Igreja Missionária do Kopimismo

copini1A Igreja Missionária do Kopimismo, fundada pelo estudante de filosofia Isak Gerson, é uma congregação de compartilhadores de arquivo que reivindicam que copiar informação é uma virtude sagrada. A Igreja, baseada na Suécia, foi oficialmente reconhecida pela Agência de Serviços Administrativos, Jurídicos e Financeiros ("kammarkollegiet") como uma comunidade religiosa, depois de três tentativas de solicitação. Os seguidores da religião são chamados "Kopimistas" de "copie me".

Um "Kopimista" é uma pessoa que tem uma crença filosófica de que toda a informação deve ser distribuída livremente e sem restrições. Essa filosofia se opõe à monopolização do conhecimento em todas as suas formas, tais como direitos autorais, e encoraja a pirataria de todos os tipos de mídia, incluindo música, filmes, programas de TV e softwares.

De acordo com a igreja, "Em nossa crença, a comunicação é sagrada".Nenhuma crença em deuses ou fenômenos sobrenaturais é mencionado em seu web site. CTRL + C e CTRL + V, as teclas do computador de atalho para "Copiar" e "Colar" são consideradas símbolos sagrados. Assim, apesar de rejeitar a figura de Deus ou dos fenômenos sobrenaturais, há uma sacralidade nessa experiência que justifica a autodenominação de religião. Carlos E. S. Aguiar[7] sugere que mais idôneo seria denominar essa experiência como ciberreligiosidade pois trata-se de uma experiência nativa das redes digitais e resultado dessa nova cultura e não uma religião institucional e organizada hierarquicamente.

O Kopimismo pode ser descrito pelos os seguintes princípio:

Todo o conhecimento a todos

A busca do conhecimento é sagrada

A circulação do conhecimento é sagrada

O ato de copiar é sagrado.

De acordo com a Constituição Kopimista:

Cópia da informação é eticamente correta.

Divulgação da informação é eticamente correta.

"Copymixing" (o ato de modificar uma cópia) é um tipo sagrado de cópia, mais ainda do que a própria cópia digital perfeita, porque ela se expande e aumenta a riqueza de informação existente.

Cópia ou modificação de informação produzida por outra pessoa é vista como um ato de respeito e uma forte expressão de aceitação e fé Kopimista.
A Internet é sagrada.

Código é lei.

Em 5 de janeiro de 2012, o Kopimismo foi aceito pela Suécia como uma religião legítima.

Em 28 de abril de 2012, a Igreja Missionária do Kopimismo realizou seu primeiro casamento. O casamento ocorreu em Belgrado, Sérvia, entre uma mulher romena e um italiano. A cerimônia foi conduzida por um homem vestindo uma máscara de Guy Fawkes, cuja voz foi distorcida por um modulador de voz.

A igreja disse: "Estamos muito felizes hoje. O amor é principalmente sobre partilhar. Um casal casado compartilha tudo um com o outro. Felizmente, eles vão copiar e modificar algumas células de DNA e criar um novo ser humano. Esse é o espírito do Kopimismo. Sinta o amor e compartilhe essa informação. Copie toda a sua santidade." O líder missionário da Igreja do Kopimismo, Isak Gerson, participou como testemunha durante o casamento.


Compartilhamento de arquivos é reconhecido como religião na Suécia


2012 - A Suécia reconheceu como organização religiosa uma igreja que prega o “kopismo”, ou seja, o compartilhamento de arquivos como música, vídeo e etc. por meio da internet. A ideia dos organizadores era criar conseguir esse reconhecimento para não serem punidos por copiarem arquivos sem as devidas autorizações. “Para a igreja do kopismo, a informação é divina e o compartilhamento é um sacramento”, informa comunicado da entidade. “A informação contém valor, que se multiplica por meio da cópia.”
O texto diz que o governo reconheceu a entidade antes do Natal, mas que foi necessário fazer três petições para que a organização, presidida por Gustav Nipe, fosse aceita como uma igreja.

A Suécia se torna o primeiro país a reconhecer o kopismo como religião. “Esperamos que esse passo seja em direção a podermos viver com a nossa fé sem medo de perseguição”, disse Isak Gerson, líder espiritual, em comunicado divulgado pela igreja. Inaugurada em 2010 a Missionary Kopimism Samfundet [Igreja Missionária do Kopismo] já conta com mais de 3 mil membros, mas para fazer parte não é preciso fazer nenhum registro, basta participar dos encontros onde as pessoas compartilham informações entre si por meio de cópias e remixes.

Seus adeptos usam a internet para discutir assuntos do mundo virtual, em especial sobre a compra de softwares tanto que um dos mandamentos seguidos por quase mil pessoas é “Não roubarás, copiarás”.

A criação da religião foi pensada com base em um parágrafo legítimo da constituição sueca: “Capítulo 2. § 1 cada cidadão tem garantia do governo a liberdade de religião: Liberdade, seja sozinho ou com outras pessoas, para praticar sua religião.” Sendo assim os suecos podem copiar arquivos em softwares sem serem criminalizados por isso, dizendo que é a religião e que possuem liberdade de segui-la.

Nos “cultos” é pregado o livre compartilhamento como algo sagrado. Nenhum deles compra livros, CDs ou DVDs, nem utiliza programas como Windows ou iTunes. Usam o sistema aberto Linux nos computadores e, para justificar os atos fora da lei, costumam afirmar que impedir a comunhão da cultura, ou cobrar por ela, é inaceitável.


Fonte: https://pt.wikipedia.org
           G1

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Mundo

Publicidade