Blindagem de Veículos

blindagem1Blindagem é a tecnologia utilizada especialmente em veículos para a proteção pessoal contra armas de fogo. Criada para a guerra, a inovação em pouco tempo alcançou centros urbanos de países com altos índices de violência, como o Brasil ou a Colômbia. Tire suas dúvidas sobre blindagem de carros. Engenheiro de blindadora que está no salão esclarece principais pontos (2008) - Quem pretende adquirir um carro blindado para proteger a si e à sua família sempre tem inúmeras dúvidas: como escolher o blindado e a  blindadora? Blindado usado é mau negócio? Contra que tipo de armas estou protegido? Que tipo de blindagem é o mais comum? Posso acompanhar o processo de blindagem? 


Quem responde a essas e outras perguntas sobre o tema é o engenheiro Rogério Garrubbo, diretor da Concept Blindagens, primeira blindadora nacional a obter certificação do Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária), uma espécie de ISO 9002 das blindadoras, um setor que tem, segundo o executivo, muitas empresas pouco idôneas.

Confira a seguir perguntas e respostas sobre o tema.

Quero ter um carro blindado. Por onde devo começar?

Se sua idéia é adquirir um automóvel zero-quilômetro para mandar blindar, é preciso escolher a blindadora com muito cuidado. Uma vez com indicações nas mãos, pesquise a documentação específica do estabelecimento – se ele tem certificações no Exército, na Polícia Civil, que materiais são utilizados na blindagem, se eles são testados e aprovados.

Apenas com todas as formalidades cumpridas à risca você poderá, ao final do processo, obter o certificado de registro e fazer seguro do seu veículo. Se no momento em que você pedir algum documento a pessoa começar com um "veja bem...", é um mau sinal.

Um bom referencial para a escolha é o Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária), que começou a certificar empresas de blindagem de qualidade, uma espécie de ISO-9002 do segmento. Uma vez verificada a documentação, vale a pena visitar as blindadoras pré-selecionadas. Não se contente com o showroom. Exija uma visita à oficina. Peças espalhadas pelo chão e funcionários de bermuda, calça jeans ou chinelos são um péssimo sinal. É imprescindível conversar com o engenheiro responsável pelo processo e conhecer a empresa pessoalmente. Muita gente compra gato por lebre e fica feliz, achando que fez o melhor negócio.

É melhor blindar um carro novo, um usado ou já adquirir um veículo blindado?

A resposta depende da condição econômica. Quem estiver se apertando demais para adquirir um blindado, deve pesquisar no mercado de seminovos, pois há excelentes opções, com relação custo-benefício bastante interessante. Essa situação só é complicada para quem faz questão de andar em um zero-quilômetro. A maior diferença entre a blindagem feita hoje e a de cinco anos atrás está no peso, que ficou 50% menor nos últimos tempos.

Quanto pesa uma blindagem? É verdade que faz muita diferença no desempenho do carro?

Não, principalmente se levado em conta que não se costumam blindar automóveis pouco potentes, os famosos 1.0, por exemplo. De fato, não é recomendável blindar um veículo de potência inferior a 90 cavalos. Uma blindagem pesa em média 200 kg, o que o peso de três homens adultos supera tranqüilamente. As blindagens mais leves aplicadas a sedãs médios pesam em torno de 170 kg.

O menor veículo que se pode blindar hoje no Brasil é uma picape pequena, como a Fiat Strada. Nesse caso, o peso ficará em cerca de 110 kg. Em relação a preço, uma blindagem de primeira linha em um carro médio custa R$ 56 mil. Se a blindadora cobrar menos de R$ 48 mil, alguma coisa está errada. Pode ser a proteção ou mesmo a documentação. Afinal, ninguém faz milagres.

Posso visitar a oficina para saber como meu carro está sendo blindado?

Não só pode, como deve. Transparência faz parte do processo. Converse com o engenheiro responsável, questione sobre a procedência e a marca dos materiais empregados (aramida e vidro), verifique o carro por dentro.

Dos vários níveis de blindagem que existem, qual é o recomendado para mim?

O nível mais utilizado no mercado é o IIIA. É o que suporta em geral todos os disparos efetuados por armas de mão – ou seja, dificilmente será necessário mais do que isso em uma situação normal de violência urbana. Há outros níveis menores, mas a relação custo-benefício não compensa. O nível II, por exemplo, até oferece uma segurança satisfatória, mas a diferença de preço é de apenas 3% e o veículo perde muito mais depois, no valor de revenda. Esse nível mais baixo é arriscado em caso de ataque intensivo, com tiros muito próximos um do outro. A economia que se faz não vale o risco.

Qual é a garantia que as blindadoras geralmente dão à blindagem e aos vidros?

A garantia padrão é de três anos. Em alguns casos, como o da Concept Blindagens, essa garantia pode ser estendida por até dois anos, após uma inspeção detalhada no terceiro ano de blindagem. No momento em que o carro é entregue, o cliente recebe da blindadora toda a documentação legal, além de um manual, que é uma espécie de livreto de garantia que traz desde informações técnicas da blindagem até instruções para uso de itens como a sirene, por exemplo.

Antes de blindar um usado, convém fazer uma revisão geral no veículo?

É obrigação de uma boa blindadora ter um check-list extremamente detalhado a ser feito no futuro blindado. Isso ocorre porque, se o carro tiver algum problema – e isso pode acontecer até em um zero, não apenas no usado –, a culpa muito provavelmente será colocada na blindagem.

No que consiste a blindagem de um veículo?

Resumidamente, em proteger o automóvel nas grandes extensões opacas e cuidar para que haja intersecções nesses espaços, com proteção de "overlaps" que garantam que nenhum disparo vá atingir os ocupantes da cabine. Na parte opaca, a proteção é feita pela aramida (que tem como nomes comerciais Kevlar ou Twaron), material usado também na produção de coletes à prova de balas e na indústria aeroespacial.
O vidro, por sua vez, é um composto de policarbonato, enquanto os "overlaps" são de aço. Fala-se muito em "overlaps" como sendo apenas no espaço entre porta e carroceria, mas é muito mais do que isso. Ele se refere a qualquer sobreposição, qualquer emenda, seja nos vidros das portas, no teto ou mesmo por dentro, entre as proteções de aramida.

 

blindado1

 

Quanto tempo demora um processo de blindagem?

De 20 a 35 dias úteis. Caso queira ver seu automóvel sendo blindado, o ideal é visitar a blindadora exatamente na metade do processo.

Como identifico uma blindagem bem-feita?

Para começar, não deixe para examiná-la ao final do processo. O que não faltam no mercado são casos em que o acabamento é perfeito, mas com blindagem que deixa muito a desejar. Bons acabamentos podem camuflar blindagens ruins. Pode parecer estranho ver seu carro todo desmontado. Mas vai valer a pena e lhe proporcionará maior segurança.

Um automóvel blindado fica mais ou menos seguro em caso de colisão?

Em tese, fica mais seguro. Mas não existem testes conclusivos para validar essa hipótese. A segurança maior é proporcionada pela preservação das regiões de deformação do veículo (o que uma boa blindagem mantém) e pelo reforço no cockpit. A Concept tem alguns procedimentos importantes no tocante à segurança. A empresa não realiza, por exemplo, blindagens em veículos que não sejam equipados com airbag.

Que cuidados devo ter para conservar a blindagem, em especial os vidros?
O tempo não costuma comprometer a blindagem em sua área opaca. Mas, no caso dos vidros, é preciso tomar cuidado em relação à conservação. Eles não devem ser limpos por dentro com derivados de petróleo, pois esse tipo de material pode estragá-los.
Podem ocorrer ainda trincas nos vidros, causadas por três fatores: impacto (de uma pedra, por exemplo), choque térmico (levar a um lava-rápido um veículo exposto muito tempo ao sol) e torção na carroceria (é preciso ter cuidado com lombadas e valetas). Com o tempo, o vidro também delamina (aparecem bolhas de ar esbranquiçadas). Se isso começar a ocorrer, vale levar à blindadora para verificar se não houve perda de eficácia na blindagem.

Qual é o perfil de um usuário de carro blindado?

Na Concept, a maioria das blindagens é realizada em veículos de profissionais liberais e para corporações. Pesquisa realizada pela Abrablin (Associação Brasileira de Blindagem) no entanto, aponta que 71% são homens e 29%, mulheres. No caso deles, a maior concentração (26%) está na faixa etária dos 25 aos 29 anos, enquanto para elas a maior parte (30%) fica entre as que têm 40 e 49 anos.
Dos blindados em geral, 63% são para executivos ou empresários, 12% para político, 8% para artistas e 5% para juízes. Os carros mais blindados são Toyota Corolla, Chevrolet Vectra, Toyota Hilux e Volkswagen Passat.

Basta blindar o automóvel para sair tranqüilo às ruas?

Não, uma vez que ninguém sabe ao certo que reação terá no caso de uma abordagem. Não faltam histórias (verídicas ou não) de pessoas que acabaram abrindo a porta por se esquecer de que estavam em um blindado. É interessante realizar um curso de direção evasiva, promovido por algumas marcas de automóveis ou mesmo escolas especializadas.


Fique por dentro da blindagem de carros!


2009 - A Associação Brasileira de Blindagem, a Abrablin, contabilizou no primeiro semestre desse ano, 3147 veículos com blindagem. Em 2008 foram quase sete mil carros que receberam a proteção. O especialista Fabio Viscadi, da Tecpro Blindagens, falou sobre esse tipo de proteção e esclareceu:

1- Somente veículos com potência superior a 90HP podem ser blindados. Veículos 1.0 não devem ser blindados por causa do peso da blindagem que vai reduzir ainda mais o desempenho do carro.

2- A blindagem passa pelos seguintes processos: O carro passa por uma vistoria para verificar funcionalidade dos sistemas em geral e recebe uma proteção externa.

Algumas peças específicas são desmontadas para que a parte da lataria receba painéis balísticos, fios e tecidos Twaron® vulcanizados a base de Neopreme em nove camadas que possuem resistência balística.

Os painéis balísticos são instalados no teto integral, portas, painel inferior (altura dos pedais), caixas de rodas, pára-lamas dianteiros e painel corta-fogo. Aço inox de 3mm é colocado nas colunas, no encosto do banco e tampão traseiro, fechaduras e retrovisores das portas, em toda a borda do pára brisa, vigia, portas e vidros fixos. Esse processo é chamado de "overlap" - bloqueia qualquer ponto de vulnerabilidade. Os vidros - janelas e pára-brisas - são substituídos por outros com espessura de 21 mm que obedecem às normas NIJ 0108.01 que envolve todo o veículo com a proteção.

3- A blindagem demora perto de 30 dias para ser concluída.

4- O nível de blindagem mais recomendável é o III-A, que protege até contra cinco disparos de Magnum 44.

5- Para blindar um carro é necessário apresentar documentos específicos, como atestado de antecedentes criminais e documento de licença obrigatório do Exército Brasileiro.

6- O proprietário do carro a ser blindado deve verificar se a empresa blindadora é legalizada junto ao Exército Brasileiro, na Polícia Civil e na Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin). Deve desconfiar de propostas que oferecem muito por um preço muito baixo. Isso pode comprometer a segurança.


Blindagem: Só para carros luxuosos?


O Brasil produziu 6.982 blindados em 2008. São Paulo foi o primeiro no ranking nacional, com 65% da frota.

A blindagem, que há alguns anos era considerada item de luxo e possível apenas para veículos potentes e de elevado padrão, tem se difundido agora também entre o universo de outras marcas e modelos menos luxuosos. Os altos índices de violência urbana têm feito com que donos de carros como Fiat Stilo, Nissan Tiida, Peugeot 307, entre outros, tenham buscado mais segurança nesse tipo de proteção.

“O medo ou trauma por ter sido vítima de algum assalto, principalmente nas grandes cidades, é o fator que mais motiva pessoas da classe média a nos procurar para executar a blindagem em seus veículos”, afirma Fábio Viscardi, diretor da Tecpro, blindadora localizada em Barueri, em São Paulo. A empresa, no mercado há mais de 10 anos, é especializada em blindagens de modelos de marcas luxuosas, como Jaguar, Porsche, Volvo, Mercedes, BMW , mas no ano passado também recebeu pedidos de proteção balística para modelos como Honda Fit, GM Montana e VW Golf.

Além do medo da violência, a evolução da tecnologia no processo de blindagem também foi determinante para o aumento do número de blindagem desses modelos de carro. “A manta de nove camadas, material que substituiu o aço em grande parte do habitáculo, diminuiu consideravelmente o peso do veículo. Tal redução viabilizou, então, que carros com motor de menor potência entrassem nesse segmento”, explica o executivo da Tecpro.

Com a manta balística e demais materiais usados para uma blindagem de nível III-A (a mais praticada atualmente no país – e que resiste até a cinco disparos de Magnum.44), o aumento de peso varia de 150 a 250 quilos, sendo a maior parte do peso provinda dos vidros com espessura de 21 mm.

De acordo com a Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin), em 2008 o Brasil produziu 6.982 blindados. São Paulo foi o primeiro no ranking nacional, com 65% da frota, seguido por Rio de Janeiro (21%) e Minas Gerais (4%).


 

Rodrigo Samy (14/01/2010)- Empresa de blindagem revela pesquisa sobre os escolhidos.

 
Blindar um automóvel está mais perto da realidade do consumidor brasileiro. Isso se deve também ao aumento da procura pelo serviço. Em 1995, por exemplo, o custo médio para proteger um automóvel era de US$ 60 mil. Hoje, o valor médio é de R$ 48,75 mil, segundo dados da Abrablin (Associação Brasileira de Blindagem).

Outro dado interessante da associação é que as mulheres já respondem por 40% das vendas de blindados no país. "Elas são os alvos preferidos dos assaltantes", diz o presidente da entidade, Christian Conde. Ele ainda observou que este aumento se deve à ascensão profissional das mulheres e ao fato de elas andarem mais com crianças no carro. Conde lembra que existem inúmeras diferenças nos projetos de blindagem de cada blindadora. “Duvide daqueles que dizem que todas as blindagens são iguais e que a diferença está apenas no preço. Este, aliás, é decorrente dos materiais utilizados e dos serviços executados.”

A DuPont também fez uma pesquisa que apontou que: blindar um carro de família representava um sonho de consumo. Com base neste resultado, a empresa lançou o produto, que se enquadra no nível I da norma NBR 15000 da ABNT, chamado de DuPont Armura.

Já o diretor da AutoLife Blindagens (empresa associada a Abrablin), Ricardo Mendonça de Barros, contou que a blindagem de picapes pequenas, como a que é aplicada na Fiat Strada, está cada vez mais em alta. A blindagem para o modelo de cabine simples custa R$ 27 mil, já o mesmo serviço para a recém-lançada com cabine dupla fica em R$ 38 mil. O diretor coloca que entre os itens recomendados para uma blindagem completa estão motor, teto solar, maçanetas, retrovisores, portas, colunas e vidros. Os opcionais incluem capô, bateria, assoalho, tanque de combustível, radiador e Run Flat para pneus.

Barros também contou ao WebMotors que a AutoLife elabora anualmente um ranking com os modelos mais blindados. Veja a seguir os preferidos pelo público da blindadora.

Carros mais blindados

1º Toyota Corolla
Peso: 1.260 kg
Após blindagem: 1.420 kg
Diferença: 160 kg

2º Honda Accord
Peso: 1.440 kg
Após blindagem: 1.620 kg
Diferença: 180 kg

3º Hyundai Santa Fé
Peso : 1.823 kg
Após blindagem: 2.013 kg
Diferença: 190 kg

4º Mitsubishi Pajero Full
Peso: 2.190 kg
Após blindagem: 2.280 kg
Diferença: 190 kg

5º Mitsubishi Outlander
Peso: 1.635 kg
Após blindagem: 1.815 kg
Diferença: 180 kg

6º Volkswgen Golf
Peso: 1.440 kg
Após blindagem: 1.620 kg
Diferença: 160 kg

Dicas Armor para rodar com um veículo blindado

- Mantenha o ar-condicionado sempre em perfeitas condições de uso para nunca transitar com os vidros laterais ou teto solar abertos.

- Ao chegar em casa jamais desça do carro para abrir o portão. Utilize portões automáticos que funcionem por controle remoto ou telefone para que alguém abra o portão.

- Evite ao máximo comentar que o veículo é blindado. Em caso de tentativa de assalto não espere a pessoa atirar.

- Não colocar objetos fixados na parte interna do vidro como ventosas ou adesivos

 

 

blindado2

 

 

Carros Blindados

Antes de comprar verifique

Procure bolhas e descascados nas películas que cobrem o vidro blindado, que não podem exceder a 1 centimetro quadrado. Trincas de até 5 centimetros de comprimento na parte externa são aceitáveis. Se for na parte interna, tem de trocar

A blindagem representa um peso extra entre 120 e 170 quilos, em média. Isso significa que amortecedores e freios podem estar mais desgastados que o normal ou até no fim da vida útil.

Para não abrir nunca as janelas, o ar-condicionado precisa estar em ordem. Cheque a eficiência do sistema.

Quanto ao nível de proteção, mais de 95% das blindagens do Brasil é do tipo III-A, para munição até 9 milimetros e Magnum .44, suficiente para resistir a toda arma de mão. A de nível II suporta até 9 milimetros e .357 Magnum.

Descubra se há aros metálicos nas rodas (dentro dos pneus), que permitem ao motorista dirigir por mais de 15 quilometros com pneus vazios. Com certeza esse carro vale mais. Cheque no certificado ou na própria blindadora.

Uma tira de aço sobreposta impede que a bala entre no carro pelo espaço entre o vão da porta e o batente. Essa tira de reforço é chamada de overlap ou frame. Confira com a blindadora se seu carro tem.

Como o carro é todo desmontado para a blindagem, pode haver peças de acabamento soltas. Um test-drive pode denunciar ruídos de peças mal colocadas. Confira se as borrachas de vedação estão perfeitas, para evitar futuras infiltrações.

Pergunte à empresa que blindou o carro se ela protegeu maçanetas, ancoragem do cinto e fixação do retrovisor, áreas que nem sempre são blindadas. Qualquer lugar desprotegido pode ser um ponto de entrada para uma bala.

Descubra se todas as partes opacas estão protegidas com chapas de aço ou manta balística. Empresas menos cuidadosas não blindavam colunas, a divisão entre motor e cabine e a separação entre porta-malas e banco traseiro.

Teste todos os botões do vidro elétrico. Com o excesso de peso, alguns podem deixar de funcionar.
 
Dê preferência aos automáticos, modelos mais valorizados no mercado, que apresentam maior liquidez e recomendados em casos de emergência, pois não há risco de deixar o carro morrer numa fuga.

Para durar mais

Nunca feche a porta com a janela aberta, pois há o risco de o vidro trincar.
 
Não deixe as portas aberta mais do que o tempo necessário para entrar ou sair. O excesso de peso pode desalinhá-las.

Nunca ande com o vidro aberto em estrada de terra. A trepidação pode rachá-lo.

Use apenas uma flanela, água e sabãoneutro para limpar a parte de dentro dos vidros. A película interna pode se riscar ou se soltar com produtos abrasivos ou solventes. Também tome cuidado com anéis ou crianças com brinquedos.

Fuja da travessia de ruas alagadas. Se o carro ficar preso na água, a manta balística pode ser afetada pela umidade, o que reduz seu poder de proteção.

 

 


Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Blindagem
     http://www.webmotors.com.br/wmpublicador/       http://www2.uol.com.br/interpressmotor/reportagem/item25697.shl
       http://www.carrosnaweb.com.br/dicasblindados.asp
       http://www.motorclube.com.br/       http://www.destaquesp.com/

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Precisando de um notebook novo?
LNVACE10

Curta nossa página

Mundo

Publicidade