Manly Palmer Hall - Parte 1

hall1a18 de Março de 1901 / 29 de Agosto de 1990 - Manly Palmer Hall  foi um célebre pensador, conferencista e escritor  canadense, que imigrou para os Estados Unidos da América, sendo mundialmente reconhecido  por centenas de trabalhos publicados dedicados à religião comparada, filosofia , e tradições esotéricas.  Seu mais famoso trabalho é   The Secret Teachings of All Ages: An Encyclopedic Outline of Masonic, Hermetic, Qabbalistic and Rosicrucian Symbolical ...

Philosophy ( Os Ensinamentos Secretos de Todas as Idades: Um Esboço Enciclopédico Filosófico de Maçonaria, Hermetismo, Cabala, e Simbolismo Rosacruz ) publicado em 1928[ aos 27 anos de idade. Foi honrado com o título de cavaleiro patrono de Masonic Research Group of San Francisco, em 1953, sendo reconhecido pela Jewel Lodge No. 374, San Francisco em 22 de novembro  de 1954.

Posteriormente recebeu o seu 32 ° no Vale do São Francisco AASR (SJ). Em 1973 (47 anos após escrever The Secret Teachings of All Ages), Hall foi reconhecido como um Maçon 33 º  (a maior honra conferida pelo Supremo Conselho do Rito Escocês), em uma cerimônia realizada em 8 de dezembro na Philosophical Research Society ,

Nos seus mais de 70 anos de carreira, Hall pronunciou cerca de 8.000 palestras nos Estados Unidos e em outros países, escreveu mais de 150 livros e ensaios, destacando-se Initiates of the Flame (Os Iniciados da Flama) , The Story of Healing, The Divine Art (A História da Cura, A Arte Divina), The Lost Keys of Freemasonry (As Chaves Perdidas da Maçonaria) , The Secret Destiny of America (O Destino Secreto da América) e Masonic Orders of Fraternity,  além de inúmeros artigos em revistas.

Manly Palmer Hall nasceu em Peterbourough, cidade rural de Ontario, Canadá, em 1901 e imigrou para os Estados Unidos em 1904.  Filho de Louise Hall, médica e terapeuta quiroprática, e de William S. Hall, odontólogo e membro patenteado pelo Colégio de Ontario, da primeira sociedade rosacruz do Canadá, A Societas Rosicruciana in Canada (SRIC), formalmente constituida pelo Cel. Mac Leod Moore em 19 de setembro de 1876, reservada à  Mestres Mações.

Em 1904 a família Hall se mudou para os Estados Unidos. Cedo seus pais se divorciaram, ficando o menino sob os cuidados de sua avó materna, Florence Palmer ( Mrs Arthur Whitney Palmer) , que lhe criou em Sioux Falls, South Dakota. Sua mãe foi morar no Alaska onde trabalhou como médica quiroprática e seu pai retornou ao Canadá, não dando mais notícias. Manly nunca conheceu seu pai, passando  uma infância solitária, insegura e confusa, saltando de cidade em cidade, em companhia de sua avó materna. Foi uma criança doente, teve pouca escolaridade formal, seu contato com outras crianças era limitado., Passava longas horas lendo vorazmente por conta própria.Sua avó percebeu no menino uma centelha de um indefinível brilho, que procurou cultivar através de viagens à museus em Chicago e em Nova York. Por algum tempo, Manly e sua avó moraram no elegante hotel Palmer House, em Chigago, de propriedade de sua família, onde compartilhou principalmente a companhia de adultos, incluindo um maitre indiano, que lhe ensinou princípios de etiqueta. Mais tarde, o estudioso adolescente foi matriculado, brevemente, em uma escola militar.

Em relação ao pai que ele nunca conheceu, Hall apenas diria que " maridos que andam afastados de suas famílias são homens irresponsáveis e sem reflexão, que antagonizam as suas esposas e praguejam seus filhos com uma vida negativa de incertezas."

Desde a mais tenra idade, Manly Palmer Hall dedicou-se ao estudo de todo o leque de sabedoria  das antigas tradições da antiguidade. Ao contrário de muitos de seus contemporâneos, ele concluiu que a sabedoria não podia ser encontrada em apenas um caminho ou apenas em uma religião. Em vez disso, ele vislumbrou a sabedoria em um reino maior, transdisciplinar, onde filosofia, religião e ciência se misturam sem fronteiras. Ele escreveu isso em um boletim da Philosophical Research Society em 1959: "Como resultado de uma confusa e insegura infância, era necessário que eu formulasse uma filosofia pessoal com a qual poderia lidar com situações imediatas."

Na juventude , viveu  em New York, com sua avó,  quando ela desencarnou repentinamente. Trabalhava como escriturário no escritório de uma firma em Wall Street.  Sem muita opção, deixou  seu trabalho em New York  para reencontrar sua mãe, que havia lhe abandonado na infância, mudando-se para sua casa em Santa Mônica, litoral da California. Sua mãe vivia numa modesta casa com Charles Hall, segundo marido, considerado um homem dos sete instrumentos. Se houve alguma dificuldade de relacionamento entre Manly e sua mãe, ele jamais falou sobre isso. Anos depois dedicaria à ela uma de suas obras bem conhecidas, The Story of Healing,The Divine Art ( A História da Cura, A Arte Divina)

hall9

Um dos seus primeiros amigos, na California, foi Sydney J. Brownson , um frenologista que possuia um studio próximo ao  Pier de Santa Monica , que compartilhou os seus conhecimentos sobre hinduísmo, filosofia grega e misticismo cristão. Brownson era um homem reservado  e raramente discutia sua vida pessoal. Mas diante do brilho de seu interlocutor,  revelou que sua vida tinha sido transformada por uma visão mística e  chamadora, que  recebera no final de uma  Guerra Civil. Também confidenciou que  atravessava problemas conjugais. Quando Hall lhe perguntou se ele teria casado com a mulher errada , Brownson energicamente respondeu que se pudesse voltar no tempo certamente  faria a mesma escolha  pois  "nós vivemos neste mundo para aprender, e eu aprendi mais com ela sobre as mulheres do que eu jamais  pensei que poderia saber."  Décadas depois, Hall iria se  lembrar daquelas palavras como uma antevisão de sua própria luta doméstica.  "Todas as coisas funcionam bem no final", garantiu Brownson, acrescentando, "Deus não produz  fracassos, mas às vezes a Idade de Ouro parece ser indefinidamente adiada. Mas ela virá." Hall, que tinha uma memória fotográfica, reforçou seus estudos sobre antigas religiões e  no outono de 1920, com apenas 19 anos , o talentoso jovem que iniciou a sua carreira pública , quando foi convidado a falar para um pequeno grupo, em uma sala, em cima de um banco em Santa Monica, Califórnia, sobre o tema da reencarnação, já estava palestrando na Igreja do Povo , em Los Angeles, discorrendo sobre Rosicrucianismo e Teosofia, sistema filosófico místico fundado por Madame Helena Blavatsky, bem como  sobre os ensinamentos de Pitágoras, Confúcio e Platão. Uma idosa senhora escocesa, admiradora do talento do jovem conferencista, presenteou-lhe com uma rara e elegante coleção das obras completas de Jacob Boehme; foi o começo de uma volumosa coleção de livros raros e incomuns que se ampliaria ao longo do tempo somando cerca de 30.000 volumes.

hall3

Sua mãe, Louise Hall trabalhara por 15 anos como médica e terapeuta quiroprática em Fairbank, Alasca, tendo feito os cursos por correspondência da The Rosicrucian Fellowship,  tornando-se membro da mesma. Em 1918, após o fim da primeira guerra mundial mudou-se para a California. Naturalmente, ela tinha um grande anseio de visitar a Fraternidade Rosacruz (The Rosicrucian Fellowship). Assim foram juntos conhecer a sede da Fraternidade Rosacruz localizada em Oceanside, cerca de 80 milhas ao sul de Los Angeles, em um local paradisíaco conhecido como Mt. Ecclesia.     A Fraternidade Rosacruz  ( The Rosicrucian Fellowship)  foi estabelecida por Carl Louis Von Grasshoff , místico cristão e ex-presidente da Sociedade Teosófica em Los Angeles, que ao imigrar para os Estados Unidos da América adotou o nome de Max Heindel, sendo reconhecido como um dos mais prolíficos escritores de Filosofia Oculta. Dedicados à Cristo Jesus, astrologia, e ao poder da oração  e fornecendo uma explicação para a origem, evolução e futuro desenvolvimento do homem e do mundo , a Fraternidade Rosacruz, estabelecida por Max Heindel, logo se tornou o local predileto para o jovem Manly e sua mãe passarem as férias.   A sua primeira viagem para Mt Ecclesia foi em 1920, com 19 anos de idade, um ano após a passagem de Max Heindel aos planos invisiveis.

Segundo  Manly P. Hall, foram recebidos cordialmente, com as boas vindas, por um cavalheiro muito atencioso, o Sr. Adams, que os apresentou à vários membros do Conselho da Fraternidade. Naquele  dia fez amizade com o cãozinho do Sr. Heindel.

Augusta Foss Heindel, viúva de Max Heindel, ficou impressionada com o talento do jovem Manly como escritor, seu precoce ministério pastoral na Igreja do Povo (The Church of the People), sua simpatia e seu intenso interesse pelos complexos livros de Max Heindel, que essencialmente ensinam que o nosso planeta é uma grande escola para a qual as pessoas vêm por meio do renascimento, vida após vida. Heindel preferia a palavra  rebirth (renascimento), em vez de reincarnation (reencarnação), para designar que era a essência espiritual e não a personalidade que se manifestava novamente em sua peregrinação evolutiva nesta esfera planetária ou escola cósmica.

A atmosfera de paz e dedicação que encontrou  impressionou-lhe profundamente, resolvendo aproveitar o generoso convite da Sra Augusta Foss-Heindel para retornar quando pudesse. Hall se refere à sua estada em Mt. Ecclesia como dias aprazíveis e maravilhosos.  Por  muitos anos frequentou, com regularidade,   a Fraternidade Rosacruz  conhecendo as dedicadas pessoas que iniciaram com Max Heindel o trabalho pioneiro em Mt.Ecclesia . Também estava  familiarizado com a maçonaria e outras  tradições místicas e esotéricas, algumas milenares. Ao examinar seu tema astrológico, a Sra. Augusta Foss Heindel comunicou-lhe que  ele tinha aptidão natural para literatura e artes gráficas, assim, dedicou-se voluntariamente às atividades de redação e gráficas procurando ser útil. Participava freqüentemente de reuniões vespertinas no apartamento da Sra. Coens, onde eram debatidos temas da Filosofia Rosacruz. Participavam dessas reuniões as Sras. Latham e Roberts e o Sr. Durrel, que era o campeão de tênis, do grupo.

Em  Mt. Ecclesia, Manly Palmer Hall cresceu tão  apegado ao  forte temperamento da viúva de Max Heindel, que começou a chamá-la de "mãe". Através de Augusta Foss Heindel e seus seguidores iniciou-se na arte da astrologia e nos fundamentos da tipografia, impressão e encadernação. Também aprendeu a evitar escrever correntemente com caneta tinteiro, por desviar a vitalidade (eflúvios etéricos), conselho que observou a maior parte de sua vida, preferindo ditar seus livros.

O jovem Manly mostrou a Sra. Augusta como jogar gamão, e através desta conexão atraiu novos amigos, que compartilhavam suas horas de lazer. Juntos também escreveram numerosos artigos para a revista Rays from the Rose Cross, editada pela Fraternidade Rosacruz. Cultivou uma amizade pessoal com a Sra. Augusta Foss Heindel até a transição da mesma aos planos cósmicos superiores em 9 de maio de 1949.

O seguinte foi escrito por Manly P. Hall, em sua estada em Mt. Ecclesia, sede da internacional The Rosicrucian Fellowship, no verão de 1922, tendo sido publicado na revista Rays from the Rose Cross, em meados do mesmo ano.

hall11

"Agora que nos encontramos nas belas terras de nossa moderna Escola de Mistérios, não podemos deixar de pensar nos antigos Iniciados que observavam,   de suas pirâmides, o firmamento , contando e nomeando aqueles maravilhosos signos, que são as chaves da vida mortal. Mirando dos maravilhosos Zigurats estenderam seus braços à   Deus, sentindo quão  pequenos e indefesos  eram eles entre  as  maravilhas do universo.   Assim, milhares de anos mais tarde, nós nos encontramos  acerca de nosso Templo e erguemos nossos  olhos ao mesmo Deus, agradecendo-Lhe a maior compreensão que temos suplicando-Lhe  apenas poder ajudar a humanidade para que   também possam conhecer as grandiosas verdades que se descortinam no céu à meia-noite.  Contemplamos novamente o nosso Templo, este  imponente Tabernáculo  de Mistérios da nova era, com sua  formosa cúpula. Como as estrelas do firmamento  projeta  sua mística luz, qual  luminoso farol , que pode ser contemplado  ao longo de muitas milhas, símbolo da luz espiritual que leva esperança e amor para todo o mundo. Porque este local parece tão belo ? Há muitos outros lugares no mundo onde as estrelas podem ser observadas e estudadas, onde milhares de pessoas também podem contemplar  o mesmo radiante por de sol, e desfrutar semelhante e maravilhoso clima . Mas há algo aqui que não pode ser encontrado em qualquer outra parte do mundo. Há algo aqui que é repousante e peculiar ; parece uma terra santa. É devido ao amor enviado por milhares de membros e as vidas de abnegação e serviço que aqueles que aqui trabalham vivem todos os dias, o que produz este oásis de beleza na terra. "

Em 1922, com 21 anos de idade, Manly P. Hall escreveu seu primeiro livro sobre filosofia e religião, Initiates of the Flame, uma  luminescente gema sobre as antigas escolas de mistério da antiguidade. Embora breve, prenuncia os contornos do que tornar-se-ia The Secret Teachinbgs of All Ages. Em sua contracapa Initiates of the Flame audazmente anuncia: "aquele que vive a vida conhece a doutrina". Este pequeno livro expõe eloqüentemente os ritos egípcios, os mitos arthurianos e os segredos da alquimia, entre outros temas. Também começou a coleccionar obras sobre misticismo e ciências esotéricas. No final do outono de 1922, o plano de um trabalho exaustivo sobre o simbolismo das sociedades místicas ocidentais começou a tomar forma em sua mente. Como os materiais necessários para  para empreender tal projeto, não estavam disponíveis, no sul da Califórnia ... contatou antiquários e concessionários de livros para ter acesso aos itens desejados. A coleção de livros e manuscritos que Hall adquiriu, principalmente nos anos 1920 e 1930, se tornou a base para a sua própria investigação e a pedra angular das investigações da Philosophical Research Society.

Em 17 de março de 1923, Hall foi ordenado ministro de uma congregação metafísica, a Igreja do Povo (The Church of the People). Poucos dias depois, foi eleito pastor efetivo da igreja. A congregação lhe honrou com uma cruz ao estilo rosacruz, baseado em um desenho de sua autoria, e confeccionada com diamantes, platina, ouro e esmalte branco, com inscrições de emblemas e simbolos de astrologia e de antigas tradições misticas, que representavam os ideais compartilhados por todas as missões espirituais. Tal joia simbolizava a autoridade espiritual em um estado onde a alternativa espiritual estava sendo assimilada pelas importantes forças dos movimentos culturais.

PARTE 2

 

Compartilhe

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Translate

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Curta nossa página

Mundo

Publicidade