Kokeshi, a Bonequinha dos Desejos

kobone1No Japão, é muito encontrar essas bonequinhas orientais dentro de aquários nas casas. Segundo sua cultura, essas são as Kokeshi, as Bonecas dos Desejos. A pessoa que compra uma dessas, faz um desejo. Assim que o desejo é realizado, ela deve jogar a boneca fora. Certo, mas qual é a bizarrice por trás disso? Há uma lenda por trás dessas aparentemente inocentes bonequinhas, em que pessoas afirmam que o cabelo da boneca cresce sozinho, muda de posição dentro do aquário, dentre várias outras coisas bem sinistras.

Existem vários tipos de Kokeshi, é uma boneca típica do Japão, mas possui suas características próprias e marcantes. Muitas são feitas de porcelana, também tem as tradicionais e as artesanais, feitas com madeira e pintadas à mão. A kokeshi artesanais de madeira possui o tronco simples, sem braços nem pernas e a cabeça é grande. O corpo possui desenhos florais e o rosto tem linhas finas pintadas à mão. Depois é envernizada com cera e assinatura do artista fica na parte inferior.

Leia também - Otameshi - Prova de corte de espadas samurais

A kokeshi tradicional segue alguns padrões particulares que são oriundos da região de Miyagi, é uma das províncias do Japão localizada na região de Tohoku, ilha de Honshu. Acredita-se que os primeiros modelos tenham surgiram por volta de 1603. Como essas bonecas são pintadas à mão, o rosto de uma kokeshi é sempre único. A lenda diz que Houve um período de muita fome e muitas crianças foram sacrificadas para servir de alimento, motivo pelo qual a kokeshi não teria nem braços e nem pernas.

pós a Segunda Guerra Mundial, outras formas de kokeshi passaram a ser desenvolvidas e são conhecidas como shingata ou Kokeshi criativa. Estes novos modelos possuíam outras formas e cores. Algumas eram cobertas com pano envernizado e utilizavam cabelos verdadeiros, algumas possuíam braços e mãos. Nestes modelos mais criativos eram desenvolvidas roupas e detalhes naturais em seus cabelos.

kobone2

A kokeshi também foi adotada como parte de cerimônias fúnebres de crianças que não atingiam 1 ano de idade. Era comum acreditarem que a alma do bebê morto fixava-se na boneca e os familiares então ofereciam doces, alimentos e origamis à kokeshi, para que a alma do bebê não se sentisse perdida. Diziam que no Japão antigo só existiam bonecas de porcelana, que por serem muito caras, somente às crianças das famílias mais ricas possuíam. Mas as classes mais pobres fizeram alguns modelos em madeira artesanal e utilizavam cabelos verdadeiros por não possuírem o mesmo acesso a tinta.

A criança que recebia uma Kokeshi poderia fazer um desejo que seria realizado no futuro, após o desejo se concretizar a boneca deveria ser descartada. No começo, essa ideia fazia com que a criança tivesse mais cuidado com o brinquedo e como não havia formas de higienizar ou consertar, com o possar do tempo a boneca ficava suja, rasgada ou até mesmo quebrava, então poderia ser descartada e faziam uma nova.

Diz a lenda que as famílias começaram a observar que a boneca parecia ganhar vida após a pessoa fazer o desejo, elas mudavam de posição quando colocadas em algum lugar, pareciam acompanhar as pessoas com o olhar, os cabelos pareciam crescer com o passar do tempo e quando o desejo se realizava a boneca parecia morrer, então era jogada fora. As famílias passaram a ficar com medo de jogar a boneca fora antes que o desejo se concretizasse, acreditando que seria uma desfeita ou falta de honra com o seu acordo e a boneca voltaria para se vingar, matando a pessoa.

Leia também - "O Quinto dos Infernos"

Atualmente, em muitas famílias as Bonecas Kokeshi, após serem adquiridas e feito o desejo, são colocadas em um aquário ou em um altar, muitas delas possuem até o seu próprio cantinho na casa, onde ficam até que o desejo se realize. Algumas até guardam a boneca depois que o desejo se realiza. Uma curiosidade: Dizem que, devido as suas formas arredondadas, eram dadas aos bebês na fase dos primeiros dentes, um massageador de gengivas ou mordedor (pode ter sido o originador dos “Mordedores” que usamos hoje em dia).

 

Fonte: http://docepsicose.blogspot.com.br
           http://lendas-mitos-blog-blog.tumblr.com

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Mundo

Publicidade