O Arsenal Nuclear de Hitler

agua pesada08 horas e 16 minutos, manhã de 5 de agosto de 1945, começava mais um dia comum numa cidade do Japão. As pessoas preparavam-se para os seus afazeres diários...um minuto depois a cidade se tornava um caos, a 500 metros do solo explodia uma bomba atômica. Uma enorme nuvem em forma de cogumelo ergueu-se sobre a cidade de Hiroshima, milhares de pessoas morreram instantaneamente. A explosão ocorreu a meio mundo de distância dos EUA. 

Mas poderia ter sido em São Francisco ou Los Angeles ou mesmo em Washigthon. Na verdade...quase foi. Este é um dos segredos mais bem guardados da Segunda Grande Guerra. Um ataque nuclear em solo americano foi planejado dias antes de Hiroshima. Os nazista haviam combinado sua tecnologia nuclear com a capacidade japonesa. O eixo esteve muito perto de criar o seu arsenal nuclear, que teria significado a diferença entre vitória e catástrofe.

Emil fischer

A Alemanha nazista liderava a corrida armamentista nuclear. Os cientistas alemães eram especialistas em empregar pesquisas para fins militares efetivos. Na primeira Guerra Mundial o fabricante químico IG Farben e o ganhador do prêmio nobel Emil Fischer, uniram-se para produzir materia sintético em substituição ao que fora bloqueado pelos aliados. Cientistas alemães também produziam as maiore armas do mundo. O Howitzer de 98 tolenadas e 420 milimetros bigberta disparava um projétil perfurador de blindagem de uma tonelada.

Leo Szilard

Mas isso é nada comparado às possibilidade do potencial atômico. Cientistas do mundo lodo alargavam as as fronteiras da pesquisa nuclear. Em 1934, Leo Szilard , húngaro trabalhando em Londres, descobriu que nêutrons podiam ser usados para dividir os átomos e criar uma reação em cadeia. No mesmo ano um italiano chamado Enrico Fermi, bombardeou urânio com nêutrons e o dividiu. Um passo vital para criar uma reação nuclear completa.

Werner Heisenberg

 

Cientistas alemães também lideravam a pesquisa nuclear na europa. Aos 32 anos Werner Heisenberg ganhou o prêmio Nobel de Física em 1933. Ele viajou aos EUA para conhecer físicos nucleares e suas últimas descobertas. No mesmo ano Adolf Hitler chegou ao poder como chanceler da Alemanha. Nesse clima de mudanças políticas Heisenberg foi entrevistado diversas vezes para importantes cargos científicos por Heinrich Himmler da SS. Muitos dos grandes físicos alemães, inclusive Albert Heinstein eram judeus. Sob o regime antisemita nazista eles partiram para a América e a Inglaterra, onde colaboraram com os aliados em suas pesquisas nucleares.

O Terceiro Reich dependeria unicamente da raça ariana para guiar a Alemanha na era atômica. Em dezembro de 1938, no Instituto de Química Kaizer Wilhelm em Berlin, cientistas alemães demonstraram pela primeira vez a fissão do urânio U235. A Alemanha nazista desencadeara o poder do átomo. A notícia teve um tremendo impacto na comunidade científica mundial. Mas qual país usaria esse poder primeiro?

A Belgica rende-se a Alemanha

Os cientistas Szilard e Fermi preocuparam-se com o potencial destrutivo da energia atômica. Mudaram-se para os EUA, onde compartilharam seus medos com Eisntein. Na Alemanha, Paul Harteck era professor de química na Universidade de Hamburgo e um dos primeiros a vislumbras as aplicaçoes da energia atômica para fins militares. 24 de abril de 1939, o ministro da guerra alemão recebeu uma carta de Harteck. Este declarava que os físicos nucleares eram capazes de criar explosivos de força gigantesca. Quem os controlasse venceria os seus inimigos facilmente. Era exatamente o que os nazistas queriam ouvir.

ar1

Cinco dias depois Hitler fez o seu último procunciamento pacífico em resposta a um telegrama do presidente Roswelld, pedindo garantias. Hitler declarou que a Alemanha somente buscava o seu devido lugar no mundo, corrigindo os erros do tratado de Versalles da primeira guerra mundial....ninguém acreditou. A guerra explodiu na Europa, um mês depois Albert Einstein enviou uma carta ao presidente Roswelld alertando sobre o avanço alemão na física nuclear. Ele acreditava que os nazistas estavam desenvolvendo a bomba de urânio. Einstein não estava interessado na energia nuclear para fins militares, mas a sua carta foi o primeiro passo para a criação do Projeto Manhattan, a busca americana por uma arma nuclear.

ar2

Uma corrida começou entre o mundo livre e o regime nazista. Quem seria o primeiro a controlar a energia atômica. A era nuclear estava para entrar no seu primeiro estágio crítico. Para os cientista e militares envolvidos era claro que o controle da energia nuclear seria uma batalha de inteligência. operações especiais e uma corrida contra o tempo.

ar3

No início da Segunda Guerra mundial a corrida para desenvolver a primeira bomba nucelar estava no auge. Os físicos nucleares prometeram uma arma de poder ilimitado. Mas existiam dois passos cruciais no desenvolvimento de uma arma nuclear:

Os cientistas deviam primeiro garantira suficiente materia prima para sua fabricação.

Deviam criar um sistema efetivo para entrega-la.

Como resultado da bem sucedia invasão da Europa Ocidental, a Alemanha teve grande vantagem na obtenção de material atômico. 28 de maio de 1940, a Bélgica rendeu-se a Alemanha. Foi o golpe de sorte do Urânio. A Bélgica vinha obtendo urânio de suas minas no Congo Belga. 1000 toneladas de urânio foram confiscadas pelos alemães em um depósito no norte da Bélgica. Um mês depois uma segunda fonte vital caiu nas mãos dos nazistas, em junho a Noruega e sua indústria tornaram-se parte do Terceiro Reich. Na usina Norsk Hydro o óxido de deutério, ou água pesada, foi fabricado. Água pesada é um componente chave na fabricação de armas atômicas.

Comandante do U234

Em 1941 o vencedor do prêmio Nobel, Werner Heisenberg, se auto intitulou lider não oficial do programa nuclear nazista, e o Institudo Kaizer Wilhelm tornou-se sede da pesquisa atômica. Mas o trabalho de Heisenberg e dos outros cientistas padecia, eles competiam por recursos com os que desenvolviam armas mais convencionais. Devido ao triunfo rápido da sua invasão, Hitler acreditava que armas especiais eram desnecessárias. A pesquisa era muito cara. O mesmo dinheiro podia ser usado na construção de aeronaves e tanques.

cupula1

Em contra partida os programas de pesquisa atômica da Inglaterra e dos EUA reuniram-se no projeto Manhhatan, que recebeu 2 milhões de dóares de apoio governamental e cerca de 300 mil pessoas foram empregadas nos laboratórios em Los Álamos, no Novo México Olbrich no Tennessee e em Henford, Washington. Em poucos anos essa decisão provou ter sido determinante. Nessa fase da guerra a América despontou na corrida pela fabricação da bomba atômica.

misseis 1

Porém, documentos achados recentemente, levantaram outra possivel razão na mudança na corrida armamentista. Heisenberg talvez tenha duvidado da moralidade do seu trabalho para a Alemanha. Uma carta publicad em 2002 confirma que Heisenberg visitou a Compenhague ocupada pelos nazistas em setembro de 1941. O propósito exato dessa viagem ainda é um mistério. Lá ele visitou o seu antigo mentor, o importante físico dinamarquês Niels Bohr. Ele reveou a intenção de Hitler para uma arma atômica. Bohr ficou chocado. Em 1943 ele foi resgatado da dinamarca nazista por agentes secretos britânicos. Bohr então viajou a Los Álamos e entrou para o projeto Manhattan. Qual foi a verdadeira intenção de Heisemberg, quando entregou a seu antigo colega essa informação altamente confidencial? Será que uma crise de consciência o compeliu a alertar Bohr e dessa maneira o resdo do mundo sobre os planos de domínio de Hitler? Heisemberg paracia devotado ao seu trabalho para a Alemanha, também é possivel que tenha viajado a Dinamarca na esperança de envolver Bohr em seu trabalho. Mas em uma irônica reviravolta o resultado foi o oposto.Bohr reveou aos aliados a verdadeira extençao da pesquisa nuclear alemã.

Docberger e Von Braum

O alto comando aliado ficou atônito. Longe de estarem muito a frente, aliados e alemães estavam empatados. Em fevereiro de 1942, Albert Speer tornou-se ministro dos armamentos e munições e encorajou Heisemberg a prosseguir sua pesquisa. Mas após a guerra, Speer revelou que o forte antisemitismo de Hitler prejudicou o projeto. Hitler achava que as teorias e pesquisa atômica de Einstein erma "fisica judia", como ele as chamava. Foi uma das razões por que não tiveram um ciclotron e também o porque do avanço que tiveram antes da guerra, ter sido negligenciado. Não foi utilizado.

Einstein

Na primavera de 1942, o papel de Heisemberg como lider do projeto muclear nazista foi confirmado, ele foi nomeado diretor do Instituto Kaizer Wilhelm, Apenas um ano antes, ele e outros cientistas haviam apresentado o projeto para um reator nuclear. Esse projeto usava urânio natural com óximo de deutério, água pesada, como moderador. Água pessada é criada com enorme quantidade de eletricidade e é muito cara. Mas a Noruega e o seu amplo potencial hidroelétrico agora faziam parte do imperio nazista. A obtenção de água pesada não seria problema.

O professor Karl Vitz, figura chame no programa nuclear alemão recorda sua importância:

"Encontramos 5 toneladas de água pesada e foi uma quantidade enorme para aquela época pois até então, pouco havia sido requerido na ciência. Todos, na Inglaterra, deve ter estranhado essa quantidade e feito a ligação com a energia atômica. Acho que os ingleses estavam certos sobre essa encomenda. "

General engenheiro Hans

Em março de 1942, agentes secretos inglesee capturaram um navio a vapor noruegues. A bordo estava um trabalhador chave da Norsk Hydro, ele contou aos aliados o quanto estava avançado o uso de água pesada na Alemanha. Dr Harvy Jones, um cientista a trabalho do serviço secreto britânico estava alarmado:

"O fato de os alemães mostrarem tanto interesse e apesar das chances mínimas de produção de uma bomba antes do fim da guerra o prêmio era tão alto que valeria a pena. Se eles quesessem a "água pesada" e estivessem prontos a fazer o necessário para obtê-la, sim, valeria a pena."

19 de novembro, dois planadores contendo 34 homens da primeira divisão aérea ingelsa voaram para a Noruega. O objetivo: Destruir a usina Norsk Hydro. Uma das aeronaves chocou-se contra uma montanha e parte da tripulação morreu. Os sobreviventes foram capturados pelos alemães e executados. O segundo planador também caiu, todos os 34 homens morreram. Foi um golpe amargo, mas Jones achou que valia a pena e ordenou uma nova tentativa. 16 de fevereiro de 1943, seis noruegueses treinados na Inglaterra saltaram de para quedas na Noruega. Experts treinados em combates no Ártico, eles esquiram pelo pais até o alvo. Para prevenir qualquer rerpesária local os agentes noruegueses vestiam uniformes de combate britânicos e usavam armas britânicas.

Noruega faz parte do Reich

Em 27 de fevereiro, o meio da noite eles atacaram a Norsk Hydro. Fusíveis de 30 segundos foram colocados no equipamento hidráulico e no armazenamento de água pesada. Foi um ataque brilhante, 350 kg de água pesada foram destruídos e a usina foi desativada por vários meses. Os Noruegeueses escaparam ilesos e se tornaram um dos mais condecorados grupos de sabotagem da Segunda Guerra.

Cientistas nazistas tentaram reconstruir a usina, mas 9 meses depois ela foi atacada de novo. Desta vez por bombardeiros americanos. O segundo ataque causou um estrago considerável, mas ainda não destruiu a usina. os nazistas decidiram transportar a água pesada disponível, de volta a Alemanha. Os ingleses aproveitaram a oportunidade para desferir um golpe fatal. Nut Wauclif (???), um agente original do mesmo grupo de sabotagem, ficou na Noruega. Em 20 de fevereiro de 1944, ele lidrou agentes noruegueses num ataque a uma balsa que carregava o estoque restante de água pesada, pelo lago Mjosa. Eles instalaram uma bomba relógio na casa de máquinas da balsa. No momento em que a balsa singrava pela parte funda do lago, a bomba detonou. O barco estava detruido e os tambores com água pesada sumiram nas profundezas para nunca mais serem recuperados.

hitler

A destruição de sua principal fonte de água pesada foi um imenso revés para os cientistas nucleares da Alemanha. Os alemães teriam mais sorte na segunda parte essencial da criação de uma arma nuclear: a criação de um sistema de entrega viável. Nessa área de desenvolvimento de uma arma secreta, oa alemães estavam anos a frente das pesquisas aliadas.

Em novembro de 1939, um pacote misterioso foi entregue na embaixada britÂnica, em Oslo, Noruega. O remetente nunca foi descoberto. Mas oficiais ingleses suspeitaram ter sido entregue por um cientista alemão discidente. O documeto atestava que a Alemanha estava desenvolvendo mísseis em Peenemunde. O cientista aliado Harvey Jones, começou a investigar a verdade por tras do documento, o que descobriu foi chocante. Em Peenemunde a pesquisa de mísseis foi libarada pelo coronel Walter Docberger e Wernher Von Braum. Juntos eles estão revolucionando a ciência dos mísseis, muito além do alcançado por qualquer outra nação.

misseis V2

Em julho de 1940, Hitler cancelou o projeto dos mísseis devido ao seu sucesso com outras armas convencionais. Mas Docberger continuou a sua pesquisa extraoficialmente. Dois anos depois sua persistencia foi recompensada. 02 de outubro de 1942, o primeiro lançamento bem sucedido do foguete A4, ele voou mais rápido e alto do que qualquer outro foguete ja lançado. Nascia a era do foguete balístico intercontinental. Agora os explosivos podiam ser enviados por centenas de quilômetros a um alvo específico. Hitler soube do lançamento bem sucedido de Docberger. Em 22 de dezembro ele ordenou que a pesquisa proceguisse a todo vapor. Os nazista tinham agora a capacidade de enviar uma arma nuclear, porém um desafio maior persistia: seriam capazes de criar uma ogiva apropriada?

3 de dezembro de 1942, Chicago, a primeira pilha atômica do mundo atigia seu ponto crítico. Como manter uma reação nuclear em cadeia autosustentada? Foi um estágio crucial no desenvolvimento da bomba atômica. Mas os cientistas do projeto Manhhattan ainda estavam longe de criar um sistema prático de armamento, pequeno o bastante para uma aeronave convecional aliada. Os alemães não tinham um bombardeiro de longa distancia viável, mas estavam muito a frente no desenvolvimento de um meio de entrega alternativo. o míssil balístico. No final de 1942 o regime nazista enfrentou um novo senso de urgência, precisavam de uma arma nuclear viável. A guerra na fronteira russa voltou-se contra ele devido ao mau tempo e o contra ataque soviético.

Niels Bohrn

Em Stalingrado todo o exército alemão foi cercado em uma batalha de aniquilação. As tropas alemãs na russia estavam massacradas e a Luftwaffe não mais conseguia proteger seu próprio território. O terceiro Reich sofria ataques aéreos regulares. Tecnologia e novos armamentos pareciam a única saída. Em maio de 1943, o missil A4 foi demonstrado com sucesso perante oficiais nazistas de alta patente. Problemas na fronteira oriental fizeram Hitler dar prioridade máxima ao desenvolvimento de mísseis. Três enormes bases de lançamento, de concreto e aço foram edificadas no norte da França. A enorme cupula da área de lançamento era espantosa. Um milhão de toneladas de concreto foram usadas na construção. Na parte de dentro havia depósitos e câmaras de lançamento, daqui hitler planejava lançar os mísseis contra a Ingleterra, em intervalo de dois por hora.

O trabalho começou com o aumento de alcançe do V2 para 5600 km. O projeto do míssil A9, com asas laterais, foi combinado com o A10, com seu propulsor de 200 toneladas. Se funcionasse aumentaria drasticamente o poder dos mísseis de Hitler, possibilitando até que alcançassem os EUA. A pesquisa nazista buscava agora novas ogivas para esses mísseis. O fabricante químico IG Pharmn produziu em massa dois agentes nervosos, Tabum e Sarin. Eles trabalhavam em parcria com a SS para criar um sistema de entrega via mísseis para esses agentes químicos mortais. Porém, gases venenosos não são seguros, podem dispersar ao atingir o alvo. Uma bomba nuclear era talves a única alternativa.

Paul Harteck

Mas os ataques aliados atrasaram significativamente o uso elamão da água pesada. Os cientistas nazistas deviam insistir no que realmente podiam conseguir. Então revirão suas opções. Uma bomba como a que seria jogada em Hiroshima requeria muitos quilos de urânio altamente enriquecido. A Alemnha não tinha tecnologia para produzi-lo. Uma bomba como a jogada em Nagasaki requeria plutônio e um reator nuclear. De novo a Alemanha nao possuiria, por anos, esses recursos. Uma alternativa podia ser criada de material radiativo, a então chamada Bomba Suja.

Desde 1940, o cientista amburgues Paul Hartek vinha tentando criar um reator de baixa temperatura e enrgia zero. Mas recebeu pouco insentivo de seu superior Werner Heisenberg. Com o crescente desespero do regime nazista por uma arma milagrosa, esta atitude mudou drasticamente. Hartek decidiu contra o urânio enriquecido, em seu lugar combinou óxido de urânio matural com um eficiente moderador como carbono puro. isso produziu enormes quantidades de material radiativo para ser embalado com explosivos dentro de uma ogiva convencional. A ogiva detonaria com o impacto e espalharia uma nuvem de poeira mortal sobre uma grande área, causando mortes durante semanas. Seria uma arma nuclear eficaz.

Speher

Tal arma também podria conter plutônio, cujo efeito contaminaria a área por anos, em vez de semana. A ingeligencia aliada soube dessa aterrorizante invenção. A mídia alemã falava de arma tão mortal que poderia exterminar a vida humana num raio de até 3km, a partir do seu impacto. Lideranças nazistas referiam-se a esta arma como V4, seria esse o missil radiativo de Hitler? Enquanto os cientistas formulavam um plano para essa nova arma, uma outra pesquisa nuclear era realizada pelo correio alemão. Foi a falha criítca da pesquisa nuclear nazista.

Ao invés de trabalhar em conjunto sob a supervisão de uma só organização, como os alidos em seu projeto Manhattan, o trabalho foi dividido em grupos menores, competitivos, com menos recursos e dinheiro. A medida que a guerra sofria uma virada, o instituto Kaizer Wilhelm e o correio alemão perceberam que sua única esperança era trabalharem juntos. Os planos de Hartek para um reator de baixa temperatura, interessou aos cientistas nucleares do correio, eles combinaram recursos e em 1944 montaram um reator de baixa temperatura no porão de uma escola, em Erfort (???). O local foi selecionado deliberadamente. Efort ficava apenas a 76 km de Dor Wausen, local de produção do míssl V2. o material nuclear podia ser facilmente misturado com areia ou cinzas e depois rapidamente transportado ao V2. La podia ser embalado dentro dos mísseis V2, modificados para carregar material radiativa. Parece que a arma milagrosa de Hitler estava prestes a ser lançada. Combinadas a pesquisa nuclear alemã e a ciência dos foguetes, fariam chover mísseis em Londres, Nova York e Washington.

Mas a visão nazista do Armagedom estava fadada ao fracasso. Os soldados aliados tomaram de assalto a Normandia, chegram num dos momentos críticos menos conhecidos da história moderna. Desde junho de 1944, tropas aliadas desembarcaram no Dia D. Um mês depois, usando bombas de alta penetração a RAF destruiu os locais chave de lançamento de mísseis nazistas, os planos tiveram que ser modificados. Himmler da SS, assumiu o controle de desenvolvimento de armas nucleares secretas de Hitler, injetando mais dinheiro e mão de obra nos seus estágios fianis de produção. O general engenheiro Hans Kanler (???) foi posto no comando da tecnologia de misseis e de outras armas revolucionárias, dizem que até trabalho num projeto de um disco voador.

O foguete A4 foi denominado V2. De setembro de 1944 em diante mais de 11000 V2 foram disparados contra Londres. Foi uma tentativa desesperada de repelir os aliados e de ganhar o tempo necessári para conseguir acionar a bomba nuclear. As tropas alidas correram para destruir os campos de mísseis móveis na Holanda. Em março de 1945, o último V2 foi disparado. A ameaça direta de Hitler a Gra Bretanha, chegava ao fim. O regime nazista não podia mais usar foguetes para espalhar matéria nuclear sobre seus inimigos. Mas devia have outro modo de desencadear um ataque nuclear aos EUA.

missil A4

No pacífico a guerra contra os aliados ainda fervia. Apesar da investida, os cientistas japoneses continuavam a desenvolver armas com enorme rapidez. Bombas voadoras Kamikazes, submarinos suicidas e barcos com explosivos estavam todos a postos durante a Batalha de Okinawua, em abril de 1945. Os japoneses até faziam experimentos com balões de altitude carregados de explosivos. Esses balões deveriam ficar a deriva sobre o Pacífico até atingirem a costa oeste da América. Podiam ser facilmente preenchdos com matéria nuclear ou biológica. A pesquisa nuclear japonesa na Universidade de Osaka se baseou nos ciclotrons americanos, comprados em 1938, mas abandonada devido ao alto custo.

Se os japoneses queriam uma arma nuclear precisariam obter material nuclear. Hitler faria esse favor. Em 25 de março de 1945, faltando um mês para o fim do Terceiro Reich, um submarino alemão, o U234, partiu do norte da Alemanha. O U234 não era uma investida qualquer, era um submarino de 90 metros, 2000 toneladas e 24000 km de alcance, seu destino: Japão. Carregava no seu interior algumas das mais avançadas armas de Hitler. Equipamento de rádio e radar, desenhos técnicos, foguetes antiaéreos, até mesmo um caça ME262 desmontado, pronto para ser utilizado pelos japoneses. O comandande do U234 era Johann-Heinrich Fehler. O submarino também continha uma importante carga humana. Dois oficiais japoneses estavam a bordo. Com eles havia sete oficiais alemães, especialistas em defesa aérea e radares, e dois civis especilistas em desenhos de produção de jatos.

Mais importante do que tudo o submarino continha óxido de urânio embalado em 50 conteiners,a matéria prima para uma arma nuclear. O U234 deixou a Alemanha, acompanhado por trÊs submarinos. Naveou em direção a Noruega, por pouco evitando ataques aéreos aliados e colisões com navios alemães. A partir dai as escoldas do U234 desapareceram e este entrou no Atlântico Norte, sozinho. A viagem deveria levar 10 semanas, mas em 1 de maio o U234 recebeu uma mensagem de rádio anunciando o suicídio de Hitler. O almirante Karl Dönitz foi nomeado seu sucessor. Em 4 de maio recebeu uma mensagem do comando de submarinos dizendo a todos os submarinos alemães que cessassem fogo. Todos os submarinos de ataque deveriam voltar a Noruega, mas o capitão Fehler não considerava o U234 um submarino de ataque e seguiu em frente. Em 8 de maio a Alemanha se rendeu.

O comando de submarinos ordenou que o U234 voltasse a Noruega, Fehler recuso-se, ele estava apenas a metade do caminho, com sua carga intacta. O Japão agora estava sozinho na Guerra. Considerando todos os alemães inimigos, começou a prende-los. Fehler não sabia que recepção teria quando chegasse ao seu destino. Ele mandou prender os dois oficiais japoneses a bordo, ele então discutiu o que fazer com os outros oficiais alemães. Alguns queriam seguir para o Japão, outros queriam navegar ao sul do pacífico, muitos queriam se render, os oficiais japoneses perderam a esperança. Ambos tomaram uma overdose de calmantes e entraram em coma. Fehler temia que os americanos pudessem reanima-los e descobrir a verdade sobre a viagem do U234. O Médico a bordo providenciou para que eles nunca mais acordassem. Seus corpos foram enrolados em redes e lançados ao mar.

Contato pelo radio foi feito com uma base canadense de escuta em Halifax, mas Fehler decidiu se render aos americanos e viajou rumo sul. Ao navegar pela costa do Atlântico, Fehler interceptado pelo USS Sutton, um barco de patrulha antisubmarino. A tripulação do Sutton nao tinha idéia que o submarino estava repleto de material radiativo, Seu comandante abordou o U234 e fez com que Fehler se rendesse. Em 19 de maio de 1945, o U234 entrou no porto de Portsmouth, New Hampshire, a 400 km de Nova York.

Sua carga ganhou repercussão na imprensa local. Sob interrogatório o tenente Karl Farth admitiu a presença de carga nuclear a bordo. Os americanos se recusaram a descarregar a carga de óxido de urãnio, entao a tripulação do U234 teve que fazê-lo. os conteiners possuiam marcas dizendo "Para o exército Japones". Os EUA acabaram de impedir o que seria o mais mortal ataque da história em solo americano. Para os EUA a diferença entre segurança e catástrofe foi apenas uma questão de dias.

Japão, 1945. Dois submarinos gigantes esperavam a chegada do U234 e sua carga nazita de material nuclear, eram os maiores submarinos dos mundo, com um comprimento total de 120 metros. 6500 toneladas e um alcance de 48 mil km. Eles possuiam revestimento de borracha em seu casco para reduzir a detecção pelos radares. Tinham também por função carregar aeronaves, carregavam até 3 em seus angares herméticos no seu convés. Essas eram as naves que transportariam todo o material nuclear até a costa oesta dos EUA.

Quando notícias sobre a rendição do U234 correram, os japoneses rejeitaram como propaganda aliada. Eles continuaram aguardando e prosseguiram com seu plano. Os dois submarinos gigantes japoneses praticaram manobras para seu alvo inicial, o canal do panamá. Mas foram informados que seu alvo mudara. O novo alvo era São Francisco. Exercícios para um ataque submarino a cidade duraram até 12 de junho. Enquanto isso o U234 era esperado no Japão, trazendo o presente do terceiro Reich. Assim, os cientista nucleares japoneses poderiam transforma o material radioativo nazista em bombas convencionais, Essas bombas seriam confiadas aos hidroaviões dentro dos submarinos.

Quando na superfície os submarinos gigantes se aproximariam da costa americana, as aeronaves seriam enviadas para lançar as bombas nucleares. Essas armas nucleares seriam diferentes das lançadas em Hiroshima e Nagasaki. Em vez de um estrondo gigante matariam milhares de pessoas expondo-as a sua radiação. O impacto na costa oeste seria devastador. A data do ataque foi marcada, 17 de agosto de 1945. Enquanto isso, desavisados sobre o plano japones, cientistas americanos rapidamente testaram suas bombas atômicas no Novo México em 16 de julho. Foi um espetáculo aterrorizante. Em 6 de agosto uma superfortaleza B29 lançou uma bomba atômica de urânio no porto japonês de Hiroshima. Entre 75 mil e 100 mil japoneses morreram instantaneamente com a bola de fogo e a onda de impacto. Milhares de habitantes morreram mais tarde de doenças relacionadas com a radiação.

TrÊs dias depois uma segunda bomba atômica de urânio foi lançada sobre Nagasaky, matando ao menos 35 mil pessoas. Os EUA bateram o Japão no uso de arma atômica por apenas 11 dias. Em 15 de agosto o Japão se rendeu, apenas dois dias antes de seu plano de ataque nuclear a São Francisco. É possivel que ambos os planos de ataque tenham sido destruidos pela descoberda da carga do U234. Se um submarino da alemanha nazista carregava este material, outros ja poderiam ja ter chegado ao Japão. Se os Estados Unidos não tivessem atacado antes, milhares de vidas americanas teriam se perdido, uma cortesia do presente final de Hitler.

Imediatametne após a guerra, tropas do Sexto Exército Americano destruiram todos os resquícios do programa nuclear japônes da Universidade de Osaka. O Alto comando aliado sabia que a corrida é apertada, mas nunca imaginaram o quao perto estavam até as tropas americanas fazerem a grande descoberta em abril de 1945. As tropas desocbriram alguns equipamentos nucleares do cientista Werner Heisenberg em uma caverna, perto da floresta negra, no sul da Alemanha. Em um campo próximo encontraram cubos de uranio suficientes para um reator e em um moinho o ultimo suprimento nazista de água pesada norueguesa. O reator da caverna fora reconstruido, sinal de que os cientistas alemães haviam tomado poucas precauções para se protegerem, se ativado todos seriam contaminados pela radiação.

Com o fim da guerra na Alemanha em 1945, o general Dr Kambler (???) da SS, se preparou para enviar os melhores cientistas alemães, incluindo Von Braun, de Penneemnund para o sul da Alemanha. 14 toneladas de pesquisa arquivada foram escondidas e abandonadas numa mina no norte das montanhas Hartz, mas quando os cientistas finalmente se renderam aos americanos a pesquisa foi recuperada. Kambler desapareceu, mas Von Braun e os outros cientistas nazistas mudaram-se para a américa, onde ajudaram os EUA a desenvolver ainda mais poderosos mísseis intercontinentais balisticos. outros cientistas alemães foram para a União Soviética e auxiliaram os russos a desenvolver seus mísseis e armamento nuclear, começava a guerra fria.

Por quase uma década as forças aliadas estiveram atadas a uma batalha com o eixo pelo controle da energia nuclear. TEve inicio nos institutos europeus e terminou num dia de verão no Japão. Em uma irônica reviravolta a diferença entre vitória e devastação foi determinada por dias e na balança penderam a vida de milhres de americanos da costa oeste, um dos momentos mais perigosos da história e um dos maiores segredos da Segunda Guerra mundial.

Comentário do Arquivo

Mesmo não sabendo sobre o plano japones e com o U234 capturado, impedindo que o Japão lançasse seu ataque nuclear em solo americano....não ha justificativa para a desintegração instantanea de mais de 150 mil pessoas inocentes.....onde esta a honra e a glória em assassinar mulheres, velhos e crianças? Mas afinal.....a guerra em si ja é uma triste demonstração da falta amor.....no homem, amor a si próprio e ao seu semelhante. Somos livres para fazer o que quisermos, até uma atrocidade dessa magnitude....mas TODOS responderemos de uma forma ou de outra por nossos atos, da responsabilidade não poderemos fugir. Se essa lei básica do Universo fosse entendida e principalmente ACEITA.....nosso mundo seria bem diferente!


Fonte: Documentário "O Arsenal Nuclear de Hitler" do History Channel. Compilação em forma de texto e imagens, Renato Corrêa Bicca, gestor de conteúdo do portal "O Arquivo;

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Mundo

Publicidade