9/11 - A lenda do aço derretido

aco_derretido_topo“Na apuração, edição e publicação de uma reportagem, seja ela factual ou analítica, os diversos ângulos que cercam os acontecimentos que ela busca retratar ou analisar devem ser abordados. O contraditório deve ser sempre acolhido, o que implica dizer que todos os diretamente envolvidos no assunto têm direito à sua versão sobre os fatos, à expressão de seus pontos de vista ou a dar as explicações que considerar convenientes”[Princípios Editoriais das ...

Organizações Globo]. Devido à proximidade do 10º aniversário dos acontecimentos de 11 de setembro de 2001, eu gostaria de relembrar alguns fatos, os quais contradizem completamente a explicação oficial do governo norte-americano. Por exemplo, a afirmação de que o choque dos aviões e o fogo originado pelo combustível teriam enfraquecido a construção metálica e por isso as torres desabaram.

A afirmação de que a queima do querosene seria tão forte, ocasionando a perda de rigidez dos perfis metálicos e até seu derretimento, é uma tolice completa e fisicamente impossível. Em primeiro lugar, grande parte do combustível já se queimara durante a primeira explosão e em grande parte fora do prédio. Pode-se observar a bola de fogo em todas as imagens exibidas. O restante que permaneceu queimou durante 5 minutos, e então restou apenas o material de escritório. Para queimar 100.000 toneladas de aço seriam necessários vários dias e muita energia, pois o aço é um bom condutor de calor, e este se dissipa rapidamente.

Segundo, a afirmação de que um fogo normal derrete o aço é tão absurda, que me leva a perguntar por que minha churrasqueira não derrete, quando a aqueço por horas a fio? As chamas são até otimizadas pelo bico. Ou por que um motor de carro não derrete ou então uma turbina onde o combustível é queimado sob alta pressão? Isso não acontece e por isso esta afirmação – o combustível dos aviões e o material de escritório levaram as espessas barras de aço ao colapso – é totalmente ridícula.

Mas o que esperar deste espetáculo hollywoodiano, encenado em plena Nova York, reduto maior das Altas Finanças e do “Santo Holocausto”? Mais uma vez devemos relembrar as proféticas palavras do judeu Vidal-Naquet: “Não se deve perguntar como foi tecnicamente possível um extermínio em massa. Foi tecnicamente possível porque aconteceu. Este é o ponto de partida obrigatório para toda investigação histórica sobre este tema. Esta verdade queremos simplesmente lembrar: não existe debate sobre a existência das câmaras de gás, e não deve haver nenhum.”. Portanto, senhores, todos nós devemos engolir bravamente os esclarecimentos do honesto governo norte-americano. E se armaram um circo após a Segunda Guerra que deixaria vermelho de vergonha até o Barão de Münchhausen – e o mundo todo acreditou – por que oras não deveria funcionar agora? – NR.

Antes e depois do 11 de setembro, inúmeros edifícios pegaram fogo de cima a baixo, durante horas a fio, e nenhum entrou em colapso. Em 1946, um bombardeio quadrimotor colidiu com o Empire State Building, em Nova York, e alguns andares superiores se danificaram e se incendiaram. O edifício está em pé até hoje.

Existem boas provas de que a temperatura nos andares onde os aviões se chocaram, era bem baixa, sim, até haveria tido um resfriamento. Pois pessoas apareceram nos buracos e acenaram da fachada. Isso seria impossível se dominassem temperaturas propícias para o derretimento do aço. O ponto de fusão do aço, segundo o tipo de liga metálica, pode chegar até a 1.536 ºC. O porém é que não se desenvolveu qualquer alta temperatura e o período de alguns minutos também foi muito breve para abalar a estrutura.

E caso aqui residisse o motivo, então apenas a parte superior teria se inclinado e a intacta parte inferior teria permanecido. Massas se movimentam na direção de menor resistência; isso é um princípio físico. Quando se serra uma árvore ao meio, então a parte superior se inclina e a base permanece. A parte superior não desaba sobre a inferior, restando apenas serragem. Isso eles nos contam, assim deve ter acontecido.

Nas fotos seguintes nós podemos notar uma mulher em pé, no canto do local do impacto na Nordturm, olhando para fora. Isso significa que nunca houve temperaturas tão altas neste andar, ao contrário do que nos dizem, pois senão a sola de seus pés estaria queimada e ela nunca teria conseguido estar naquele local.

Onde está o inferno no local do impacto? O fogo praticamente não existe. Bem ao centro podemos observar a mulher em destaque no contorno vermelho:

aco_derretido_wtc_mulher_buraco

Aqui o destaque ampliado:

aco_derretido_wtc_mulher_buraco_2

Segundo seu marido, acenando na foto se trata de Edna Cintron, uma secretária da empresa Marsh & McLennan. Ela até sobreviveu ao impacto do avião no seu escritório:

aco_derretido_wtc_mulher_buraco_ampliado

Aqui nós podemos até ver outro homem em pé, à esquerda, com Edna à direita:

aco_derretido_wtc_homem_buraco

Nós vemos que aquilo que afirmam o governo dos EUA, os meios de comunicação e os chamados especialistas, é completamente falso e não aconteceu.

Nestes próximos dias teremos a oportunidade de ver novamente as mentiras sendo repetidas à exaustão pelo Sião-Eletrônico. No caso das Organizações Globo, é com bastante satisfação que recebemos seus Princípios Editoriais, onde declaram aquilo que qualquer bicho de jornalismo já sabe: tem que ter correção, isenção, pluralismo!

E sendo assim, durante o 10º aniversário dos atentados de 11 de setembro, podemos esperar um indignado Sr. Bonner anunciando as mentiras do governo dos EUA. Alguém duvida? – NR.

Só pode ter ocorrido uma implosão planejada e as inúmeras explosões ouvidas pelas testemunhas confirmam isso. Somente assim poderia ser criada a enorme quantidade de energia suficiente para derrubar ambos gigantescos prédios e transformá-los em pó.

aco_derretido_wtc_geral

Caso seja verdade aquilo que afirmam o governo dos EUA e o NIST, ou seja, um simples fogo pode amolecer estruturas metálicas e levar um arranha-céu ao colapso, por que não reagiram imediatamente as companhias de seguro e as autoridades para prevenção a incêndios? Por que não foram evacuados imediatamente todos os prédios do mundo para reformá-los, pois não são inseguros? Estas conseqüências deveriam ser levadas a sério. Isso não aconteceu e o motivo reside no fato de que nenhuma destas empresas acredita na lenda.

Mas não somente a afirmação, onde a explicação oficial alega que o fogo teria derrubado as torres gêmeas, é falsa, mas também aquilo que afirmam certos extremistas da cena do 11 de setembro (No-Planer) é totalmente absurdo. A saber, não havia qualquer avião, eles foram inseridos depois nos vídeos. Uau, mas que trabalho. Mas como foram então encontrados tantos fragmentos de aviões nos escombros? Claro, alguém os espalhou posteriormente. Ridículo.

Partes dos aviões foram parar bem no interior das torres, pois alguns trajes de salvamento e assentos foram encontrados no teto do banco Trust. Um trem de pouso foi parar na esquina da West e Rector Street, cinco quadras ao sul do WTC.

Aqui uma parte da fuselagem do vôo 175 sobre o teto do WTC 5:

aco_derretido_wtc_escombros_aviao_1

Parte do trem de pouso:

aco_derretido_wtc_escombros_aviao_2

Uma turbina na Murray Street, próximo ao Ground-Zero:

aco_derretido_wtc_escombros_aviao_3

Certamente dois aviões atingiram as torres. Mas o que nós não sabemos é o tipo de avião, pois o FBI se nega a identificá-los. E o WTC 7 não foi atingido por qualquer avião, mas ele foi o terceiro arranha-céu que desabou naquele dia. Ou seja, a teoria “o fogo enfraqueceu o aço” não vale neste caso. Nós necessitamos e exigimos uma nova investigação, para que seja esclarecido o que realmente aconteceu neste dia.

Mais de 1.500 arquitetos e engenheiros duvidam da explicação oficial sobre os desabamentos. Abaixo segue o trailer para o documentário produzido pelo movimento Architects & Engineers for 9/11 Truth. O filme terá sua pré-estréia na semana que antecede o 10º aniversário dos atentados, a 11 de setembro de 2001:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=5jIYy7EqonQ#!

Fonte: http://www.inacreditavel.com.br

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Mundo

Publicidade