Exército de terracota

terracota1Exército de terracota, Guerreiros de Xian ou ainda Exército do imperador Qin, é uma coleção de mais de oito mil figuras de guerreiros e cavalos em terracota, em tamanho natural, encontradas próximas do mausoléu do primeiro imperador da China. Foram descobertas em 1974, próximas de Xian. As imagens em terracota foram enterradas junto ao mausoléu do primeiro imperador, Qin Shihuang em c. 259-210 a.C. e foram descobertas em março de 1974 por agricultores locais que escavavam um poço de água a leste do monte Lishan, uma elevação de terra feita por mãos humanas e que contém a necrópole do primeiro imperador da dinastia Qin. A construção desse mausoléu começou em 246 a.C. e acredita-se que 700.000 trabalhadores e artesãos levaram 38 anos para a completar.

De acordo com o historiador Sima Qian, na obra Registros do Historiador (c. 100 a.C.), o imperador foi enterrado em 210 a.C. juntamente com grandes tesouros e objetos artísticos, bem como com uma réplica do mundo onde pedras preciosas representavam os astros, pérolas os planetas e lagos de mercúrio representavam os mares. Pesquisas recentes detectaram altos índices de mercúrio no solo, comprovando o historiador.

Leia também - O Olho de Horus - A escola de Mistérios (Episódio 1)

A tumba fica perto de uma pirâmide de terra com 47 metros de altura e 2,18 quilómetros quadrados de área, mas ainda não foi devidamente explorada por se temer que a erosão provocada por chuvas possa danificá-la. Planeja-se cobrir a área com um telhado especial, mas até 2007 não foi possível. O complexo do mausoléu foi construído para servir como um palácio ou corte imperial. É dividido em vários ambientes, salas e outras estruturas e cercado por uma muralha com diversos portões. Seria protegido por um exército de soldados em terracota guardados nas proximidades, mas os restos de muitos artesãos e suas ferramentas foram encontrados, o que faz acreditar que tenham sido enterrados com o imperador para impedir que revelassem as riquezas ou as entradas aos salteadores.


Unindo a China


terracota2Qin Shi Huang Di  foi o primeiro Imperador  que uniu a China sob a mesma dinastia, realizador de grandes reformas sociais e econômicas. Os Qin governaram de 221 a 207 a.C  sendo  responsáveis pela implantação do conceito de império entre os chineses. O Imperador faleceu há 2,2 mil anos e foi sepultado junto a um exército de guerreiros de terracota cuja principal  missão era zelar por ele no além. Os chineses acreditavam na continuação da vida na terra, após a morte. Em seguida veio a dinastia Han ocidental que ocupou o poder de 206 a.C até 9 d.C.  Foram os Han  responsáveis pela implantação do sentimento de tradição e ordem que marcaram os mais de 2 mil anos de domínio imperial na China. Han Jing Di  foi o quarto Imperador dos Han ocidentais tendo  governado de 157 a 141 a.C.  Governante cauteloso consolidou o poder do clã que se manteve no poder durante mais de quatro séculos. Após o colapso dos Han ocidentais a mesma família restabeleceu a dinastia, em uma nova capital, sob o nome de Han orientais, de 25 d.C até 220 d.C. Os Han são considerados uma das dinastias mais bem-sucedidas da China graças ao seu pragmatismo e capacidade de organizar seu povo.

A descoberta dos primeiros guerreiros e cavalos, em terracota, aconteceu por acaso, em 1974, a 30 km de Xian,  que já foi um dia a maior cidade do mundo e capital de 11 dinastias, atualmente capital da província de Shaanxi.  Um camponês, ao cavar um poço para obter água, encontrou algumas dessas estátuas concebidas para acompanhar e proteger o imperador  Qin Shi Huang Di  em sua sepultura.


8000 peças


terracota10As figuras  encontradas nas escavações, totalizando cerca de 8 mil peças, em tamanho natural, apresentam-se em rígida formação militar, refletindo nitidamente o poderio e liderança do Imperador. Note-se que a maioria das peças foram esculpidas a mão pelos artesãos, ao contrário das encontradas em túmulos da outra dinastia já pesquisada que foram  confeccionadas  usando-se  moldes. Mais impressionante é o fato que o material já encontrado ocupa somente um pequeno espaço da área das sepulturas. A maior parte da região, 56 quilômetros quadrados, ainda não foi explorada.    Recentes escavações encontraram estátuas de civis, ao invés de militares.Acredita-se que representem baixiyong - artistas que entretinham a corte dos imperadores com acrobacias, cantos, danças, provas de força e de destreza manual,  e outros espetáculos de lazer do cotidiano. Já foi localizado também um caldeirão de bronze pesando  212 quilos, adornado de figuras de plantas e animais,  e uma  armadura cerimonial  cuja estrutura foi montada com pequenas  peças de calcário, ligadas entre si por fios de bronze.

terracota7Existe uma grande preocupação das autoridades quanto à realização de novas escavações. Algumas estátuas já desenterradas  apresentam  grande deteriorização. Como conseq?ência aguarda-se o aperfeiçoamento e melhoria das atuais técnicas de preservação, para dar continuidade às escavações.  Esta salvaguarda adiará a abertura, tão esperada, do túmulo do Imperador  Qin Shi Huang Di   que está localizado no interior de uma pirâmide ,com uma altura equivalente a um edifício de 75 metros. A maioria das estátuas existentes no Museu de Guerreiros e Cavalos de Terracota foram encontradas em péssimo estado. Interferiram nas mesmas a ação de vândalos em séculos passados, incêndios e a umidade do solo. Graças a um minucioso trabalho de reconstrução, os restauradores conseguiram, reunindo milhares de cacos, refazer as esculturas.Outro problema existente é que as peças foram pintadas com pigmentos aplicados sobre uma camada de laca, a qual, com o passar dos séculos, se deteriorou com a umidade.A magnitude deste conjunto histórico é impressionante. Estima-se que o complexo funerário da dinastia de Qin Shi Huang Di tenha sido construído por 700 mil trabalhadores durante 36 anos.

A descoberta das estátuas de terracota contribuiu  para que os estudiosos chegassem a uma concepção mais nítida da dinastia do Imperador  Qin Shi Huang Di. Hoje já se sabe que foi neste período que aconteceu a padronização da escrita, da moeda, dos pesos, das medidas e da largura dos eixos dos veículos usados nos transportes. Credita-se
também ao Imperador o início da construção da primeira versão da Grande Muralha.

 Leia também - O Olho de Horus - A Esfinge, Guardiã do Horizonte (Episódio 3)

Arqueologia do exército de terracota


terracota3As escavações arqueológicas dos soldados de terracota estão em curso ainda, trinta anos após sua descoberta. Isto se deve à fragilidade natural do material e sua difícil preservação. Terracota é literalmente terra assada, em fornos com temperatura relativamente baixa. Após queimar cada figura, ela era coberta com uma camada de laca, para aumentar a durabilidade. Eram também coloridas para aumentar o realismo da aparência das figuras e de suas roupas e equipamentos. Algumas peças ainda retém traços da pintura, mas a exposição ao ar rapidamente causa o descascamento ou descoloração. 8.099 foram escavadas até o momento, incluindo soldados, arqueiros e oficiais, e foram todas feitas em poses naturais. Cada figura porta armas reais como lanças, arcos ou espadas de bronze. Acredita-se que estas armas foram feitas antes de 228 a.C. e podem ter sido usadas na guerra. Carruagens feitas com grande precisão e detalhes também foram incluídas como parte do exército do imperador Qin.

As figuras de terracota foram encontradas em três diferentes trincheiras, e uma quarta foi encontrada vazia. Acredita-se que a trincheira maior, contendo mais de 6000 figuras de soldados, carruagens e cavalos, representavam a armada principal do primeiro imperador. A segunda trincheira continha cerca de 1400 figuras da cavalaria e infantaria, também com carros e cavalos, representava a guarda militar. A terceira continha a unidade de comando, com oficiais de alto nível, oficiais intermediários e um carro de guerra puxado por quatro cavalos. É a menor, com 68 figuras.


Han Jing Di


terracota4Outros tesouros históricos foram encontrados em escavações realizadas nos túmulos do Imperador Han Jing Di. Os pesquisadores localizaram peças em terracota retratando animais: porcos, ovelhas, cabras e cães, que serviriam de  alimento ao imperador. Também encontraram  soldados, eunucos e mulheres. Este sítio arqueológico é uma das mais novas atrações turísticas de Xian,  estando aberto ao público desde o final de 1999. No complexo tumular chamado Han Yangling, descoberto acidentalmente por operários da construção civil, os arqueólogos já recuperaram uma enorme coleção de objetos: animais, carruagens, pás, enxós, cinzéis, relhas de arado, miniaturas de silos, conchas, fornos, caldeiras e instrumentos de medição. Observe-se que a maioria das peças foram moldadas, ou seja, produzidas com o auxilio de moldes. No entanto, os artesãos não deixaram de retocar os rostos dos soldados para conferir-lhes expressões próprias, únicas.Outra particularidade se refere às dimensões das peças que retratam homens e animais. Todas medem somente um terço do tamanho original. Estima-se que o complexo funerário contenha 300 mil a 500 mil objetos.

 

terracota5

 

 

Construção


As figuras de terracota eram fabricadas em oficinas por artesãos do governo. Acredita-se que utilizavam a mesma técnica dos tubos de drenagem de água daquela época. Foram feitos em partes que eram unidas depois da queima e não em uma peça só. Eram então colocadas em seu lugar, em formação militar, de acordo com sua patente e posto. As figuras eram em tamanho e estilo natural. Variavam em peso, indumentária e penteado, de acordo com a patente. A pintura da face, expressão facial individualizada e as armas e armaduras reais utilizadas criavam uma aparência realista e mostravam a qualidade do trabalho e a precisão envolvida na sua construção. Demonstram também o poder de um monarca que podia ordenar a construção de tão monumental empreita.

 Leia também - O Olho de Horus-Osiris,O Senhor da Reencarnação (Episódio 2)

terracota6terracota8

 


Destruição


Escavações no sítio mostraram com grande precisão restos de um incêndio que queimou as estruturas de madeira que abrigavam o exército de terracota, como Sima Qian descreveu em seu livro, conseqüência de uma revolta liderada pelo general Xiang Yu menos de cinco anos após a morte do imperador. Ele disse que um dos atos do general Yu foi o saque da tumba e seu posterior incêndio. Apesar do incêndio, muitos dos guerreiros de Xian sobreviveram em vários estágios de preservação, cercados pelos restos das estruturas queimadas.

Os guerreiros de Xian são hoje um fenomenal sítio arqueológico e um ícone do passado distante da China. O poderio do primeiro imperador Qin Shihuang é evidente na massiva e monumental presença de seus soldados, eternamente prontos a proteger seu líder.

terracota9

O terremoto de 2008


O grande terremoto que abalou a China pouco antes dos Jogos Olímpicos de Pequim afetou[1] alguns dos guerreiros, movendo cabeças e braços e até causando algumas rupturas. Depois do desastre, que marcou 7,9 graus na escala Richter, o museu foi fechado à visitação. Os danos no entanto foram considerados leves.

 


Fonte: http://pt.wikipedia.org/
Revista National Geographic do Brasil (outubro 2001)

 

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Mundo

Publicidade