Cai por terra a versão oficial do 11 de Setembro - Parte 1

caiterra111 de Setembro de 2013 - Investigadores dinamarqueses afirmam terem provas de que as torres gémeas foram derrubadas pelos serviços secretos israelitas com a colaboração do FBI. Já muito se falou do ataque alegadamente terrorista de 11 de Setembro às torres gémeas do World Trade Center, surgiram teorias, e especialistas levantaram muitas questões. Mas quando o investigador Cientista Larry Silverstein encontra explosivos em destroços do World Trade Center cai por terra a ideia de que o ataque foi terrorista. Uma equipe de oito pesquisadores liderados pelo professor Niels Harrit da Universidade de Copenhaguem (Dinamarca), comprovaram a existência de explosivos altamente tecnológicos em amostra dos escombros das torres gémeas.

Essa pesquisa vem confirmar um trabalho semelhante previamente executado pelo professor Steven Jones nos Estados Unidos. Com esta descoberta explica-se a queda livre dos prédios num processo de demolição implosiva controlada. Os aviões não poderiam derrubar as torres gémeas devido à temperatura do combustível não ser suficiente para derreter aço. O impacto também não pode ter afectado a estrutura no nível afirmado pelo governo americano, uma vez que o prédio foi desenhado para suportar aviões daquele tamanho. O ferro derretido na base dos prédios ficou vivo por várias semanas.

E nos três meses seguintes, fotos infravermelhas de satélites mostraram bolsões de alto calor nas três torres. Larry Silverstein comprou o leasing do WTC entre 2000 e 2001, dois meses antes do “ataque”, tendo contratado um seguro para os prédios no valor de dois bilhões de dólares contra ataque terrorista. Na opinião dos investigadores da Universidade de Copenhague, o ataque às torres gémeas serviu para “criar ódio contra os árabes e fomentar as guerras americanas na saga pelo petróleo e a hegemonia Israelita no Médio Oriente”. Ainda segundo os mesmos investigadores, “existem evidências de que agentes da Mossad (serviços secretos israelitas), foram capturados no mesmo dia na posse de explosivos. Todos foram libertados pelo FBI”.

Transcrição do vídeo (https://www.youtube.com/watch?v=wKqDVhDF1AQ)

Pesquisadores internacionais tem achado vestigios de explosivos nos destroços das torres 1, 2 e 7 do WTC. Um novo artigo científico conclue que os impactos das duas aeronaves sequestradas não causaram os colapsos em 2001.

caiterra2

Entrevistador (E) - "Nós tornamos nossa atenção para 09/11: o maior ataque a Nova Yorque. Aparentemente o impacto ds duas aeronaves não causaram o colapso das torres, de acordo com um artigo científico recentemente publicado (março 2009). Pesquisadores acharam explosivos nano-thermite no entulho e poeira, que não podem ter vindo das aeronaves. Eles acreditam que muitas toneladas de explosivos foram colocados antecipadamente nos prédios. Neils Harrit, o senhor e oito outros pesquisadores nesse artigo concluem que foi nano-thermite que causou o desabamento desses prédios. O que é nano-thermite?"

Neils Harrit (NH) - "Nós achamos nano-thermite no entulho. Nós não estamos falando que apenas nano-thermite foi usado. Thermite existe desde 1893. É uma mistura de pó de alumínio e de ferrugem (óxido de ferro) da qual reagem e cria um calor intenso. A reação produz ferro, aquecido a 2.500ºC. Isso pode ser usado para soldar. Ele pode ser também usado para derreter outro ferro. Nanotecnologia faz as coisas ficarem menores. O mesmo acontece com nano-thermite, esse pó de 1893 é reduzido em minúsculas partículas, perfeitamente misturadas. quando essas reagem, o intenso calor desenvolve-se mais rápido. Nano-thermite pode ser misturada com aditivos para produzir calor intenso, ou servir como explosivo. Ele contém mais energia que dinamite, e pode ser usada como combustível de foguete."

(E) - "Pesquisei nano-thermite no google e vi que pouco se escreveu sobre ela. Essa é uma substância química amplamente conhecida ou tão nova que outros cientistas dificilmente estão cientes dela?"

(NH) - "Ela é um nome coletivo para substâncias com altos níveis de energia. Se pesquisadores civis (como eu) não são familiareizados com ela, é porque eles não fazem muitos trabalhos com explosivos. Já os cientistas militares, você precisaria perguntar a eles. Eu não sei o quão familiar eles são com nanotecnologia."

(E) - Então o senhor achou essa substância no WTC, o que o senhor pensa que causou os colapsos?"

(NH) - "Bem, é um explosivo. Porque mais estaria lá?"

(E) - "O senhor acredita que um calor intenso derreteu, a estrutura de aço que suporta os prédios, e causou a queda dos prédios como um castelo de cartas?"

(NH) - "Eu não posso dizer precisamente, uma vez que essa substância pode servir para ambos os usos. Ela pode explodir e quebrar as coisas em pedaços, e pode também derreter coisas. Ambos os efeitos foram provavelmente usados, do jeito que eu vejo. Ferro derretido jorrava da torre sul por vários minutos antes do colapso. Isso indica que a estrutura toda estava sendo enfraquecida de antemão. Dai os explosivos normais entraram em ação. A sequência de um colapso assim tem de ser perfeitamente acurada, todo caminho abaixo."

caiterra3

(E) - "Que quantidade nós estamos falando?"

(NH) - "Muito. Haviam apenas dois aviões mas três prédios cairam. Nós temos uma idéia de quanta poeira foi criada. As fotos monstram enormes quantidades, tudo, exceto o aço, foi pulverizado. E nós sabemos também quanta nano-thermite sem reagir nós encontramos. Essa é a parte que não detonou por alguma razão. Nós estamos falando em toneladas. Acima de 10 toneladas, possivelmente 100 toneladas."

(E) - "Dez toneladas, possivelmente 100 toneladas, nos três prédios?"

(NH) - "Sim."

(E) - "E essas substâncias não são normalmente achadas em tais prédios?"

(NH) - " Não, não esses materiais extremamente avançados."

(E) - "Copmo se coloca tais materiais num arranha-céu, em todos os andares? Como se entraria nele?"

(NH) - "Sim. Se eu tivesse de transportar aquelas quantidades eu usaria paletes. Pegaria um caminhão e os traria de paletes."

(E) - "Porque isso não foi descoberto antes?"

(NH) - "Por quem?"

(E) - "Os zeladores e seguranças dos prédios, por exemplo. Se alguém está movendo 10 ou 100 toneladas de nano-thermite por ai, e colocando-as em todos os andares. Eu só estou supreso que ninguém tenha percebido."

(NH) - "Como um jornalista, você deveria levar esta pergunta para a companhia responsável pela segurança do WTC."

(E) - "Então o senhor não tem dúvida que o material estava presente?"

(NH) - "Não dá para enganar este tipo de ciência. Nos achamos thermite sem detonar."

(E) - "Que resposta teve o seu artigo ao redor do mundo? É um conhecimento completamente novo para mim."

(NH) - "Sim, sim. Acabou de ser publicado na últimja sexta. Então é cedo ainda para dizer. Mas o artigo pode nao ser tão inovador assim, como você pensa. Centenas de milhares de pessoas no mundo todo, ja sabem a tempos que os tres prédios foram demolidos. Isso tem sido muito claro. Nossa pesquisa é apenas o "ultimo prego do caixão". Isso não é "fumaça de espingarda", e sim "a espingarda carregada". A cada dia, milhares de pessoas percebem que o WTC foi demolido. Isso é algo incontível."

(E) - "Porque ninguem descobriu antes que havia nano-thermite nos prédios? quase dez anos ja se passaram."

(NH) - "Você diz na poeira?"

(E) - "Sim."

(NH) - "Foi por acaso que alguém viu a poeira com um microscópio. Elas são apenas pequenas partículas vermelhas. A maior tem o tamnho de 1 mm, e pode ser vista a olho nú. Mas precisa de microspócio para ver a maioria. foi por acaso que alguém descobriu elas dois anos atrás. Levou 18 meses para preparar o artigo científico que você referiu. É um artigo abrangente baseado em pesquisa minuciosa."

(E) - O Senhor tem trabalhado nisso por vários anos, porque noa fazia sentido."

(NH) - "Sim, mais de dois anos na verdade. Tudo começou quando eu vi o prédio 7 cair, o terceiro arranha-céu. Ele desabou sete horas depois das torres gêmeas desabarem. E havia apenas dois aviões. Quando você ve um prédio de 47 andares, 186m de altura, cair em 6,5 segundos, e você é um cientista, você pensa: O QUE ???? Eu tive de assistir de novo e de novo. Eu apertei o botão 10 vezes, e meu queixo caiu mais e mais. Primeiramente eu nunca tinha ouvido daquele prédio antes. E não havia razão alguma do porque colapsar daquela maneira até embaixo, em 6,5 segundos. Eu não tive descanço desde aquele dia."

(E) - "Desde 9/11 tem havido sempre especulação, e teorias de conspiração. O que o senhor diz aos ouvintes que escutam sobre sua pesquisa? Nos temos escutado tudo isso antes, tem um monte de teorias de conspiração". O que o senhor diria par convencer eles que isso é difernte?"

(NH) - "Eu penso que há apenas uma teoria de conspiração que vale menscionar, aquela envolvendo 19 sequestradores. Eu penso que os espectadores deveriam perguntar para si próprios que evidências eles tem visto que suportam a teoria oficial de conspiração. Se alguém tem visto alguma evidência, eu gostaria de escutar sobre ela. Ninguém foi formalmente acusado. Ningúem é procurado. O nosso trabalho deveria levar a demanda de uma investigação criminal própria do ataque terrorista de 9/11. Porque isso nunca aconteceu. Nós estamos ainda esperando. Nossa esperança que o nosso achado seja usado como evidência técnica quando aquele dia acontecer."

(E) - " Neils Harrit, fascinante, Obrigado por vir."

(NH) - "O prazer é meu."

caiterra4


Entrevista do físico Steve Jones no documentário "911:Evidencia explosiva - Especialistas falam"

caiterra5

"Meu nome é Steven Jones, sou físico. Recebi meu PhD em física pela Universidade de Vanderbilt em 1978, há 30 anos que trabalho no campo, estudando vários assuntos. Sempre que posso gosto de estudar coisas que tenham um impacto na sociedade, coom energia de fusão. Que tem sido o meu ganha-pão por muitos anos. Na verdade, eu comecei comisso por volta de 1979, minha pesquisa com fusão, vários tipos de fusão, começando com fusão quente, e então por fusão induzida por muón, por metal. Também sou muito interessado em médodos de energia alternativa. eu publiquei artigos na Scientific American, qe foi um artigo sobre fusão induzida por múon. Eu publiquei vários artigos na Nature, uma revista Britânica. Publiquei na Physical Review Letters.

Então eu tenho consciência da importância da revisão por pares e posso dizer, com honestidade, que meu primeiro artigo sobre a pesquisa do 9/11, foi bombardeada consideravelmente. E tinha sido revisada, por outros, duramente. Antes da publicação foi cuidadosamente revisada. Uma dessas revisões aconteceu quando eu dei uma palestra na Academia de Ciências, artes e Letras de utah em abril de 2007.

Eu publiquei mais de 50 artigos, que foram revisados, na minha carreira. Com respeito a pesquisa de 9/11, começou para mim na primavera de 2005, quando eu ouvi uma palestrante dizendo que, baseado na sua análise (ela fez esse procunciamento bastante corajoso para um grande grupo de pessoas) ela estava falando sobre uma coisa totalmente diferente, mas ela parou e disse: "Agora, se vocês acham que as torres do WTC desabaram apenas porque foram atingidas por aviões, vocês tem grandes surpresas pela frente."

E essa grande platéia, dvem ter sido 700 pessoas, desataram a aplaudir. Eu era uma das que não estava aplaudindo, porque eu não sabia sobre o que ela estava falando. Mas nos dias seguintes, eu fui a internet e mergulhei no estudo do WTC 7 e outros eventos anômalos do 9/11.

Dr Farrer cobriu muitos aspectos. Eu quero enfatizar alguns outros pontos. Nosso estudo das esferas, mais particularmente o material vermelho de thermite ativa, que descobrimos na poeira do 9/11, é discutido no nosso artigo no Open Chemical Physics Journal, publicado em abril de 2009. Eu encorajaria uma leitura cuidadosa desse artigo. Nós trabalhamos bastante nessa publicação que foi revisada por pares.

Eu gostaria de primeiro falar sobre a proveniência ou cadeia de custódia para as amostras que recebemos. eu gostaria de mencionar que nesse artigo, nós estudamos 4 amostras detalhadamente. Quatro amostras da poeira distintas e conectadas. Eu recebi amostrs de várias pessoas. E Dr Ferrer recebeu amostrasa diretamente de pelo menos duas pessoas que coletaram. Eu acho que três dos que coletaram, separadamente.

Então não é como se alguém pudesse ir a essas pessoas. Eu ja ouvi esse argumento, que talvez alguém tenha plantado essas amostras com nano-thermite. Bem, você sabe, é muito difícil criar isso. Eu não sei como fazer isso. Kevin Ryan, um químico, está tentando fazer essa nano-thermite, mas não é facil. Nós temos descrições do Laboratório Nacional Liver more, de como eles fabricam esse material. Mas para fabricar não é facil. Primeiro, os grãos de óxido de ferro são uniformes e com aproximadamente 100nm. São muito pequenos, bem menores que um cabelo humano. O alumínio fica em placas com cerca de 40nm. Eu não tenho idéia de como fazê-las. Esses são materiais high-tech, e encravados numa matriz rica em carbono.

Eu também ja ouvi o argumento, que talvez a destruição dos próprios prédios geraram essa nano-thermite. Não (risos..). Como físico experimental, eu mesmo peguei um pouco de poeira de prédios que foram destruidos por demolição controlada. Um banco na cidade de salt Lake e um hotel em Las Vegas. Pessoas coletaram a poeira e enviaram para nosso laboratório. Nós examinamos a poeira e, acredite ou não, não tinha nenhuma lasca vermelho-cinza. (risos...)

Isto esta relacionada com a segunda lei da termodinâmica. Mas eu não perderei tempo com esse argumento detalhado. Eu apenas direi: se você imaginar essas lascas que são altamente ativas, são como a cabeça de um fósforo. E vamos dizer que você tenha os ingredientes de um fósforo num prédio. Enxofre, carbono, e as outras coisas que eles poem no fósforo. E então tudo desaba. você encontraria pequenas porções de ingredientes do fósforo em um prédio desabando? Não. Tem a ver com .... em circunstancias caóticas, as coisas vão morro abaixo, não morro acima. (risos....) É a segunda lei da termodinâmica. Eu preciso falar com estudantes sobre isso, desculpe minha impaciência.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

NOTA do Arquivo: Dentre as duas leis da termodinâmica, a segunda é a que tem maior aplicação na construção de máquinas e utilização na indústria, pois trata diretamente do rendimento das máquinas térmicas. Dois enunciados, aparentemente diferentes ilustram a 2ª Lei da Termodinâmica, os enunciados de Clausius e Kelvin-Planck:

Enunciado de Clausius:

O calor não pode fluir, de forma espontânea, de um corpo de temperatura menor, para um outro corpo de temperatura mais alta. Tendo como consequência que o sentido natural do fluxo de calor é da temperatura mais alta para a mais baixa, e que para que o fluxo seja inverso é necessário que um agente externo realize um trabalho sobre este sistema.

Enunciado de Kelvin-Planck:

É impossível a construção de uma máquina que, operando em um ciclo termodinâmico, converta toda a quantidade de calor recebido em trabalho. Este enunciado implica que, não é possível que um dispositivo térmico tenha um rendimento de 100%, ou seja, por menor que seja, sempre há uma quantidade de calor que não se transforma em trabalho efetivo.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A segunda lei da termodinâmica tem a ver com o aumento da entropia e desordem, não com ordem. Esses materiais vermelho-cinza tem lâminas muito bem ordenadas contendo alumínio. Essas plaquetas e esses grãos, com óxico de ferro, relembrando, de tamanho uniforme, muito bem ordenado. E além disso, vem de um prédio que desabou, de onde todo esse carbono vem para a matriz? É apenas para confundir. Um colega meu perguntou a vários nano-cientistas se eles achavam que um prédio desabando poderia criar esse material o que eu achei muito bom, porque faz eles levarem nosso estudo em consideração. Mas 100% desses nano-cientistas contatados disseram NÃO, não tem como um prédio desabando criar esse tipo de material sofisticado que descrevemos no nosso artigo.

Agora de volta a cadeia de custódia. Então não vem apens de prédios desabando. Veio da poeira do WTC. como eu disse, amostras foram enviadas separadamente par o dr Farrer e para mim. Todas essas amostras continham o mesmo material vermelho-cinza. Uma outra amostra foi enviada para um cientista, Mark Basile, na Nova Inglaterra. Ele também viu esse material vermelho-cinza de thermite ativo.

Eu preciso dizer uma coisa sobre os esforços de Mark Basile. Ele foi o primeiro a inflamar as lascas vermelho-cinzas e observar as esferas, as pequenas esferas ricas em ferro no resíduo, depois da ignição. Eu acho que é importante dar crédito a ele por essa observação. Então nós olhamos nos nossos resíduos das lascas vermelho-cinza e também encontramos essas esferas. Elas foram encontradas independentemente e primeiro por Mark Basile.

Agora, a cadeia de custódia. As primeiras amostras coletadas vieram de Frank Delassio. Ele forneceu um testemunho em vídeo de como ele coletou a poeira. Frank Delassio estava em manhattan na manhã de 9/11. Ele estava presente quando as torres desabaram. Ele estava na ponte do Brooklyn, no lado de Manhattan. E ele disse que a poeira estava caindo, e acumulando no chão e ele pegou uma amostra. E ele achou que era importante e guardou. E foi se encontrar com um amigo chamado Tom Breidenbach e eles decidiram guardar esse souvenir da tragédia do WTC. E ambos os testemunhos deles sobre essa amostra estão gravados.

Frank Delassio coletou essa amostra por volta de 10 minutos depois do colapso da segunda torre, a Torre Norte. Ele viu a torre cair, ele viu a poeira ser gerada e ele juntou um punhado de poeira do corrimão da passagem de pedestres perto do fim da Ponte do Brooklyn, do lado de Manhatam. Então essa amostra foi guardada e uma porção enviada para mim. Pedi aos que coletaram, conforme me enviavam porções, para guardar parte da poeira do WTC para que quando nós conseguissemos a investigação que estamos exigindo, existiriam amostras nas mãos das pessoas que coletaram para que os investigadores possam obter. E eles encontrarão as lascas vermelho-cinza nesse material, porque nós já analisamos a outra porção. Então essa amostra foi coletada 10 minutos depois do colapso da torre, muito antes de qualquer operação de limpeza.

Então é impossível para operações de limpeza e de cortar aço no Marco Zero ter contaminado essas amostras. Elas foram coletadas muito antes dessas operações começarem. Similarmente, a segunda amostra veio do Sr Steven white de Nova York. Ela foi coletada na manhã de 12 de setembro, o dia seguinte. Essa não poderia ter sido contaminada por operações de limpeza, que começou depois. Ele achou uma camada de poeira de mais ou menos 2.5 cm em uma pilha de roupa perto deuma janela que foi deixada aberta no seu apartamento. Claramente, a janela aberta permitiu que uma quantidade de poeira entrasse na sala e cobrisse a roupa. Ele guardou um pouco dessa poeira, e em 2 de fevereiro de 2008, ele me enviou uma amostra para analisar.

A terceira amostra foi coletada em um apartamento na rua Hudson, 16, pelo Sr Jody Intermont de tarde, por volta das 14 horas, no dia 12 de setembro. Duas pequenas amostras dessa poeira foram enviadas simultaneamente para o Dr Jones (eu mesmo) e Kevin Ryan em 2 de fevereiro de 2008. e o Sr Intermont enviou uma declaração assinada junto com cada amostra, afirmando que ele tinha pessoalmetne coletado a amostra, que agora estava dividida. E ele deu permissão para usar seu nome em conjunto com as amostras.

Então a cadeia de custódia foi direto da pessoa que coletou para o cientista. E outra amostra foi para Kevin Ryan. Deixe-me ler a declaração assinada pelo Sr Intermont:

- Essa poeira que veio do desabamento das torres do WTC, foram coletadas no meu apartamento na esquina da rua Reed com a Hudson em 12 de setembro de 2001.

Então essa foi nossa terceira amostra. A quarta amostra foi coletada por Janette Mackinlay no seu apartamento no quarto andar da rua Cedar com a Liberty em Nova york. Essa é uma amostra muito interessante porque o apartamento de Janette fica do outro lado da rua do WTC Plaza. Quandol a torre sul desabou ela estava no seu apartamento. A força do desabamento e os esforços catapultados para o outro lado da rua quebraram as janelas do seu apartamento e a poeira entrou. Na verdade, nós temos fotos do interior do apartamento de Janette Mackinlay, com essa camada de poeira por todos os lados. Essa é uma amostra muito importante porque foi coletada imediatamente após a queda da torre. Eu devo mencionar que Janette Mackinlay, com tantos outros que respiraram essa poeira tóxica do WTC, ficou muito doente. E muitos morreram por causa disso. E isso foi atribuido a toxidade dessa poeira, que de acordo com cientistas, tem uma alcalinidade equivalente a limpadores de ralos líquidos. Também tinha asbestos e outras coisas ruins como mercúrio.

Deixe-me falar um pouco sobre a toxidade da poeira, tendo discutido a cadeia de custódia para cada dessas amostras, que são limpas, e nós testemunhariamos no tribunal sobre essas amostras e a independência delas, o fato de que elas não são, e não poderiam ter sido plantadas. Eu, sem dúvida, fico ofendido com essa acusação. Como se eu soubesse como fazer essa coisa, para começar, ou tivesse a inclinação para plantar evidências científicas. Não. Nos comportamos como cientistas e procedemos de maneira científica estudando essa poeira.

Com respeito a poeira do WTC coletada por Janette Makinlay, ela me disse que presentiu que essa poeira poderia ter utilidade em um projeto de arte dela,um painel. Ela é uma artista. Quando o meu primeiro relatório saiu a respeito da destruição do WTC, as anomalias e as minhas perguntas sobre a história oficial, Janette leu aquele relatório e me contatou e ela disse que tinha amostras da poeira. Se eu gostaria de olhar? Então eu viajei para a California para visitar Janette Mackinlay, e com outros cientistas presentes, eu coletei uma amostra da poeira do WTC. Em seguida, amostras da poeira da Janette Mackinlay foram enviadas diretamente para o Dr Farrer e para Kevin Ryan. Todos nós vimos essas lascas vermelho-cinzas nessa poeira do WTC.

Então a cadeia de custória é boa e a ciência muito sólida, eu acredito, e foi publicado e não foi refutado. Então nós sentimos que estavamos em solo firme com esses estudos. Eu sei que não preciso repetir o que o Dr Farrer descreveu muito adequadamente e muito bem.

Então eu queria enfatizar certas conclusões que nós determinamos através do nosso estudo da poeira do WTC e dese material vermelho que o Dr Farrer discutiu tão adequadamente. Eu gostaria de dizer, antes de continuar, que o Dr Farrer foi a chave em analisar esse material vermelho-cinza. E a sua perícia com ambos os microscópios eletrônicos, de varredura e de transmissão, provou ser inestimável nesse estudo.

Como conclusões significativas a respeito do material vermelho-cinza que achamos na poeira. os elementos primários do material vermelho são alumínio, óxido de ferro, como também silício e carbono. Eu gostaria de dizer que o silício me confundiu a princípio quando eu o vi no material vermelho, porque não é necessário na thermite. Na Thermite, precisa-se de combustível, alumínio e um óxido metálico como o de ferro, para que o oxigênio vá do óxido de ferro para o alumínio com a liberação de grandes quantidades de energia. E isso também resulta na produção de ferro derretido. E um pouco disso, como o ferro derretido é formado explosivamente, irá formar gotículas no ar. Nós veremos diversas gotículas ricas em ferro, tanto da poeira do WTC quanto no resíduo, as cinzas, da queima dessas lascas vermelho-cinza.

caiterra17

A pergunta sobre o silício: Porque está presente? Eu acho que foi Kevin Ryan que apontou para mim que quando a nano-thermite esta sendo feita, isso é thermite com componentes muito pequenos de óxido de ferro e alumínio. Quando a nano-thermite esta sendo feita, o silício está envolvido na mistura. Ele se torna parte da matriz, quando o método SOL-GEL é usado, por exemplo. Que é descrito em detalhes na literatura dos laboratórios de defesa, como Livermore. Os laboratórios de defesa estão muito entusiasmados com a nano-thermite por causa da sua aplicação em explosivos, e coisas do tipo. Eles dizem que não irão investigar todas as aplicações.

Eu lembro de pelo menos um dos artigos do laboratório nacional discutindo o fato de que nano-thermite poderia ser usada em demolições controladas. Eu achei interessante. Pelo menos para acoinar os explosivos padrões coom C4. O óxido de ferro aparece com aspecto de grãos, de aproximadamente 100 nm, como o Dr Farrer descreveu. O alumínio aparece em finas plaquetas de 40 nm de espessura. É o pequeno tamanho das partículas envolvidas nesse material que nos permitiu caracterizá-lo como nano-hermite. Em thermite normal, o tamanho das partículas é bem maior, portanto thermite normal é incendiária. Conforme o tamanho da partícula se torna cada vez menor, pode se tornar explosiva. As vezes é chamado de super thermite.

Dr Ferrer determinou que o ferro e o oxigênio são consistente com Fe203. E o Dr Ferrer conduziu estudos no calorímetro de varredura diferencial e descobriu que o material inflama, reage vigorosamente a uma temperatura de aproximadamente 430ºC, consistente em cada amostra. Essa é aproximadamente a temperatura que a nano-thermite inflama em um estudo publicado pelo Laboratório Nacional Lawrence Livermore. Também, o limitado traço de calor, o traço DSC, indica que uma reação muito rápida ocorreu, tanto no estudo com nano-thermite conhecida quanto no estudo do material vermelho, achado na poeira do WTC. Nós descobrimos que os esferóides que são ricos em ferro produzidos pelo teste DSC, ou seja, pela ignição do material vermelho no DSC, tem uma assinatura que é rica em ferro, sem oxigênio suficiente para gerar até FeO.

Então isso indica para a gente que o ferro foi reduzido. Que, mais uma vez é uma assinatura para uma reação de thermite. Então a formação das esferas, que implica uma temperatura muito alta, mais de 1400ºC e a redução do óxido de ferro para uma fase rica em ferro, indica que uma reação de thermite ocorreu. E então nós fomos capazes de chamar esse material de thermite ativa, tanto do nosso estudo DSC quanto dos resultados dos microscópios eletrônicos. Não vamos esquecer que esse material vermelho também contém uma quantidade significativa de carbono. E a formulação de nano-thermite como descrita pelas publicações do laboratório nacional também implica tipicamente na presença de carbono. O orgânico é usado com a nano-thermite para produzir gás que é um gás de alta pressão que torna a nano-thermite um explosivo.

Então todos esses resultados são consistentes com a presença de um pirotécnico ou explosivo na poeira do WTC em grandes quantidades que realmente não deveria estar presente em um prédio de escritorios no centro de Nova York. Nós precisamos de uma investigação que abra os olhos e diga: Nós não vamos apenas olhas para as chamas. Nós vamos considerar a possibilidade de explosivos e vamos procurar por resíduos de explosivos como fizemos por iniciativa própria, na poeira do WTC e no aço eu o Dr Ferrer mencionou.

Nós precisamos de uma investigação que terá o poder de requisitar essas amostras coletadas pelo professor Barnett. E então nós vamos olhar para os resíduos que você pode ver nas fotografias desse aço com aparência de "queijo suiço" do WTC 7 e das Torres e ser capaz de determinar se esse resíduo tem alumínio entranhado nele, como nós esperaríamos do uso de thermite. É o resíduo na superfície, esse resíduo acinzentado que você pode ver. Eu prevejo que o alumínio será encontrado entranhado nesse resíduo na superfície. Ou alguma quero dizer, thermite pode ser feita de outras combinações. Mas esperaríamos alumínio como o combustível de maior disponibilidade para esse tipo de reação de alta energia, que resultaria na sulfidação e até a evaporização do aço.

Porque as temperaturas para isso podem ser atingidas pela thermite. Concluindo, eu veementemente apoio uma investigação, uma investigação cuidadosa e totalmente financiada dos eventos e pessoas envolvidas no 9/11. Permitir que pessoas se apresentem e testemunhem o que eles ouviram sobre o 9/11 de várias fontes. Nós precisamos de investigação. Nesse momento, está pairando sobre os EUA uma nuvem negra devido a essas questões sem resposta. Seria melhor encarar isso de frente e permitir uma investigação meticulosa, e executar essa investigação de tal maneira a conseguir algumas respostas. Então nós precisamos dessa investigação. Eu acho que isso é tudo que tenho a dizer sobre isso hoje."


Entrevista do arquiteto de estruturas altas Robert Mccoy no documentário "911:Evidencia explosiva - Especialistas falam"

caiterra6

"Meu nome é Robert Maccoy, sou um arquiteto. Eu me formei em arquitetura pela Universidade da Califórnia em Berkeley em 1963. Eu estou licenciado na Califórnia desde 1964. De mais ou menos 1965 até 1985 a maior parte da mainha experiência tem sido em edifícios de aço altos com vários andares. O primeiro grande edifício alto com que me envolvi foi a sede da Companhia Elétrica e Gás do Pacífico em São Francisco. É um edifício de 34 andares, por volta de 116 mil metros quadrados na parte mais alta. Ao mesmo tempo em que o WTC foi projetado e construido em Nova York. Na verdade nos correspondemos com o escritório de Yamasaki na época para discutir certos aspectos do edifiício deles e do nosso.

Ambos os edifícios foram projetados para resistir ao impacto de um avião se chocando contra eles. Enquanto naquela firma em São Francisco, Hirsch and Knowles, eu também participei no projeto na Market Street, 575 um edifício para a Standard Oil, um edifício de uma das sedes. tinha 44 andares. Pine Street, 100 com 34 andares. E depóis do PG&E eu finalizei o projeto, reprojetei e construi o hospital e centro médico St Mary em São Francisco. Depois desse começo eu montei minha empresa e trabalhei por um período quando william Perrera adquiriu minha firma para ter uma presença em São Francisco. Ele tinha alguns edifícios altos para fazer, um deles era One Sansum que foi inicialmente projetado como um edifício de 54 andares, subsequentemente foi reduzido para 44 andares quando a Citicorp veio para o projeto. Enquanto esses edifícios estavam em construção, fui requisitado em Los Angeles e relocado para o sul da Califórnia onde eu era o diretor do projeto e de operações para o join venture para o projeto e construção do Terminal Internacional tom Bradley no Aeroporto Internacional de Los Angeles.

Esse edifício tem por volta de 93 mil metros quadrados. Depende aonde você o mede, mas é um bom e sólido edifício com estrutura de aço de 5 andares. A base no nível de partidas por exemplo é maior que 3 campos de futebol de lado a lado. É um prédio com estrutura de aço de bom tamanho. Aqueles edifícios em Nova York tem uma camada externa muito forte. As colunas são espaçadas de 1 metro e com cerca de 35 centímetros de largura. Existe uma camada externa de aço de cerca de 107 cm em cada piso. As aberturas onde estão as janelas, se você descontar o antichamas e o resto é 40 ou 50 porcento da camada exterior. quando aqueles aviões atingiram os edifícios, eles foram destroçados no momento em que se projetaram no prédio. O combustível, e a maior parte do avião foi destroçada no momento em que atravessou a camada externa.

Eu vi fotos deste aquele show que as colunas e algumas das vigas foram rompidas na torre norte. Que foi, eu acho, nenhuma supresa considerando a força do impacto, o peso do avião e a velocidade. Mas os diagramas que eu vi mostram que aqueles aviões estavam em que todo mundo concluiu a mesma coisa que eu, os aviõe foram destroçados. A bola de fogo foi do lado de fora. O impacto do avião iria criar calor suficinte para explodir o combustível. E aquele cobustível se movimentando a 800, 900 km/h como qualquer outra coisa indo pelo prédio ou no lado de fora está procurando oxigênio para explodir e queimar. Tinha acabado em poucos momentos depois que atingiu o prédio.

Então, repensando, eu descobri que tinha outros que tiveram pensamentos parecidos. Foi quando me deparei com arquitetos e engenheiros pela verdade do 9/11. Vamos falar um pouco sobre o impacto nas duas torres. Na torre norte o avião derrubou umas 60 colunas. Eu li em algum lugar cerca de 60% das colunas e algumas das vigas. Mas o edifício não deformou e caiu. A armação de aço para aquela camada exterior, a parede externa de suporte daqueles edifícios, é uma treliça. É uma treliça sólida. Ele tem colunas a cada um metro e você tem vigas de 122 centímetros a cada 3,6 metros e elas são todas soldadas juntas, elas sã colocadas juntas em grupo e colocadas no prédio em fileiras de três andares de altura e várias salas de largura. Os edifícios eram sólidos. Eles perderam colunas, eles perderam vigas mas os edifícios não cairam.

caiterra16

Na torre sul o prédio foi atingido em cheio próximo do canto e derrubou as colunas de uma parede. E o edifício começou a ceder, como vimos nos vídeos. O topo inclinou e começou a virar antes de iniciar o desabamento. Agora, nós temos a massa daquele edifício vindo de cima para baixo. Vai começar a atingir todo o prédio conforme desaba como todo mundo descreveu. Mas irá desabar de modo panqueca, de um jeito interrupto: bang, bang, bang, bang, bang conforme desaba. Não desabará como uma queda suave. E você verá jatos de concreto pulverizado a cada vez que uma série de andares atinja outro andar. Eu não vi isso, eu vi um vagalhão de nuvens de poeira quando vi os vídeos.

Tenha em mente que o aço que suporta o edifício no centro é muto forte. Essa colunas eram provavelmente 4 vezes mais fortes do que precisavam ser para suportar o peso norte sobre elas. Então, agora voce tem esse edifício desabando interrupto, o efeito de panqueca, ou isso foi o que nos levaram a acreditar e as colunas abaixo simplesmente não está lá, sem resistir, sem interromper. E elas vieram até o chão. Pelo qu eeu entendi, os edifícios na verdade aceleraram conforme desabaram, que significa que não tinha resistência dessas colunas massivas no centro do edifício. O núcleo desse edifício era muito pesado. Verdade, tinha muitos buracos, a maior parte buracos e vazios mas tinha vigas em todas as direções e tinha colunas espaçadas regularmente. Algo da ordem de magnitude de 10 a 11 metros algumas mais próximas que isso.

Então está acelerando conforme desaba. Não está encontrando resistência de nenhuma coluna, essas colunas massivas dentro do edifício. E quando você chega na base do edifício, elas são colunas imensas. Onde estavam essas colunas? Porque não estavam resistindo e perfurando pela massa do edifício que esta vindo de cima? Onde elas estavam? Vamos voltar de novo para o topo do edifício. Lembre-se que eu mencionei que o topo começou a curvar e torcer. Se esse edifício estava realmente severamente danificado nos andares onde o avião atingiu e desabou como um bloco úncio acima disso, eu esperaria que a torção e a inclinação tivessem continuado. Eu realmente esperaria que a parte do topo continuasse a se projetar para fora na direção que estava indo. Ela teria indo até a borda e começado a cair o topo primeiro. Isso não aconteceu.

Então qando voltamos para o edifício 1 o primeiro sinal de falha parece ser a antena de televisão no topo deabando dentro do edifício, está desabando no meio do edifício, onde o edifício é basicamente buracos para elevadores, dutos e canos, e esse tipo de coisas. Não existe nada no meio do edifício para queimar. Como aquele aço aconteceu o suficiente para permitir que o mastro de televisão afundasse quase em linha reta dentro do edifício e então o edifiício começou a desabar?

Quando nós falamos sobre o edifício 7, aquele edifício não foi atingido por um avião. Nos disseram que existiam tanques de combustível para geradores de emergência. O combustível, de acordo com o estudo do NIST, não contribuiu como um fator para o desabamento. A teoria deles é mobília de escritório. Os fatos não aparentam mostrar que o edifício estava queimando por todo lado. As fotos que eu vi, parecem indicar que existiam incêndios isolados espalhados pelo edifício e não o edifício inteiro queimando. NIST quer que acreditemos que eram incêncios típicos de escritório, incêndios esparsos se você quiser, fizeram o edifício desabar. queimei por um período de cerca de 6 horas. Mobília de escritório típica, mobília de escritório isoladas iria queimar por volta de 20, 30 minutos e se espalhar com o tempo, queimar tudo em uma área, começar a queimar mais em outra área conforme o fogo se espalha.

Em um edifício como esse, queimando por 6 horas teria que ter queimado por um número grande de andares. Teria sido visível no lado de fora conforme o fogo fosse pulando de piso em piso, subindo como foi em outros edifícios como o First Interstate Tower quando incendiou em Los Angeles. Isso não parece ter sido o caso com o edifício 7. Parece ser olhando os vídeos que tinham incendios isolados em vários andares, mas eles não estavam pulando por fora do edifício. Quando o edifício começou a ruir, e então começou a desabar com a aceleração da gravidade. O edifício está acelerando conforme desaba. Não existe resistência até o edifício chegar a talvez meio caminho e finalmente começa a encontrar, talvez, seus próprios destroços, mais abaixo no edifício. Mas ainda assim caiu de maneira ordenada. E quando estava tudo acabado, as paredes de fora dos andares de baixo estavam empilhadas uma em cima da outra bem no meio do edifício. Como um castelo de cartas se estivesse desabando. Eu acho isso muito difícil de acreditar. Se esse edifício tivesse desabado por causa do fogo, eu esperaria que se comportasse muito como o fogo em uma lareira. Se você coloca fogo na sua lareira e o acende conforme vai queimando e o calor começa a acumular, você terá uma falha localizada aqui e uma falha localizada lá e os troncos se moverão um pouco aqui e ali e com o tempo todos os troncos serão tomados pelas chamas. Ficará quente no meio e eles vão lentamente se queimando até no fim você ter um colapso total. Mas o fogo tomou completamente e envolveu toda a madeira que restou na lareira.

Tenha em mente que é madeira queimando em uma lareira ou madeira queimando em um edifício de madeira, não é aço que não queima, especialmente aço que está coberto em anti-chamas. Não existe indicação que eu tenha visto queo anti-chamas foi removido do Edifício 7. Além disso, desde o meio dos anos 1960 eu tentei acompanher incêndios em arranha-céus porque é uma coisa que nos preocupamos muito conforme projetamos esses edifícios, e eu não esto ciente de nenhum edifício alto que desabou com resultado de incêndio. Mesmo que alguns desses incêndios tenham sido muito mai quentes e duradouros. O incêndio do First Interstate foi muito intenso em Los Angeles para um incêndio em altos edifícios. Eu não consigo me lembrar nem de um colapso parcial e nenhum desses edifícios que eu tenha visto nesses anos.

Eu comecei em São Francisco fazendo edifícios altos porque isso era um interesse especial meu, Eu prestei muita atenção neles nos últimos 40, 45 anos e eu acho que provavelmente é por isso que ainda estou interessado no que aconteceu no WTC. Alguma coisa sobre como esses edifícios desabaram não faz sentido para mim. Existe muitos bons trabalhos nas poucas coisas que vi no NIST. Mas quando você olha para a totalidade é quando começa a desmoronar. Como essas colunas de aço massivas que estavam suportando o peso daquele edifício praticamente desapareceram? Porque elas não estavam saindo bem do meio daquels destroços na base do edifício? Então o que eu, o que eu quero é uma nova investigação, bem, vamos chamar de uma nova investigação onde toda a informalão original e testes e hipóteses sejam reexaminadas assim como as que apareceram desde então, as novas, inclusive as alegações de demolição controlada. Tem tido muitos teses publicados e relatórios sobre a possibiidade de demolição controlada nesses edifícios e eu acho que eles devem ser cuidadosamente considerados. Desta vez vamos considerar o tempo para fazer certo e entender corretamente e acertar o registro.

Eu assinei a petição do "Architects and Engineers for 9/11 Truth"porque achei que era uma organização que estava tentando chegar na verdade do que relamente aconteceu, o que fez aqueles edifiícios desabarem. Eu não achei em olhando e lendo as informações da organização que estavam defendendo algum tipo de teoria da conspiração. Não quero me envolver com teorias da conspiração. Existem muitas delas, nós podemos especular sobr isso para sempre. O que realmente precisamos saber é como esses edifícios desabaram.

PARTE 2

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Mundo

Publicidade