebook novo?
LNVACE10

Curta nossa página

Mundo

Publicidade