Visão remota

vremota1Visão remota (do termo original em Inglês Remote viewing (RV)) é a prática de se buscar impressões de um alvo distante e escondido da vista física, utilizando meios paranormais. O termo "remote viewing" foi cunhado pelos físicos e parapsicológos Russell Targ e Harold Puthoff do Instituto de Pesquisa da Universidade de Stanford. A visão remota permitiria a um observador usar alguma capacidade paranormal para reunir informações de um determinado local, um objeto, lugar, pessoa, etc., que estaria longe da visão física do observador, preferencialmente separado do observador por uma grande distância.

A "visão" seria a impressão pessoal adquirida pelo observador a respeito do assunto, e às vezes poderia ser registrada por outra pessoa. Seria semelhante a sensação que temos quando abrimos os olhos após uma noite de sono e tentássemos recordar sobre um sonho ocorrido durante este período. A visão remota clássica é feita em tempo real, embora alguns praticantes informem a possibilidade de cruzar a linha do tempo e ser remetido ao passado ou futuro também. Os defensores dizem que já existe prova experimental válida para esta técnica.

Os defensores argumentam que a visão remota se distingue de outras formas de clarevidência e que segue um protocolo experimental específico (ou alguma variante dele). O aspecto crítico comum a estes protocolos, os defensores contestam, é que o observador é cego no sentido ao alvo, e não terá que dar (ou ser negligente) a informação concernente a respeito do alvo que terá que ver.

A pesquisa original, de acordo com Russell Targ, o autor desta teoria, é considerada válida e aceita sob método científico, e está atualmente no nível de uma teoria em trabalho, mas não como fato considerado nem como alguma lei da natureza. Uma fraqueza do método é que exige uma resposta subjetiva dos assuntos envolvido na prova. Este ainda é considerado aceitável somente quando os resultados são considerados como produto final. Os resultados só alcançaram um nível significativo estatisticamente, querendo dizer que algumas vezes os resultados casuais tiveram o mesmo resultado, e como experiências usando o fator repetição não poderia haver exceçôes. Muitos aspectos aceitos pela ciência, incluindo áreas como a psicologia, estão neste mesmo nível de teoria em trabalho.


Visão Remota: O controle remoto da mente!

veremota2a


“Visão remota é quando uma pessoa vê algo sem estar no local, mesmo a grandes distâncias”.

“As aplicações da Visão Remota na guerra são infinitas”.

Como cientista, fiquei fascinado pelas implicações da RV, porque, se realmente isto funcionasse, iria derrubar o paradigma sobre o qual nosso modelo científico de realidade é baseado. O trabalho da dra. Jessica Utts – uma professora de Estatística em Stanford, que tinha provado cientificamente que o fenômeno RV existia – era significativo a este respeito, porque mostrava que a ciência, tal como a conhecemos era crucialmente falha.3 Nós tínhamos desenvolvido a energia atômica, mas era como se tivéssemos menos conhecimento acerca da natureza essencial da realidade do que nossos ancestrais das cavernas. Os cépticos refutam os escritos de Utts e negam que os fenômenos paranormais possam existir.4 Isto pode ser mais confortável para a comunidade científica, mas o RMCT está sendo usado cada vez mais pela comunidade militar e de inteligência.

Para dissimular isto, a posição da CIA no que se refere à RV foi emitida pelo porta-voz David Christian, que admitiu que nenhuma pesquisa oficial a mais sobre RV foi autorizada: “Nós pensamos que a comunidade de inteligência não deve pesquisar sobre isto, pois é melhor que seja feito pela iniciativa privada…”5

Há uma campanha de desinformação para ocultar que eles continuam e até aceleraram o estudo deste assunto? Podem programas tais como Os Verdadeiros Arquivos-X (The Real X-Files – mostrado no canal 4, no Reino Unido) – criado por Jim Schnabel, um suposto agente da CIA – serem projetados para agirem como chamariz, para dissimularem a verdadeira intenção dos órgãos de segurança dos EUA? Se é assim, não poderia o interesse do público nesta área significar que as organizações americanas privadas que investigam RV (todas elas lideradas por oficiais de segurança ‘aposentados’), para as quais o público se volta em busca de treinamento, terem um largo número de candidatos? Isto poderia ser útil se a comunidade americana de inteligência estivesse caçando por pessoas com habilidades psi desconhecidas para recrutá-las para um nascente programa militar em RMCT.6

A Base científica da Visão Remota

Isto levou a questionar se haveria uma base científica para a RV e o RMCT. Como proponente da RV, eu sabia que ela funcionava. Joe McMoneagle, um oficial aposentado do Exército dos EUA – que afirma ter deixado o Stargate em 1984 com uma medalha da Legião do Mérito por obter informação sobre 150 alvos que não estavam acessíveis por outros meios – usou a RV para entrar na mente de Shaw Taylor, para ver através de seus olhos, em um experimento efetuado no O Mundo Paranormal de Paul McKenna (The Paranormal World of Paul McKenna – ITV, UK). Este método de usar a RV para entrar no cérebro de outra pessoa é chamado sensor remoto (remote sensing – RS). A RMCT biofísica pode ser considerada a forma como a ESP (percepção extrasensorial – PES) e a telepatia trabalham.

Há muitas pessoas que me perguntam se existe informação disponível sobre a base científica da RV. Tendo procurado através da Internet pelos web sites que pretendem ser os líderes na tecnologia de RV, cheguei à conclusão que, ou a base de conhecimento dos especialistas ocidentais era fraca, ou então muito desta informação era secreta. A maior parte das pesquisas conduzidas nos EUA sobre as funções cerebrais com respeito à RMCT eletrônica é secreta. Os excelentes artigos em NEXUS (p. ex., vol. 3, no. 3) tem abordado a RMCT eletrônica em mais profundidade do que do que em qualquer outro lugar, mas, pelo que sei, há muito pouca discussão científica RMCT biofísica; então, o que se segue é uma breve introdução.

Os russos tem sido os especialistas mundiais em biofísica desde os anos 50. Sua pesquisa nesta área tem-se concentrado tanto nos usos militares dos efeitos do campo biofísico e na telecinese (a habilidade de mover objetos à distância), como na pesquisa de ‘genes psi’ que promovam e mediem a RV e os campos biofísicos envolvidos na telecinese. Isto levou-os a estudarem a base biológica da RV.

Para que a RV funcione, ‘algo’ deve deixar o corpo para ver lugares remotos. A pesquisa parece indicar que a RV usa os efeitos de campos biofísicos para manifestar a percepção fora do corpo. Os russos tem usado todos os meios ao seu dispor para desenvolverem a RMCT biofísica – drogas, hipnose, cirurgia cerebral, tecnologia de implantes eletrônicos e um número de meios eletromagnéticos, eletrostáticos, magnéticos e psicotrônicos para aumentar as habilidades psi de russos cuidadosamente selecionados.

Há razão para acreditar que sua pesquisa no domínio biofísico tornou-se tão avançada que eles abriram portas para outras dimensões e caíram vítimas de forças malignas. A pesquisa americana nesta área eventualmente os levará à mesma encruzilhada. De fato, em uma base secreta subterrânea eles já estão fazendo experiências com portas eletrônicas extradimensionais, expondo conscientemente os EUA aos incríveis níveis de influência destas dimensões.

É bem sabido que o corpo físico é rodeado por manto de energia eletromagnética (EM). Os olhos captam a emissão fotônica, embora 90 por cento desta informação seja filtrada no tálamo, o que resta é ajustado a um modelo visual-mental; é isto que vemos como realidade. Uma vez que a percepção visual não seja filtrada, auras podem ser vistas em torno das pessoas.

Pra quem quiser curtir no cinema uma produção muito legal sobre o tema é o filme “Os Homens que encaravam cabras” (The Men Who Stare at Goats) é um filme decomédia americano-britânico lançado em 2009. O filme foi dirigido por Grant Heslov e escrito por Peter Straughan, baseado em romance homônimo de Jon Ronson, sobre um relato da investigação de Ronson e John Sergeant em tentativas por parte das forças militares dos EUA de usar poderes psíquicos.


Projeto Stargate (Visão Remota)

vremota3


A visão remota permitiria a um observador usar alguma capacidade paranormal para reunir informações de um determinado local, um objeto, lugar, pessoa, etc., que estaria longe da visão física do observador, preferencialmente separado do observador por uma grande distância. A “visão” seria a impressão pessoal adquirida pelo observador a respeito do assunto, e às vezes poderia ser registrada por outra pessoa. Seria semelhante a sensação que temos quando abrimos os olhos após uma noite de sono e tentássemos recordar sobre um sonho ocorrido durante este período. A visão remota clássica é feita em tempo real, embora alguns praticantes informem a possibilidade de cruzar a linha do tempo e ser remetido ao passado ou futuro também. Os defensores dizem que já existe prova experimental válida para esta técnica.

A visão remota (RV-Remote Viewing em inglês) é um trabalho desenvolvido no S.R.I.–Stanford Research Institute (entre 1972-1990) e no SAIC– Science Applications International Corporation (entre 1990-1995) é único na história do campo de estudos da parapsicologia.

Se por um lado, ele é o único programa de pesquisa de Psi(*) a longo prazo conhecido por ter sido financiado pelo governo dos EUA (especificamente, o DoD-Departamento de Defesa e diferentes agências de inteligência, como a NSA e CIA), em segundo lugar, a sua raison d’etre foi, desde o início, movida por um interesse em aplicações objetivas e práticas, ou seja, o uso de Psi para operações de inteligência, em terceiro lugar, por causa de sua natureza sensível, a maior parte deste trabalho foi – e ainda é – classificado como Top Secret.

No entanto, uma recente Congressionally Directed Action – uma ação direta do Congresso dos EUA induziu uma desclassificação de uma pequena parte dos documentos secretos, bem como levando a uma avaliação do programa de 24 anos patrocinado pelo governo, conhecido como PROGRAMA STARGATE.

O trabalho precoce no SRI-Stanford Research Institute (Instituto de Pesquisas Stanford), iniciado pelos físicos Hal Puthoff e Russell Targ, com foco em alguns poucos indivíduos talentosos em parapsicologia, como o artista de New York Ingo Swann, e o ex-comissário de polícia Pat Price. Testes piloto com estes indivíduos produziram alguns resultados verdadeiramente surpreendentes. Por exemplo, Swann sugeriu tentar a visualização remota do planeta Júpiter antes que a sonda Pionner X da NASA fosse enviada para fotografar o planeta gigante.

Para sua surpresa, ele relatou ter visto um anel em torno do planeta – que parecia bastante contraditório com tudo o que se sabia sobre Júpiter até então, no entanto, Targ e Puthoff mencionaram a declaração de Swann em seu relatório, e, logo depois, as fotos tiradas por Pioneer X em verdade revelava um inesperado anel ao redor do planeta Júpiter como previsto por Swann. Pat Price, em sua primeira tarefa de “espionagem psíquica” sobre os soviéticos, simplesmente lhe foi dado as coordenadas de uma “instalação de Pesquisa & Desenvolvimento” na União Soviética. Price passou a descrever e desenhar, com detalhes surpreendentes, uma grande estrutura existente no local das coordenadas.

Os primeiros relatórios públicos (ou seja, não classificados) dos experimentos de RV-Visão Remota (Psíquica) no SRI, incluindo mais de 50 ensaios com Price, Swann e alguns outros participantes, rendeu evidências sólidas e de qualidade sobre a realidade da RV. Na sequência da publicação do relatório interdisciplinar dos resultados na revista Nature, considerável controvérsia surgiu, com os críticos do projeto questionando tanto os protocolos assim como os dados estatísticos. Contudo, mesmo usando estimativas conservadoras de sucesso, e avaliações independentes, os dados do SRI sobre PSI pareciam claramente dar suporte a validade da pesquisa sobre PSI.

Um número de outros ensaios se seguiu pretendendo determinar o que, se fosse o caso, seriam as limitações do RV-Visão Remota. Numa experiência, por exemplo, os alvos eram pequenos objetos colocados em recipientes de metal selados por película (que excluía a luz), enquanto que em outro ensaio, eles consistiram de imagens miniaturizadas (encolhidas para o tamanho de um ponto, que exigiria um microscópio para serem vistas). A RV pareceu funcionar tão bem como sempre, apesar dos obstáculos.

Ainda mais interessante foi uma curta experiência que envolveu não apenas distâncias consideráveis entre o emissor e o receptor, mas também a barreira física tremenda das profundezas do oceano, conhecidos por bloquear quase toda a radiação eletromagnética. Duas sessões foram realizadas, cada uma envolvendo um sujeito dotado (Hella Hammid e Ingo Swann), que estava em um submarino, nas profundezas do Oceano Pacífico, o remetente foi localizado em um local selecionado aleatoriamente na área da Baía de San Francisco. Apesar da distância e da ação de filtragem das águas do oceano, ambas as sessões foram bem sucedidos, com Hammid e Swann descrevendo as suas metas com alta precisão, e os resultados quantitativos sendo estatisticamente muito significativos.

Projeto STARGATE

Também digno de nota é parte do trabalho mais tarde de Puthoff e Targ, na tentativa de melhorar a precisão e a confiabilidade de RV-Visão Remota por meio de diferentes técnicas de correção de erros (ou seja, o voto majoritário e visualização remota associativa). O projeto STARGATE continuou até a década de 1990, sob a direção do físico Edwin May, primeiro na SRI e, em seguida, na SAIC ( Science Applications International Corp.). Estendendo o trabalho anterior de Puthoff e Targ, May e seus colegas conduziram uma série de estudos que exploram o potencial da RV para a coleta de informações (serviço de inteligência e espionagem), além de tentar compreender alguns dos seus mecanismos subjacentes.

rabalhando com um pequeno e seleto grupo de “especialistas” visualizadores remotos, os pesquisadores do SRI / SAIC continuaram a produzir alguns exemplos muito marcantes do potencial aplicado de visualização remota, além de explorar algumas questões fundamentais sobre a natureza desta habilidade. Na sua totalidade , o trabalho STARGATE oferece algumas das evidências mais sólidas para a validade da PSI até o presente data – como pode ser testemunhado pelos documentos recentemente desclassificados.

No entanto, uma agência contratada pela CIA para avaliar o programa de 24 anos (American Institutes for Research ou AIR ) conseguiu dar uma revisão mista, com uma avaliação positiva pela especialista em estatística Jessica Utts, uma negativa pelo psicólogo Ray Hyman, e uma recomendação pela equipe toda do AIR para acabar com o programa Stargate.

General dos EUA confirma sucesso do Stargate Project (Visualização Remota) e confirma que o atentado de ONZE DE SETEMBRO às torres gêmeas do WTC em N.York foi um trabalho interno do próprio governo dos EUA

{n.t. Albert “Bert” Newton Stubblebine III (nascido em 1930) é um general aposentado do Exército dos Estados Unidos. Ele foi o comandante geral da Área de Inteligência e Segurança do Comando do Exército dos Estados Unidos entre 1981-1984, quando se aposentou do Exército. Ele também era conhecido por seu interesse em guerra psíquica (PSI) e sua esperança de desenvolver um exército de soldados com poderes, tais como a capacidade de atravessar paredes.}

Embora admitindo que um efeito significativo havia sido demonstrado cientificamente, sob condições rigorosas, o relatório da AIR sugeriu que não há nenhuma necessidade de se aceitar a realidade de RV, e que, em qualquer caso, a sua utilidade pragmática para a recolha de informações não tinha sido demonstrada. Após isso, Edwin May fez várias aparições públicas desafiando fortemente a objetividade do AIR, e questionando os verdadeiros motivos das conclusões e a condução de seu relatório.

Um artigo de May, detalhando alguns dos aspectos mais desagradáveis deste caso, apareceu no Journal of Scientific Exploration, junto com artigos de pesquisadores do SRI, Hal Puthoff e Russell Targ e os consultores Jessica Utts e Ray Hyman da AIR. Para obter informações mais detalhadas sobre Stargate, acesse AQUI .

(*) Psi: é um termo comumente usado pelos parapsicólogos para se referir tanto a ESP (percepção extra sensorial) e psicocinese tomadas em conjunto. O termo foi cunhado por B.P. Weisner e recomendado por Thouless R.H. como um termo para descrever ESP em seu artigo de 1942 “A posição atual da Pesquisa Experimental em telepatia e fenômenos relacionados” ( Anais da Sociedade de Pesquisas Psíquicas , 47, parte 166, pp 1-19). J. B Rhine (1948alcance da mente) usou o termo para se referir a ambos, a ESP e a psicocinese.


Psiônica: Meditação, Empatia e Visão Remota

vremota4


2013 - As habilidades de um praticante de Psiônica são realmente interessantes. Aqueles que tem sido diligentes em suas práticas de Seleção do Futuro pode, por agora, ver algumas coisas realmente notáveis.

Mas o que é tudo isso?

Todo mundo começa seu estudo de Psionismo por sua própria razão. Já ouvi de tudo, desde o desejo de pessoas “brigar” psionicamente a um desejo de obter poderes afim de realizar atos heroicos, ou ainda um anseio por uma maior compreensão de si mesmo e do universo. Agora que você já avançou a esse ponto e realizou várias façanhas é hora de refletir sobre suas razões para estar neste caminho e fazer algumas considerações para o seu futuro na Psiônica.

Em primeiro lugar, observe como o que tem feito até agora afetou você. Como é que as suas práticas de selecionar o futuro mudou a maneira de ver a si mesmo, aos outros e ao mundo ao seu redor? Através da técnica de seleção de futuro, de ter adquirido a capacidade de definir e redefinir cada uma dessas coisas, como as suas experiências mudaram suas ambições originais?

Em segundo lugar, é importante reconhecer a responsabilidade que vem com a prática de psi. Aqueles com sucesso no exercício anterior vão entender que transformar o mundo em torno de você vem em grande parte de transformar a si mesmo além de suas expectativas. Você deve considerar cuidadosamente cada ato psiônico que você executa, pois ao escolher agir desta forma você está literalmente redefinindo a si mesmo. Usar psi para atitudes más vai deixar sua marca em sua alma e os efeitos disso podem ser muito vastos. O mesmo pode ser dito de aplicações benevolentes. Escolha com cuidado.

Por fim, refletindo sobre os dois últimos fatores, é importante que você considere onde você está indo com suas práticas e reavalie seus objetivos com psi. Medite sobre este assunto e tente chegar a uma conclusão sólida. Você pode confirmar as suas ambições iniciais ou você pode encontrar novas. Tudo o que você encontrar, escolha com cuidado e sabedoria e, em seguida, em conjunto com a sua alma, forje um plano para tornar seus sonhos uma realidade.

Parabéns por ter chegado tão longe. Através de uma compreensão da Selação do Futuro, o psion é realmente o mestre de transformação de todo o mundo ao seu redor. Desejo-lhe felicidades em seus empreendimentos futuros nesta arte, e eu espero por sua devoção contínua no estudo do psi!

Vamos às práticas.

Aqueles de nós que já foram apresentados aos círculos psiônicos já devem ter ouvido o termo “exploração” (do inglês scanning). Enquanto as práticas variam de círculo para círculo, a definição e verdade subjacente permanecem. Para explorar é preciso descobrir informações sobre qualquer aspecto de qualquer coisa, agora, mais tarde ou antes aqui. Antes de nós podemos fazer a varredura, no entanto, temos de nos equilibrar, e sermos capazes de nos conectar com o que estamos a explorar.

Meditação Interior

Meditação Interior é uma prática que envolve conhecer a si mesmo, que é indiscutivelmente uma das peças mais fundamentais e mais valiosas a qualquer tipo de praticante. Conhecer a si mesmo e controlar-se abre o caminho para controlar tudo o que está externo a você.

Meditação Interior consiste de realizar a Meditação Focal tendo como foco a alma, ao invés da vela. É usada para fazer perguntas e entender a si mesmo, desta forma o levando a adquirir equilíbrio. Comece ficando relaxado, em uma posição confortável. Para realizar isso, em vez de começar direto com a Meditação Interior, é sábio começar com uma Meditação com a Vela. Uma vez que o próprio estado é alcançado, sentindo-se bem, calmo e concentração, o foco deve ser transferido para a alma. Como você deve ter realizado em Cineses, você deve ter um vago sentimento da alma. Se você se lembra disso, use-o. Se não, tente meditar sobre a vela e realizar cineses até que você possa sentir a alma firmemente. Ao meditar sobre a vela, lentamente se concentre menos na vela e mais em si mesmo e na alma, sob todos os seus pensamentos e sentimentos. Depois de ter mantido um ponto focal firme na alma, separar-se e simplesmente flutuar dentro do foco da alma.

Empatia ou Vinculação

Vinculação (linking, em inglês) é uma parte crucial da Exploração. Sem ligação, não haveria canal para a exploração. Vincular é formar uma forte ligação com a personalidade-alma alvo, a fim de que uma varredura possa ser realizada. Comece por realizar a Meditação Interior. Quando um forte foco na alma é alcançado, pense em seu alvo. Ele pode ser uma pessoa, lugar, objeto ou o que você quiser explorar. Lentamente começa a se concentrar no alvo com sua alma, ao meditar sobre ela. Forme a intenção de vinculá-lo e use seu conhecimento para projetar a alma ao alvo. Quando a empatia é alcançada, você pode aleatoriamente receber informações sobre o alvo. Pratique até ter uma ótima vinculação com o alvo e as informações recebidas podem ser confirmadas como positivas. Com tempo e esforço, a empatia pode ser dominada, e pode evoluir para a exploração, que será abordada na próxima lição. Pratique e terás progresso.

Escaneamento, Exploração ou Visão Remota (no texto original scanning), como já mencionado, é a arte de obter informações sobre qualquer lugar, pessoa, objeto, conceito ou qualquer coisa que exista. Deve ser tratada como qualquer outro ato de Cinese, ou seja, declarando uma intenção, manipulando energias e unindo-se com a sua alma.

O Processo de Vinculação

Se você estiver praticando desde o início das práticas psi aqui colocadas em conformidade com as nossas instruções, você já leu sobre o processo de Vinculação. Esta prática é fundamental em todos os escaneamentos e, ao mesmo tempo, ajuda imensamente para criar conscientemente um link para que se possa começar a prática do Escaneamento, sendo que cada vez que amadurecer em suas práticas, menos será necessário este processo. A ligação estabelecida é utilizada para transferir informações e para servir como uma âncora de conexão entre sua alma e o alvo. Enquanto está aprendendo a prática da Exploração, é sábio certificar-se de que uma ligação sólida é conseguida com o alvo para que os resultados sejam mais precisos e facilitar a Visão Remota. Eventualmente, um link será automaticamente conseguido durante um Escaneamento, mas até este ponto, é necessário passar um tempo até que se possa fazer uma ligação estável.

Realizando uma Exploração Psi

Faça a Meditação Focal até que sua mente torne-se completamente clara e alerta. Descubra um alvo com resultado facilmente verificáveis. Note-se que a Visão Remota não se limita a seu próprio lugar no tempo e pode ser algo que já aconteceu ou ainda vai acontecer. Uma boa meta é utilizar cartas. Adquira um baralho, embaralhe-o e coloque uma das cartas de cabeça para baixo sobre uma superfície plana. Através da consciência de sua alma, forme uma ligação estável ao cartão. Forme uma clara intenção de saber o que está naquela carta. Você pode escanear aspectos específicos da carta, tal como sua forma, cor, número, etc., para uma abordagem mais ampla, mas isto não é necessário. Quando sua intenção for formada, você pode ter tanto fazer uma Exploração de abordagem ativa ou passiva. Você pode ficar completamente receptivo e aguardar as informações chegarem através de sua alma ou você pode a utilizar para chegar a ler tais informações. Tenha em mente que para receber as informações, você deve estar em paz, calmo e tranquilo. Depois que as informações são obtidas com confiança, não tente interpretá-las e vire a carta. Se a verificação for bem sucedida, observe o seu estado de espírito, a concentração e o posicionamento da alma durante esse exame. Se não tiver êxito, faça-o de novo até que consiga ajustar o seu desempenho na Visão Remota. Sempre esteja ciente do que você está fazendo, para que você possa analisar se a verificação foi bem sucedida ou não.

Sobreposição de Análise

A sobreposição da análise ocorre quando o cérebro tenta receber a informação e interpreta-la, ao invés disto ocorrer através de sua alma. Ao Escanear, sempre esteja vigilante para que a mente esteja sob seu controle e não o oposto, afim de que as informações sejam recebidas e não sejam deturpadas, não fujam de seu sentido original. Preconceitos devem ser evitados a todo custo e, se existir, deve ser a certeza de que eles não participarão da Exploração Psi. Se uma verificação for bem sucedida por causa de uma Sobreposição de Análise, ou seja, através do cérebro e não de sua alma, dedique alguns minutos para limpar sua mente e faça de novo a Visão Remota com foco na alma e não na mente.

Tal como acontece com todos os atos psiônicos, a dúvida deve ser mantida a um nível mínimo ou, de preferência, não existir. Se a confiança adequada é mantida e a fé está em um nível elevado, o sucesso é garantido.


VISÃO REMOTA ; Como Utilizar a Visão Remota

veremota5


2016 - A visão remota (VR) é uma técnica a ser aprendida que permite aos usuários decifrar, psiquicamente, imagens de pessoas, lugares, locais e objetos sem conhecimento prévio do alvo. A VR é classificada como um fenômeno psicológico e está relacionada a outras ocorrências parapsicológicas, tais como clarividência e telepatia. De um lugar remoto e sem pistas, um utilizador da visão remota é capaz de deduzir características gerais de um alvo. Ele não se considera psíquico, mas, sim, um praticante habilidoso de uma capacidade paranormal. A visão remota data desde a Grécia e foi trazida novamente à vista da sociedade moderna pela CIA, que fundou um grupo de pesquisadores de VR no começo da década de 70. Apesar de se acreditar que certas pessoas estão predispostas a utilizar a visão remota, é dito que qualquer um pode aprendê-la e ficar melhor em sua prática. Siga os passos nesse experimento simples para aprender como utilizá-la.

Passos

1 - Separe os materiais necessários para realizar uma sessão de visão remota.Você deve ter uma cadeira confortável para sentar-se, uma mesa na qual escrever, uma caneta e um bloco de papel.

2 - Escolha alguém em que confie para ser seu parceiro. Essa pessoa irá participar com você da experiência e será responsável por escolher seus alvos e administrar o experimento. É importante que seu parceiro compreenda a natureza do experimento e que saiba que não deve dar nenhuma dica nem revelar o alvo antes do fim da sessão.

3 - Instrua seu parceiro a escolher de 4 a 5 alvos aleatórios. Eles têm que ser tão diferentes uns dos outros quanto possível. Seu parceiro deve colocar uma foto de cada alvo em envelopes separados e numerá-los sequencialmente.

4 - Escolha um alvo dos envelopes que seu parceiro providenciou. Não abra o envelope ou tente, de forma alguma, ver a foto dentro dele.

5 - Isole-se para realizar o experimento. Não deve ter ninguém nem nada na sala exceto você, os materiais do experimento citados acima e o envelope com o alvo.

6 - Marque uma folha de papel com o número do alvo no qual irá utilizar a visão remota. Esse é o sinal subconsciente de sua mente para começar.

7 - Clareie sua mente. Respire profundamente e entre em um estado de relaxamento quase meditativo. Leve o tempo que precisar fazendo isso.

8 - Concentre-se no alvo. Faça sua mente se focar no alvo e captar qualquer imagem mental sobre ele que possa aparecer. Para dominar a visão remota, você deve aprender como identificar imagens úteis, diferenciando poluição mental de insights autênticos. Ignore a poluição mental. Eles são pensamentos conscientes e distrações para a visão remota. Eles vêm em forma de imagens nítidas, lúcidas e claras, e devem ser descartados sem análise. Foque-se nos insights. Insights são percepções mentais confusas, semelhantes a memórias antigas de sonhos ou sensações, como o déjà vu. Um usuário de visão remota se concentra apenas nos insights.

9 - Desenhe todos os insights que tiver. Em um pedaço de papel, anote quaisquer percepções que venham à sua mente, sejam elas formas, sons, cores, palavras ou números.

10 - Avise seu parceiro quando se cansar. Isso concluirá o experimento.

11 - Reveja os resultados com seu parceiro. Anote as percepções que ambos concordarem serem corretas e relembre o sentimento do insight associado a elas. Isso irá ajudar você a identificar insights autênticos para que melhore com o passar do tempo.

Procure na Internet por testes de visão remota para praticar suas habilidades sem um parceiro.
Mantenha um diário para anotar todas as experiências e poder acompanhar seu progresso.
Meditar regularmente pode ajudar a clarear sua mente da poluição mental para que as sessões de visão remota sejam mais produtivas.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/
           http://www.umanovaera.com/
           https://thoth3126.com.br
           http://www.deldebbio.com.br/
           http://fbicontrolecia.blogspot.com.br/

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Publicidade